18 maio, 2019

Ana Gomes
Eurodeputada



Joe Berardo, depois da deposição burlesca na AR, virou Joeker. Goza com as nossas caras e vai-nos ao bolso: são quase mil milhões que deve a três bancos, incluindo a CGD. Em "imparidades" que não paga, à espera que todos nós paguemos.



Ri-se do povo e do Estado, blindado pela impunidade. Os ricos e poderosos em Portugal - os chiques e os boçais - especializaram-se em não ter nada para responder pelas colossais dívidas, a não ter lucros, só prejuízos e empréstimos sem garantias...
Pequenos devedores que desemprego ou falência impediram de pagar empréstimos são desumanamente despejados e expropriados; uns poucos privilegiados, a quem a Banca emprestou milhões ao serviço de insidiosas estratégias de poder, nunca responderam por negócios ruinosos e falcatruas. E contam não responder: com o tempo que leva a nossa Justiça, garante-se... injustiça!
Ao gargalhar na AR, Berardo achincalhou o Estado. Exige-se imediata ação!
O PR tem de lhe retirar as condecorações. Não quererá que se especule como conviveu com o "centrão" que usou Berardo (já bem basta Salgado...).
O PM tem ministro das Finanças para ordenar à Autoridade Tributária que investigue a vida fiscal de Berardo, familiares, advogados, etc. e apure desconformidades com património ostentado e o de que sejam beneficiários efetivos, via fundações, associações, sociedades, trusts, IPSS, etc... Indícios de crimes fiscais e de branqueamento podem fundamentar arresto de bens em favor do Estado. Palácio, vinhas da Bacalhoa e outras quintas - muito faltará ainda para ressarcir o Estado. E nada mais dói aos escroques que confiscarem-lhes património arrecadado!
O Banco de Portugal tem de dar dados sobre os administradores dos bancos que concederam créditos sem garantias a Berardo e quejandos, além das "restruturações" que perdoaram milhões... Dados que podem interessar à AT...
A ministra da Cultura deve mandar apagar o nome do Joeker das paredes do CCB, além de nacionalizar a Coleção de Arte.
A ministra da Justiça deve atualizar a lei de recuperação de ativos, à luz das mais recentes diretivas da UE sobre confisco do produto de branqueamento de capitais e criminalidade conexa, de forma a utilizar o processo cível independentemente de condenação penal.
Sim, é preciso coragem política. Não só pelo desplante desafiador de Berardo. Há outros escroques que também lesaram o Estado e Banca e que continuam impunes, a gozar e a gozar-nos. Faltando justiça, mais importa que presidente e Governo mostrem que ainda há Estado!(Fonte: JN)
Nota de RoP: 
Quantos  Berardos andam por aí, calmamente, a gozar o dinheiro dos outros? Por que será que a "Justiça" se tornou tão preguiçosa a julgar, e punir, os bandidos mais repugnantes do país? O sorriso cínico de Berardo na AR fala por si. Comprova a incompetência, e a permissividade da Justiça com os marginais poderosos. É simples.

2 comentários:

Anónimo disse...

Os Novos Ricos a roubarem a Banca.
Se houvesse pena de morte em Portugal estes Ladrões Lesa Pátria já tinham sido enforcados ou fuzilados, mas como felizmente para eles a pena de morte já foi abolida no nosso país já faz muito tempo estes cadastrados são punidos com Comendas, Medalhas e ficam para a historia como Criminosos bem sucedidos.

Um bronco que nem sabe ler comprou uns quadros com o dinheiro dos outros e é um homem da cultura, outro bronco entra para presidente dos 8 milhões (crimes) e manda em todo país a seguir ao PR, e ao 1ºministro é o terceira figura da Nação, o outro passou de dono de casa de meninas a patrão do futebol.
Isto só da Nojo Sra doutora Ana Gomes.

Atentamente.

Anónimo disse...

Sra Dra Ana Gomes, aquela tarja dos Super Dragões espelha bem o que Senhora doutora defende contra a vigarice mafiosa, basta ver as personalidades que contribuíram para este campeonato mentiroso de futebol. Como a Sr Doutora e bem defende a Vigarice, jamais um país pode evoluir sair da mediocridade enquanto houver um Centralismo doentio corrupto que está nas mãos de pessoas intelectual e culturalmente pobres em todos os aspectos.

A.C.