16 outubro, 2019

Sou regionalista, sempre fui e serei. Desprezo o centralismo!

Resultado de imagem para eva joly justice under siege: one woman's battle against a european oil company
Esta senhora é mais que uma ex-juíza,
é uma mulher íntegra. Fez cair a
máscara da "justiça" lisbonária

Aos opositores da abstenção, especialmente a determinados "portistas", dirijo esta singela pergunta: por que razão optaram por votar em partidos políticos de ideologias teoricamente diferentes, se essa opção não lhes dá qualquer garantia que o partido escolhido levará a cabo os seus projectos? Projectos esses ambíguos, e praticamente semelhantes a outros? Nem depois de andarem há décadas a ser humilhados por um regime que os ignora, e discrimina, são capazes de perceber que os partidos só querem  votos para poderem atingir objectivos meramente pessoais? 

Será que nem o futebol os ajuda a compreender que em Portugal a política, antes de mais, serve uma cáfila de oportunistas e cobardes? Então, não lhes chega constatar que, da esquerda, à direita, não há um único partido que tenha tido a dignidade e coragem, de abordar o escândalo do "Benfica" no Parlamento?  Então não sabem que num país normal, democrático,  era isso que já tinha sido feito? Que já tinham obrigado o Governo a debater o caso, como fazem com outros? Nem  o conluio do Ministério Público lhes diz nada? Não sabem que isso é uma postura própria de gente de baixa categoria, ou, no mínimo, suspeita? Acham isso normal ?

E já pensaram na palhaçada circense que foi a chegada dos novos candidatos à vida política, esses partidos nazis que agora chegaram à política?. Que dizer dos que votaram no partido "Chega", desse cartilheiro assumido chamado André Ventura? Terão sido úteis os votos colocados na urna desses gajos? Gajos destes chegam ao poder pelo voto, não pelas abstenções. Em que base de confiança sustentam a importância do voto? Na credibilidade, ou na fé? E por que não podemos votar contra? Já pensaram nessa possível opção? Não convém aos políticos, pois não? E por que será, já pensaram? Aqui o espírito democrático desaparece, o voto do não é proibido. Já o voto em branco é muito pragmático, e útil...

Mas há tipos que mesmo assim são contra a Regionalização, e que agora se agarram à Catalunha para a envenenar. São tão estúpidos, e sectários, que não ousam falar dos países regionalizados que evoluíram sem quaisquer problemas. A maioria desses países regionalizados progrediram, os outros, como Portugal, são os piores. O problema da  independência da Catalunha, é antigo, histórico mesmo. A Catalunha, assim como o país Basco, lutam há muito pela independência, e não foi por terem autonomia que reclamam a independência. Ambas as culturas são totalmente diferente da castelhana. Só não sabe, quem não quer. É chocante imaginar que ainda haja portistas contra a regionalização, depois de estarem a ser roubados, chulados, e discriminados pelo centralismo! É espantosa a estupidez  desta gente, é masoquismo puro! 

Eu assumo o que escrevo. Se alguma vez fôr chamado a depôr pelo que penso e escrevo, cá estarei para o confirmar. Ninguém me rouba o pensamento, é meu, é sagrado. Estou-me a marimbar para os críticos do tipo NIM. Não são carne, nem peixe. São nada. 

Só assim se percebe por que é que vendo o seu clube, o FCPorto, a ser tratado e prejudicado infamemente, evitam falar do governo e dos partidos políticos, como se eles nada tivessem a ver com o futebol. Preferem apontar o dedo aos adversários, como se fossem eles os governantes. Parecem, mas não são.

PS-Aos portistas que não se revêm nestes a quem me dirijo, as minhas cordiais e solidárias saudações. 

Aos outros, só posso aconselhar isto: definam-se, mas antes esclareçam-se!    
  

6 comentários:

Anónimo disse...

Para muitos a Regionalização é muito complicada, dizem que é tirar a Lisboa para dar ao Porto, é um discurso simplista ignorante.
Enquanto não houver uma verdadeira Regionalização este país será sempre pobre e vermelho sem futuro.
Os senhores do Poder, Justiça, Comunicação Social, FPF, Tribunal de Contas instalados na Capital do Império, serão sempre os carrascos do outro Portugal. Aqui o benfica joga sempre em casa e não há nada que lhe pegue estão imunes.

A.C.

Anónimo disse...

No Índice de Competitividade Regional, só a Área Metropolitana de Lisboa está ligeiramente acima da média europeia. Todas as outras regiões do país ficam mal na fotografia do Índice da Competitividade Regional. A região Norte é a pior classificada entre as sete portuguesas.

Pensando num padrão de 100 pontos para a média da UE, o Norte de Portugal não chega aos 65 pontos (64,63), a região centro tem 66,53, a Região Autónoma dos Açores 68,43, ao Alentejo é atribuída a classificação de 71,6, a Região Autónoma da Madeira 72,82, o Algarve 81,15 e, a Área Metropolitana de Lisboa, a região portuguesa mais bem classificada, obtém 101,16; ou seja, ligeiramente acima dos 100 que representam a média europeia (UE).

Se a Regionalização conseguir mudar este estado de coisas. Força.

Luís (O MEU, O TEU, O NOSSO FCPORTO)

Rui Valente disse...


Luís,

Mas, tem dúvidas que se a Regionalização fôr bem concebida, se não fôr abortada pelos centralistas com as habilidades do costume, o país (não só o Norte) fica a ganhar com isso?
O poderio de Lisboa vive de uma riqueza "proxeneta", não produz mais que o Norte. Tem é a mama do Estado a ajudar. Então você já esqueceu o que está a acontecer com o Benfica?

Anónimo disse...

F.P
Lisboa é proxeneta, galdéria e ditadora o resto país é mercadoria.

Anónimo disse...

A gestão que tem sido feita ultimamente no FCPORTO, em que os sads ganham MUITO BEM, enquanto as finanças do clube,(suportadas em parte pelos magros rendimentos da arraia-miúda que são os sócios e adeptos do DRAGÃO), atravessam dificuldades, leva-me a ter dúvidas em relação à Regionalização. Oxalá tudo isso não seja um "Animal Farm" à moda de George Orwell.

Luís (O MEU, O TEU, O NOSSO FCPORTO)

Rui Valente disse...

Luís,

Não misture as coisas. O comportamento da SAD merece ser criticado, tem razão. Eu também discordo do que está a acontecer, e por isso não me canso de escrever sobre a SAD, nomeadamente por continuar relaxada com o que o Regime nos está a fazer. Pinto da Costa não abre a boca sobre o assunto.

Mas ser a favor da Regionalização é uma opção de organização política moderna, com mais autonomia, e equilíbrio, para o resto do país. E além disso aproxima os cidadãos do poder, o que lhes possibilita um maior controle sobre quem governa. É sempre uma vantagem comparada com regimes centralistas como o nosso. Agora, ninguém pode adivinhar o futuro, ninguém pode ter garantias das competências e seriedade dos governantes, sejam centralistas ou regionalistas, mas que é mais viável controlar os governos regionais é, não tenha dúvidas. Compare por exemplo as Câmaras com o governo central. Descobrem-se com mais facilidade as vigarices dos autarcas que dos governos.