24 maio, 2017

Baluartes tardios é melhor que nada, mas não brilham

Resultado de imagem para universo porto da bancada, ontem
Numa época em que a tecnologia  da comunicação atingiu padrões nunca antes imaginados, é lamentável e um tanto paradoxal que a vertente humana da proximidade esteja a perder o melhor que ela pode dar, que é a genuidade. 

Com todos os inconvenientes que o clubismo do futebol comporte, isso também também pode funcionar como factor congregador. É talvez o único fenómeno global capaz de dissipar, ainda que por momentos, as assimetrias sociais. Creio não me enganar se disser que todos nós, portistas, vemos espontaneamente um amigo em cada pessoa vestida com a camisola do FCPorto, sem nos ralarmos com o seu estatuto social.

O contrário também é verdade, olhar na rua para um tipo vestido de vermelho, faz-me logo mudar de passeio. Assim como ver alguém a ler A Bola, me leva a concluir tratar-se de alguém intelectualmente limitado e de formação duvidosa. Que querem, é o fruto dos anos que essa gente mesquinha consumiu a semear ódio. De uma coisa podemos estar certos, são eles que nos discriminam, são eles que injuriam, e é por causa deles que os incompetentes dos políticos nos desgovernam. Mas, há entre nós quem não seja muito diferente...

Como ontem foi dito no Porto Canal, no programa Universo Porto da Bancada, os portistas e os adeptos de outros clubes nacionais - à excepção do clube beneficiado -, andam a pagar as falcatruas do presidente do Benfica quando (digo eu) deviam unir-se para acabar com essa brincadeira. Brincadeira é como quem diz, com essa humilhação nacional.

É neste ponto preciso que encontro algumas divergências com o que Francisco J. Marques tem vindo a fazer ultimamente. A época terminou, e não me parece que faça sentido continuar com aquele modelo de programa. O campeão, está encontrado, com as tropelias que sabemos. Por isso, só fará nexo manter o programa se fôr para lhe acrescentar qualquer coisa, por exemplo, para comunicar aos adeptos o que pensa o FCPorto fazer para se defender dos danos causados.

Estou-me a repetir, mas a culpa não é minha, é do FCPorto, mais precisamente de quem o dirige. Salvo melhor interpretação, os factos que sustentam as queixas portistas não são para esquecer, nem muito menos para conceder aos transgressores mais uma época de tolerância, porque aqui não existe o benefício da dúvida, como aliás provam, e bem, as imagens do Porto Canal.  E, das duas uma, ou estamos a falar a sério de coisas sérias, ou o programa UPB não vai passar disso mesmo, apenas um programa.

Os jovens do site portista Baluarte, tão veemente elogiados por Francisco J. Marques, são benvindos à comunidade, mas não descobriram a pólvora, porque na blogosfera não faltam blogues que se anteciparam na denúncia destas poucas vergonhas. E não creio que fique bem a alguém com a responsabilidade de FJMarques tecer loas à formação académica dos autores do Baluarte, quando o que está em causa é a defesa do FCPorto, e não um concurso de bloggers portistas. Pela mesma ordem de ideias, também os bloggers teriam legitimidade para escolher outro juri. Agindo desta maneira, um tanto incauta, FJMarques está a discriminar todos os bloggers portistas que gratuitamente, repito, gratuitamente, passaram anos a defender o clube e... o seu PRESIDENTE!

São atitudes desta natureza que nos devem fazer reflectir sobre o que descrevi no início deste artigo, quando expus a ideia, algo ingénua, é certo, de pensar que o clubismo é um fenómeno que efemeramente atenua certos tiques elitistas... Diga o que disser, Francisco J. Marques não foi correcto com muitos portistas, entre os quais me incluo. Por mais voltas que dê, duvido que algum dia o programa UPBancada permita uma crítica frontal e construtiva ao presidente do FCPorto, porque pelo que me é dado perceber, não há liberdade para tanto. 

12 comentários:

Jorge Vassalo disse...

Uma vez mais, coberto de razão, caro Rui.

Abraço

Rui Valente disse...

Viva Jorge Vassalo!

Obrigado pelo apoio. Diga-me, o seu blogue está desactivado?
Passei por lá há uns minutos e estranhei.

Um abraço

Anónimo disse...

Leio o seu blogue há muito tempo e é raro discordar do que nele escreve.
Sobre o Universo Porto da Bancada também tem razão porque eles não querem lá gente que vá contra o líder, e o amigo está incluído nesse grupo.
Mas nunca desista.

Artur Soares

Miguel Lima disse...



sou mais um a apoiar tal causa
(mas sou suspeito, depois do dia de hoje...)

abr@ço
Miguel | 92º minuto

Lápis Azul e Branco disse...

Muito de acordo.

Um abraço Portista

Rui Valente disse...

Miguel Lima,

neste momento, todos somos suspeitos, porque a razão tem de estar comesinhamente sempre com o patrão...

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Completamente de acordo.
A pólvora já tinha sido descoberta e comercializada gratuitamente.

Abraço

Roque disse...

Compreendo perfeitamente a sua posição, mas também entendo que se o Universo Porto da Bancada é suportado pelo clube não fará sentido trazer a oposição para lá...

Rui Valente disse...

Okey Roque, mas então podiam ser mais moderados nos elogios ao recém-chegado Baluarte do Dragão, porque há quem seja mais útil a dizer as coisas como elas realmente são, fora e dentro do clube.

E isso devia merecer-lhes mais respeito.

Miguel Lima disse...


referia-me ao meu último desabafo, que vai muito ao encontro do seu ponto de vista.

abr@ço
Miguel Lima | 92° minuto

Rui Valente disse...

Miguel Lima,

eu percebi muito bem. Dei uma espreitadela no seu blogue e li o que lá estava escrito. E só podia concordar, porque foi o mesmo que eu senti.

Um abraço

Anónimo disse...

O problema é sempre o mesmo, o FCP neste momento não tem líder, tem um presidente que vive à sombra do Pinto Costa de há trinta anos. O presidente está cansado corroído pela idade mas teima em não abandonar. Todos portistas gostariam de ver o PC sair pela porta grande do grande do líder que foi, mas, provavelmente para ele há outras razões para ficar.

É preciso gente nova competente que dei-a ao clube o seu amor e dedicação e não andar à procura que o clube lhe dê, ou, se aproveite do clube para beneficio próprio.

Tudo isto vem a propósito de o desporto mas o futebol em particular estar minado, conspurcado por gente corrupta, pelo centralismo, pela promiscuidade benfica/políticos, governo depois de se saber que o líder dessa instituição é quem é, e quanto tem lesado o país e os portugueses com vigarice à banca refugiando-se no manto protector do clube de todos os regimes.
Se não houver gente dinâmica que chame o nome aos bois de toda esta burlice que se passa no futebol, vão estar não sei mais quantos anos sem se ganhar nada por toda esta podridão que se passa.
Com a nomeação daquela gente que vai arbitrar a final da taça e dos castigo a Samaris, está tudo explicado do mundo vigarista do nosso futebol.

Abílio Costa.