26 junho, 2019

Ao que chegamos!




Como se não bastasse a linguagem sensacionalista dos meios de comunicação social, sempre direccionados para a exploração do escândalo e da anarquia, agora é o Ministério Público que parece querer seguir o mesmo caminho.

Resultado de imagem para ministerio publicoEntão, não é que o nosso respeitável Ministério Público considerou que chamar "filho da puta" a um agente da PSP não é crime? Que não passa de um grito de revolta?

Bem, é preciso lembrar que o falecido Mário Soares já cometeu a mesma asneira com um agente da PSP, há uns bons anos a esta parte, que me muito me indignou, e contribuiu para fazer descer a minha consideração por ele, de uma forma irreversível.  Pelos vistos, tem seguidores.

Pois, eu volto a este tema para dizer que, esta é a pior maneira de transmitir confiança aos agentes da segurança pública, isto é, retirar-lhes a autoridade. Se em vez disso o Estado preparasse devidamente esses agentes, educando-lhes os comportamentos excessivos para evitar certos abusos, mas sem lhes retirar a autoridade, então sim estariam a fazer pedagogia. Agora, falar desta maneira? Estimular a má educação do povo?  Contagiar o povo com maus exemplos? O resultado só pode ser negativo. 

Que confiança podem ter os portugueses de bem, com gente desta laia a representar o Estado?

Pois, e se um dia alguém chamar "filho da puta" a um procurador, ou a um juiz? Como é, a lógica é alterada, e mandam prender quem o insultou?     

Mas, há alguma moral nesta história? Que país este, que droga!


24 junho, 2019

HÁ UM CLUBE DA CAPITAL A FAZER OFERTAS PORNOGRÁFICAS NA FORMAÇÃO"

José Tavares:
JOSÉ TAVARES

O coordenador de formação do FC Porto concedeu uma entrevista ao jornal portuense O JOGO onde se mostrou preocupado com o atual panorama da formação de jogadores em Portugal.
Sem nunca mencionar o nome do Benfica, José Tavares critica a 'aposta cega na formação' de um 'clube da capital' e acusa mesmo esse emblema de fazer 'propostas pornográficas' a jovens de 12 e 13 anos do FC Porto.
"Vivemos em Portugal um momento muito interessante para futebol português e para o futebol de formação. É um momento interessante porque parece que muitas coisas estão a correr bem, e cada vez temos mais jogadores portugueses no topo do mundo, a nossa seleção principal voltou a ganhar títulos, o FC Porto está sempre a discutir os lugares cimeiros na Liga dos Campeões, mas a formação requer bastantes cuidados a longo prazo. Para mim, é preocupante perceber que há um clube da capital que tem uma aposta desmedida e uma aposta cega na formação", começou por dizer José Tavares, coordenador da formação do FC Porto.
"Quando se oferecem valores de três dígitos às famílias de jogadores de 12, 13 anos como prémio de assinatura, a este nível são ofertas pornográficas. É preocupante saber que tipo de jogadores vamos ter daqui a 10, 12, 15 anos e que tipo de valores os jogadores vão começar a ter, isto quando se perde a essência do jogo. É preocupante quando começam a adulterar os princípios pelos quais se devem reger. Parece que não há ética só porque alguém acha que tem de ter os melhores", acrescentou José Tavares.
"Quem quiser refletir sobre a formação, não a curto prazo, mas a médio e a longo prazo, tem de se dedicar a isto, nomeadamente as instituições que regulam o universo da formação em Portugal, porque podemos estar a cometer erros muito graves fruto desta pornografia financeira para jogadores com 12, 13 anos e para famílias, algo que pode não correr muito bem", frisou o coordenador da formação do fC Porto.
"[Se estou a falar do Benfica?] Estou a falar de um clube da capital que dizem que tem uma aposta cega na formação e que oferece quantias astronómicas e pornográficas a jogadores de 12, 13 anos do FC Porto e de outros clubes", atirou José Tavares.
"[A formação do FC Porto tem sido pouco valorizada?] O FC Porto tem um caminho, independente dos nossos adversários. Acreditamos no que fazemos, nas nossas propostas de jogo, no talento que temos e na nossa cultura única no mundo. Não queremos ter sucesso na formação, ganhar um título ou ganhar um jogador. Queremos que a equipa A tenha sucesso", sentenciou José Tavares sobre o assunto.

23 junho, 2019

Marcelo não tira conclusões sobre Pedrogão?

Daniel Deusdado


Há três temas decisivos para o nosso futuro que não têm contado com o Presidente. Comecemos pela floresta. Marcelo fez um justo ultimato ao Governo exigindo meios de socorro eficazes de forma a que não morram pessoas com os incêndios florestais. Desde aí o Governo concentrou-se, no essencial, a despejar todo o dinheiro que for preciso para evitar novas catástrofes humanas. Mas isto não resolve o problema na origem porque a floresta não se altera num ano, nem em dez.
Só Marcelo pode colocar a urgente mudança do perfil do território no centro das questões essenciais para Portugal. Mas sobre isto... quase zero. Não tem o poder executivo, sim, mas não pode fazer de conta que a floresta é um desígnio nacional. Não é.
Muita gente está a lutar por uma verdadeira mudança, mesmo que isso seja contra uma rentabilidade imediata. Ainda por cima, há um sistema de gestão no Ministério da Agricultura e nos fundos europeus de "business as usual", como se nada tivesse acontecido nesta tragédia em que se transformou o território nacional.
Além disso, há milhões para comunicar, via marketing, as virtudes de uma floresta de monocultura. Em cima disto, os prémios de arte e os textos supostamente jornalísticos sobre o "papel" (vejam-se as iniciativas da Navigator) literalmente compram (por omissão, obviamente) o silêncio dos mais importantes órgãos de comunicação nacional sobre estes temas. Como sobreviver a esta ditadura?
Nesta matéria, a posição do Presidente é de um enorme vazio porque só ele pode refazer este equilíbrio. A nossa paisagem está cada vez mais pobre e perigosa, mas a situação serve na perfeição o negócio da indústria das celuloses. E esta paga o que for preciso para fazer prevalecer a opinião de que é uma indústria fortemente exportadora e geradora de emprego, neutralizando qualquer reflexão sobre as consequências.
O resultado é deixar-nos a todos as centenas de milhões de despesa da Proteção Civil e um facto consumado: uma floresta sempre pronta a explodir. Na semana em que passam dois anos sobre Pedrógão, de que lado está o Presidente?
2. Marcelo tem um passado cinzento de proximidade com a banca e por isso não tem coragem de entrar a fundo nos temas que marcam a agenda. A total perda de controlo nacional da banca (a Caixa é já e apenas uma caricatura) joga pouco com a ideia repetida pelo Presidente de que, quando querem, os portugueses são dos melhores do mundo. Depois da tragédia da supervisão no Banco de Portugal, e face ao papel ridículo das empresas de auditoria neste descalabro, somos realmente bons em quê no mundo financeiro?
3. A sustentabilidade poderia ser a grande vocação diária do Presidente, fosse qual fosse o setor na agenda. Há uma ciclópica mensagem de mudança em todas as tarefas diárias, desde a saúde aos transportes, do apoio social ao trabalho industrial, dos serviços ao mar. O Presidente poderia fazer essa pedagogia do dia-a-dia com pequenos e grandes exemplos.
Não há planeta sem outra consciência e outra atitude. Muitos portugueses já compreenderam isso e não necessitam dos políticos para encontrar esse desígnio. Por isso mesmo, Marcelo escusava de ter ouvido a constatação da falta "desígnio" da sua Presidência durante o 10 de Junho quando tem esta responsabilidade intransferível. Mas o Presidente acaba por ficar disperso pelo todo e pelo nada, como se ele próprio fosse a missão. Será ele capaz de se reinventar para algo maior do que a espuma do tempo e do abraço?

21 junho, 2019

Cândido Costa é um hipócrita


Há gente que de tanto se esforçar para parecer o que não é, acaba por deixar cair a máscara de hipocrisia que tenta encobrir durante a vida inteira. Mas é difícil enganarem todos, nem que digam as coisas mais mirabolantes sobre o seu portismo. Ser sócio, jogador, ou mesmo dirigente, não é certificado qualificativo de adepto, seja de que clube fôr. 

Os comentadores que costumam por aqui passar devem-se lembrar bem do que opinei sobre a personalidade de Cândido Costa, quando ainda era comentador num programa desportivo do Porto Canal. Dizia eu que aquela forma exagerada de falar sobre o FCPorto, cheia de adjectivos dignos de telenovela, cheirava-me a graxa da foleira. Pensava cá para mim, deves estar a querer candidatar-te a um lugar cimeiro no clube, ou no Porto Canal... Se, como foi por ele dito uma vez, fez parte da claque dos Super Dragões, não é bom sinal, porque os Super Dragões costumam ser cautelosos com o tipo de gente que escolhem para os acompanhar (digo eu)...

Esta gente só quer é mesmo dinheiro. A Maria, do Porto Canal, que nos surpreendeu inicialmente, não descansou enquanto não foi para Lisboa para trabalhar na TVI que tão mal disse (e continua a dizer) do Porto, e do FCPorto (clube de quem disse também ser  adepta). O argumento é sempre o mesmo, vão olhar pela vida... Percebe-se bem, o "cacau" é a primeira terra natal desta gente. Ok, mas então não falem de orgulho, porque por dinheiro qualquer garoto sente orgulho, mas não confundam as coisas. 

Agora, é o Cândido Costa. É inqualificável o papel de murcão  oportunista a que se presta só para ganhar a vida. Não sei como é que há tantos portistas a venderem-se como prostitutas só para ganharem uns cobres, mesmo sujeitando-se a ouvir o pior sobre o F.CPorto. Isto de falar em portismo é fácil, mas às vezes tráz água no bico. O Cândido, esse, não engana ninguém. Serão as escolhas do Porto Canal, ou do FCPorto? Que rumo está a levar esta gentinha. 

Por este  andar, cheira-me que Pinto da Costa só sairá do clube quando bem lhe apetecer, quer o FCPorto perca, ou não. A  gratidão tola tem destas incongruências.

20 junho, 2019

Okey, temos toda a razão. Mas porquê não chamar o Presidente da FPF à responsabilidade?

Resultado de imagem para fernando gomes fpf
Fernando Gomes, um Presidente â
condição?

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol aplicou uma multa de 14.340 euros e uma suspensão de 94 dias ao diretor de comunicação e informação do F. C. Porto, por declarações no programa "Universo Porto da Bancada", do Porto Canal, relativas às arbitragens dos jogos do Benfica.
Através do Twitter "FC Porto Media", já esta quarta-feira, os azuis e brancos reagiram em seis diferentes publicações. "A maior infração que se pode cometer no futebol português é dizer uma verdade inconveniente. Francisco J. Marques foi punido com 94 dias de castigo por delito de opinião, por criticar as arbitragens que erraram a favor do Benfica na reta final da época", pode ler-se logo a abrir.
Seguiu-se, depois, nova publicação com referência ao Benfica: O diretor de Informação e Comunicação do F. C. Porto começou hoje [quarta-feira] a cumprir castigo, que termina a 20 de setembro, por emitir opiniões, apenas e só. Isto acontece na mesma altura em que há jogadores a confessarem ter sido subornados sempre pelo mesmo clube e nada acontece".

As restantes foram feitas no mesmo tom de defesa a Francisco J. Marques e ataque ao principal rival, Benfica.





18 junho, 2019

Rui Pinto mais inteligente que a Justiça portuguesa

Ana Gomes

Ana Gomes reagiu esta terça-feira à detenção de Michel Platini por suspeitas de corrupção relacionadas com a atribuição da organização do Campeonato do Mundo de 2022 ao Qatar.
A ex-eurodeputada associa o caso às denuncias do Football Leaks.
"O Football Leaks ainda só começou... mesmo com o Rui Pinto preso", escreveu Ana Gomes, numa publicação partilhada no Twitter.
Recorde-se que o antigo presidente da UEFA foi detido na manhã desta terça-feira. Platini foi levado para o gabinete Anti-Corrupção da Polícia Judiciária francesa (OCLCIFF).