05 janeiro, 2012

Que "modelo" sugere, caro Daniel?

Apesar da pertinência das questões levantadas por Daniel Deusdado na crónica plasmada aqui em baixo, não estou certo que "a pior coisa que nos pode acontecer seja fazer do FCPorto o líder do processo político de combate à macrocefalia lisboeta".  Estou para esta opção, como a anedota do limite da paciência: não vale a pena defecar para dentro de uma gaiola e esperar que o acto se transforme num belo canto de passarinhos... A mesma teoria aplico à regionalização. Não quero, nem preciso de me deixar matar pela ganancia centralista para me tornar num regionalista convicto. Essa, é a teoria dos falsos regionalistas, como Rui Rio. 

Deusdado diz que o FCPorto não é uma instituição pública imitável, e eu pergunto: qual é a instituição pública que o é? A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa de Santana Lopes? Diz também que o FCPorto é uma empresa notável, de um líder absoluto, mas com uma capacidade de acção e métodos que não se compaginam com decisões democráticas, e eu questiono: que líder conhecerá Deusdado, que seja simultaneamente Líder, e compaginável com decisões democráticas? Os leitores conhecem? Eu não. 

Por mim, cansado que estou de políticos medíocres e desonestos, alguns deles, verdadeiros gangsters, já aceito qualquer solução, incluindo aquela que o Otelo defendia, um golpe militar, caso fossem ultrapassados todos os limites. Venha ele. Os limites já foram ultrapassados há muito, e estão directamente ligados com a degradação social, moral e económica da actualidade. 

Só quero, firmemente, é que me tirem deste pesadelo e metam os verdadeiros responsáveis pelo status quo nos calabouços, que é também para tipos como eles, que foram criados. 


12 comentários:

dragao vila pouca disse...

Por causa das meias tintas, de que os seu artigo no JN é um bom exemplo, é que o Porto e Norte definham e têm as piores taxas em quase todos os itens.
Centralismo, sim, mas não com o F.C.Porto a ser a bandeira - como o F.C.Porto tivesse culpa de ser a única instituição nortenha que não se verga. F.C.Porto sim, mas Pinto da Costa, não, cuidado com o papão... Isto é, uma no cravo, outra na ferradura, sempre a preocupação de deixar campo para agradar a gregos e a troianos, sempre a preocupação de não elogiar o líder portista, não vá alguém levar a mal. Uma tristeza, mais do mesmo...
Poder absoluto? Não, liderança. Falta de democracia? Mentira grosseira. Os estatutos não são cumpridos, não há eleições nos prazos estatuários? Claro, que há. Ninguém aparece, porque será? Falta de democracia ou reconhecimento de uma gestão notável?

Deixei isto na página do Facebook de D.D. Tinha de o fazer.

Anónimo disse...

Deixei isto na página do Facebook de D.D. Tinha de o fazer.

_____


E já o Rui Valente podia fazer o mesmo com o seu artigo de opnião.

Fiquei desiludido com DD, mas a culpa é minha.

marujo88 disse...

Já há muito tempo que eu estou desiludido com DD,não é por este artigo,mas por este também,ser contra mas com cuidado,o que é isto?Vamos dizer não mas a seguir concordamos,ó senhor DD isso não é nada um homem tem que assumir o seu lado ou está a favor da regionalização ou não,Pinto da Costa o quê? Tomara o país ter muitos como ele, com frontalidade, com garra para defender a região norte, que tão mal tratada tem sido.Para hibrido já basta o toyota,passe a publicidade,estou farto de artigos que defendem o Porto mas logo a seguir entregam-no a lisboa,isso é o que têm feito todos os politicos do Porto que têm passado pelo governo,está na hora de dizer não aos HIBRIDOS.
Um abraço
Manuel Moutinho

Felisberto Costa disse...

A regionalização carece de informação junto dos próprios interessados, essa é que é essa!!!!
Explorem o Interior e perguntem ás gentes o que é a regionalização e a maioria pensará que é um enchido tradicional! Eu sou bairrista com muito orgulho e nenhum preconceito, mas como em tudo há que primeiro alicerçar as infraestruturas e depois avançar...
Eduquem primeiro o povo portugu~es, façam-no sair da sua letargia ignorantes e de certeza absoluta que não estaremos aqui a discutir centralismos!
Mas a ignorãncia convém a quem governa! Faz parte da idiossincracia portuguesa.

Rui Valente disse...

Felisberto,

parece que ainda não compreendeu a questão. Você diz-lhe bairrista e sem preconceitos, no entanto continua a falar na 2ª pessoa do plural:

«EDUQUEM primeiro o povo português...» «FAÇAM-NO sair da sua letargia...» Como vê, você procura sempre delegar nos outros a responsabilidade da mudança, mas no entanto critica e chama talibans a quem o faz. Não acha isso uma enorme contradição?

Participe, envolva-se, denuncie, mas não se limite a exigir.

Rui Valente disse...

Caro Manuel Moutinho,

é isso! Híbridos! É a isso que está reduzida a fibra dos nortenhos.

Uns,têm medo de perder um lugar de destaque num qualquer jornal ou televisão centralistas, e optam pelo NIM. Outros, vivem intoxicados com As Casas dos Segredos e afins, e já não conseguem pensar direito nem perceber que para mudar as coisas têm de fazer alguma coisa.

É o povinho que temos.

Um abraço

Felisberto Costa disse...

Ou falo chinês ou então a lingua portuguesa é realmente traiçoeira, carago! Quando falo na 2ª pessoa do plural falo em PORTUGAL!!!! Quando digo EDUQUEM, incluo-me nesse lote dos que educam (e tento incutir no meu filho uma cultura do saber pensar para melhor agir). Quando falo na 2ª pessoa do plural, não é para mandar os professores emigrarem. mas sim para ensinarem...
Sou um gajo que carrega caixas ás costas puxa porta-paletes e fede a peixe quando é preciso! Ser culto não significa ser-se doutor neste país de engenheiros, ou ter-se um mestrado em país de cábulas!
Posso ser carrejão, mas recuso-me a ser analfabeto!
E se me limito apenas a denunciar já muito faço em relação a esses mesmos doutores ferozes da regionalização, que uma vez em Lisboa até renegam as suas origens, o que decerto não será o seu caso.
Obrigado por me ter dedicado um pouco do seu tempo, e perdoe-me em alguma ligeireza se o ofendi...

Rui Valente disse...

Felisberto,

você não fala chinês mas não disse a quem se estava a referir quando falou de "talibans" e do Partido do Norte, e note que nem sequer pensei que se estaria a referir a mim. Os mentores da ideia foram o ex-deputado Pedro Baptista e Anacoreta Correia, seria a eles que se referia? É que, apesar de serem dois ex-deputados, há muito que estavam desligados da vida política e partidária e não são propriamente pessoas que tenham estado ligadas a governos, por isso têm toda a legitimidade para mudar, sobretudo quando a mudança coincide com o passo que precisamos de dar e que outros nos tolhem. Só por isso, já foi meritória as suas iniciativas.

Você fez uma crítica mas não a fundamentou, é só isso. De resto, não precisa de se desculpar.

Anónimo disse...

É preciso ter paciência de Jó para ouvir tanta cretinice.
Quando a regionalização (mais tarde ou mais cedo) for pra frente como eu espero, não vão faltar os Sebastionistas ou velhos do Restelo a dizer que eram a favor.
Mas quem é que diz, que neste país há democracia!?- só se for algum Deusado.
Somos roubados todos os dias por essa seita de políticos...sim essa seita que se defendem uns aos outros e ninguém vai preso! e que por sua vez, alguns ainda fazem parte de outras seitas para subir mais na vida e ter melhores tachos, passando por cima de todos.
Regionalização já.
Prisões abertas para políticos.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

Esse felisberto existe ?!...

Fernando B. disse...

Boa tarde Rui,

Com os desejos de bom fim de semana, deixe-me focar um caso, que não tendo tudo a ver com este post (se calhar até tem, mas!!!).

Quero referir-me ao famigerado Nó de Sto Ovidio, que hoje é Rotunda duma Cidade, à superficie, Estação do Metro no -1, acesso rodoviário à Auto estrada, no -2.

Estimo em mais de 30.000 hab. as pessoas que utilizam assiduamente o acesso para entrar e sair da Cidade. Estas estão há cerca de 3 anos sem aquele acesso(saida da AE e entrada em Sto Ovidio). As alternativas são a volta pela zona do Gaia-Shoping,(4/5 kms), ou então a volta por Vila D'Este e Hospital de Gaia (5/6 kms).

Reconheço a complexidade da Obra (estou ligado à Construção há mais de 30 anos), e conheço as desculpas todas (verba, verba, blá,blá,blá...).

Só que a dita cuja está pronta há 3 meses, e as desculpas esfarrapadas têm sido delirantes!

a) Os 3 proprietários (Camara + Metro + Estradas) não chegam acordo quanto ao pagamento futuro da manutenção!!! (a obra começou há mais de 3 anos!!!???)

b) Esta é espectacular! Leia só, e pode confirmar junto do JN - A obra não passou na vistoria! Esta é feita por técnicos de Lisboa que demoraram quase 2 meses a responder ao pedido de vistoria! Chumbou por causa de uma sinalização e mais uma "merdice" qualquer (desculpe).

Cá continuamos a dar a grande volta, passamos na AE a 300 mts de casa, e com as voltas e apertos nalguns locais (Av Republica e outros), podemos demorar meia hora a chegar !!! Acredite !!!

Lembro-me bem da construção do viaduto de acesso ao Continente, 200 mts à frente deste nó... Para estar pronto no Natal desse ano foi constuido em menos de 2 meses!!!

Que fazer ??!!! Como nos podemos defender ??

Rui Valente disse...

Caro Fernando,
estive para escrever qualquer coisa sobre essa provocação de termos que estar sujeitos às vistorias dos senhores de Lisboa, porque pelos vistos os fiscais do Porto não devem ser confiáveis.
Enfim, já transferiram para o governo as mesmas aberrações que usam no futebol com os árbitros. Como este fim de semana, por exemplo, que foi nomeado um árbitro de Lisboa para arbitrar um jogo entre um clube da capital e outro do Porto. Tudo muito democrático.

É um nojo, tudo isto.