26 abril, 2015

O canto do cisne do FCPorto, ou de Pinto da Costa?

Escolha o leitor, se é sócio (eu já fui)

Em termos teóricos, não se pode dizer que o FCPorto se tenha despedido hoje do campeonato e com isso o tenha entregue de bandeja ao clube que simboliza o pior que há em Portugal, mas vendo as coisas pelo lado realista, é quase como se  lhe tivesse dito adeus. Neste momento, podia falar do jogo, da segunda parte miserável da arbitragem, dizer que o FCPorto teve mais posse de bola, que jogou mais que o Benfica e que o podia vencer, mas como não ganhou, não vou perder tempo com isso, porque nesta hora de total frustração é irrelevante.

Já o que não é irrelevante - porque a carreira do FCPorto  também foi manchada por motivos ligados às arbitragens -, foi a passividade de Pinto da Costa face a esses mesmos fenómenos, pautada por um silêncio de permissividade que não lhe era habitual, e que nem os próprios adeptos compreendem. Tenho dificuldade em acreditar que Pinto da Costa não se conheça um pouco a si próprio, que não entenda que o seu comportamento já não é o mesmo, que tal como eu, outros portistas o estranhem e que por essa razão, deve uma explicação à massa associativa.

Por muito que os portistas lhe devam pelo que fez no passado, tal não lhe dá o direito de não falar com os adeptos, de optar por uma postura sobranceira e distante com eles, e em contrapartida não abrir a boca para defender o clube de todas as trafulhices que se fizeram por esses  estádios fora, quer para beneficiar o Benfica, quer para prejudicar o FCPorto. Para falar honestamente, não foi só por isso que o FCPorto falhou esta época, houve erros próprios da equipa e do treinador que não devem ser negligenciados. Assim mesmo, se Pinto da Costa tivesse agido no momento certo, como só ele sabia, se tivesse sabido defender o clube quando ele precisou, talvez isso bastasse para ganhar este campeonato.

Resumindo: se fôr para repetir a "gracinha" para a próxima época, Pinto da Costa deve ponderar bem a sua recandidatura. Para mim, é o principal responsável pelo que aconteceu em termos desportivos internos*, porque uma liderança a sério não se contenta com victórias do passado.  

*  Na Champions fomos até onde podíamos, ou até mais longe. Nessa competição, o FCPorto ganhou muito jogos e dinheiro, e chegou aos quartos de final. Isto explica em parte o que atrás disse das arbitragens em Portugal, e também porque o Benfica sem árbitros cobardes não consegue brilhar na Europa. Mas explica também as consequências do que é ter um Pinto da Costa mansinho... 
   

6 comentários:

Anónimo disse...

Em relação ao jogo o FCP tinha a obrigação de ser mais ambicioso, não foi, e provavelmente despedisse de ser campeão nacional.

Quanto à peste do arbitro, sr sousa, os Vermelhos gostam dele, por isso estamos esclarecidos.

No Porto Canal já me custa ouvir um tal Rio que por lá anda a fazer comentários, é mesmo um lambe/botas um politicamente correto não gosto de gente desta.

Eu pedia ao sr Pinto da Costa, que aos 77 anos era uma boa altura de deixar alguém ir a eleições.
Pinto da Costa Já não tem peito nem folgo, para fazer frente as roubalheiras que fazem ao FCP. Foi um grande presidente, mas, já chegou a hora.

Quanto aos lambe/botas da comissão para o novo mandato do sr Pinto da Costa, só lhes digo, são tão portistas como eu, mas metem tanto nojo por tanta bajulação.

Abílio Costa.



KOSTA DE ALHABAITE disse...

Olá Amigo Portuense!

Bem dito.
Parece que voltamos ao "antigamente". Sem liderança, dentro e fora do campo.
Que é feito daquele Porto que ajudamos a sair do jugo centralista e colonialista lisboeta?

Deacon Blue disse...

Boas!

Seria talvez apropriado organizarmos as ideias!

O FC Porto detem a hegemonía do futebol nacional hà algumas décadas e, por exemplo, ali por volta de 2000/2001, estivemos 3 anos sem ganhar mas recuperamos e hoje quando olhamos para essa estatistica, esses anos estao là, mas a hegemonía é incontestàvel. Nao se perde a hegemonía de 30 ou 40 anos em 1 ou 2 anos! Era até triste que fosse só sempre o FCP a ganhar....

Comunicaçao e política de contrataçoes!
Aquí sim, acho que hà muita coisa em que o clube necesita de ajustar-se pois têm uma forma de comunicar débil (para nao dizer ridícula) e andar a contratar sul americanos a 5 milhoes com a justificaçao/teoria de que em Portugal é caro e difícil contratar, para mim nao pega!
Ainda num passado recente, vejam-se os "milagres tugas" da época de Mourinho (Paulo Ferreira, Derlei, Nuno Valente, etc...), esta teoría é completamente ridicularizada.

Cmpts
DB

Rui Valente disse...

Deacon,

as ideias estão organizadas, porque é a questão da comunicação a mais preponderante de quase todos os meus posts sobre a liderança esta época de Pinto da Costa. Basta relê-los. Quanto ao resto, muito haveria que contar, mas lá irei.

Cumpts.

Anónimo disse...

Todos sabemos que as contratações de Sul Americanos são receitas, ou melhor, comissões, que satisfazem muitos bolsos, por isso, a formação é uma treta.
O sr Pinto da Costa diz enquanto for vivo nenhum magnata comprará o FCP, mas, já não se chateia, com carradas de estrangeirada a defender as nossas cores! Como diz o outro, "entre uma coisa e outra, venha o diabo que escolha".
Já viram a carrada de jogadores do FCP emprestados por meio mundo, e que vamos levar outra vez com eles. Será que uma administração tão pesada de funcionários e jogadores um dia destes não fecha para obras? Qual é concretamente a nossa política de contratações? Como vai ser o próximo ano desportivo? Será que vivemos acima das nossas possibilidades? Vamos ver para crer... Só peço que não venha por aí a Troika.

Abílio Costa.

Rui Valente disse...

Kosta,

boa pergunta. Também me faz espécie estes sinais de abdicação ao centralismo, por mais que queiram provar o contrário.

Que Porto este, que tripeiros estes do século XXI