16 junho, 2015

Que FCPorto teremos na época que aí vem



Pinto da Costa não me conhece, mas conheço-o eu. Conheço-o tanto quanto é possível conhecer alguém fora do nosso ciclo familiar e de amigos. Nunca me interessou muito avaliá-lo enquanto pessoa, talvez por não me relacionar com ele. Interessou-me sim, o trabalho que produziu ao longo de 33 anos como Presidente do FCPorto, e nesse aspecto sempre o admirei. 

Aquilo que para os adversários invejosos de Lisboa era irritante, a mim fascinava-me, mesmo quando PC ultrapassava os limites da cordialidade, porque a dor de cotovelo que eles não escondiam pelos sucessos do FCPorto era tanta (e ainda é) que culminou no lastimável processo Apito Dourado. O ódio deles era como um bálsamo para a minha aversão centralista. De tal modo, que nem me preocupou muito saber até que ponto podia o presidente portista estar implicado nas "frutas" e nos esquemas de que o acusavam. Isto, por uma razão muito simples: para investigarem Pinto da Costa, teriam também de investigar a vida dos presidentes dos clubes de Lisboa, porque também se dizia cobras e lagartos do dirigente do Benfica, desde o envolvimento em tráfico de estupefacientes camuflado por uma empresa de pneus, até denúncias de supostos inspectores da PJ à Procuradoria Geral da República. 

Com o Sporting só recentemente veio a público a costela de bandidola de um seu ex-vice presidente, do tal clube que há anos clama pela Taça da Transparência e da Credibilidade.  Enfim, por tudo isto nunca imaginei que o Apito Dourado tivesse pernas para andar, enquanto os outros clubes não fossem igualmente alvos de investigações. O certo, é que nem com a campanha diabólica que os media lhe fizeram conseguiram provar a culpabilidade de Pinto da Costa.  

Daí a razão da minha despreocupação com as qualidades de carácter de Pinto da Costa. Sabia-mos todos que nos momentos difíceis, tínhamos um líder que logo os resolveria. Quando falava, Pinto da Costa era ouvido com respeito, mesmo que não fosse muito importante o que tinha para dizer, mas era quase sempre importante. O clube tinha sucesso, dentro e fora de portas, ganhava troféus e dinheiro, pagava aos seus colaboradores, por que haveríamos de nos preocupar? Fosse esse o problema do Estado, e dos nossos Governos...

E agora, estará a grande comunidade portista com a mesma confiança nas capacidades do nosso presidente? Alguém acreditaria que Pinto da Costa não abrisse a boca para denunciar publicamente a protecção que foi dada ao Benfica esta época pelas arbitragens e pela própria Federação há poucos anos atrás? Então, por que se calou perante discriminação tão óbvia? E por que é que ainda não se dignou ter uma palavrinha de consideração com os adeptos para o explicar? Pois é, ninguém sabe. Mas ele sabe-o certamente, só não lhe interessa é dizê-lo. E se não o fez quando devia, também não é agora que pessoalmente me interessa saber. É tarde. Agora o paradigma do FCPorto parece ser chegar sempre tarde...

Lopetegui vai ter mais uma oportunidade para se impor no FCPorto. Como líder gostei de muitas das suas posições. Há já quem não lhe perdoe não ter sido duro quanto baste com o caprichoso Quaresma. Porque cedeu às pressões da imprensa sensacionalista e dos "quaresmistas", quando devia manter-se fiel à sua autoridade, ou seja, ser ele a decidir o momento para o recolocar a jogar. Compreendo, mas não concordo.E não concordo porque para isso devia ter o apoio inequívoco do líder, não especificamente no caso do Quaresma  (que é um jogador mimado) mas quando cabia a Pinto da Costa defender o clube nos momentos em que o treinador e o FCPorto eram atacados, até nas conferências de imprensa dadas no Dragão. E não foram perguntas inocentes, como se devem lembrar. Aqui a falha foi de Pinto da Costa, porque Lopetegui provou não ter medo dos jornalistas.

Resta saber se na próxima época Lopetegui acaba de vez com essa coisa lesa-futebol dos passes para trás e para o lado, se vai ou não dar mobilidade ao jogo atacante e terminar com os complexos para chutar à baliza. A posse de bola só tem sentido se se souber rentabilizá-la. Há que saber conduzí-la com precisão mas com rapidez e coragem para a baliza adversária. É fundamental para isso treinar muito a qualidade dos passes, o tempo que for preciso até deixar de ser um problema, como foi este ano muitas vezes.

Ontem assisti(mos) a um jogo espectacular entre duas equipas-selecções praticamente desconhecidas entre o Equador e a Bolívia. A equipa do Equador, que começou a segunda parte a perder por 3-0 foi um exemplo de garra e  bom futebol, nem gostei que tivesse perdido, apesar de ter reduzido para 3-2. Os movimentos, as desmarcações eram constantes. Não vi ali jogadores a desistirem de correr, de ganhar a bola. Não passavam estupidamente a bola para trás, tentavam ultrapassar os adversários fintando, rodopiando, olhando para colocar a bola rapidamente num colega. Lembrei-me do FCPorto da última época, perguntando-me como foi possível mesmo assim chegar tão longe na Champions, com um futebol tão previsível e monótono. Será que Lopetegui terá a mesma opinião? Era bom que tivesse e fizesse alguma coisa para mudar, até porque penso que tem condições para vencer. Só depende dele. Mas o clube, é da responsabilidade de Pinto da Costa,e esse também tem de mudar. Ou se quiserem, voltar a ser o que foi.     

10 comentários:

Anónimo disse...

Concordo com a sua opiniao.
Desde o processo apito dourado, o presidente afastou-se da liderança do clube, e com as eleições á porta, seria prudente aparecer outras candidaturas para liderar o clube e combater este estado sulista.
"O fraco rei faz fraca a forte gente.... de Luís de Camões.
Cumprimentos,

Anónimo disse...

" É tarde. Agora o paradigma do FCPorto parece ser chegar sempre tarde..."

Infelizmente parece ser verdade, a par de um silencio ensurdecedor, ou aparecer para falar do líder da federação quando o que se pedia era apoiar o treinador nas 1as denuncias do já famoso #colinho.

Serei sempre o primeiro a defender o NGP, mas está na hora de alguém na estrutura aparecer, se o líder não o quer fazer.

É que com este Porto canal (mal gerido em conteúdos creio eu) e este dragoesdiario não vamos lá.

Abr

PS: Tb sou regionalista, e até seria tão fácil pois até já temos regiões autónomas.....

Anónimo disse...

O presidente Pinto da Costa, faz, e fará sempre parte da historia do FCP como o melhor presidente até aos dias de hoje, tantos foram os títulos. Como tudo na vida ninguém é perfeito, e, ele exponde-se algumas vezes, deu jeito ao inimigo e à impressa batoteira lisboeta para o condenar com apito dourado, coisa que se houvesse justiça, os outros dois clubes da 2ª circular tinham direito a um saco de apitos dourados, prateados e de platina.
Não seria o momento do sr Pinto da Costa por varias razões, de preparar a sua saída, deixando que outros com competência servindo o FCP e não se servindo do clube para um futuro ganhador.

Aguardemos que algum responsável, ou seja o presidente, venha falar aos sócios e adeptos qual vai ser o futuro do FCP, com tantas saídas e entradas mais uma vez na equipa, se o sr Lopetegue aprendeu a lição de quem são os inimigos do FCP e se vamos ser mais uma vez, uma equipa ganhadora de títulos, e qual o futuro do Porto Canal em relação ao FCP...

Abílio Costa.

Anónimo disse...

O ano passado, dia sim dia não, la vinha mais um jogador. Estávamos eufóricos. Nada ganhamos. Este ano, pouco ou nada se ouve. Se havia centralismo, este ano o pico foi atingido pois só da os clubes da capital. Não ha mais vida para alem desses dois para tv's e jornais e rádios da capital. Dito de outro modo, todos. O Porto Canal dá os enlatados do costume. Espero bem que o pouco movimento seja sinonimo de boas escolhas. Já desespero pelo dia 08/08. Jose Carlos , RioTinto

Rui Valente disse...

Curioso. Algo de estranho deve estar a acontecer comigo e com outros nortenhos, quando falámos depreciativamente do centralismo e o Porto Canal de Júlio Magalhães tudo faz para cativar os seus fãs... Será que até nisso Pinto da Costa já não é o que era? Ter-se-à convertido à causa?
Não seria o mesmo que ver um penedo a estudar matemática, mas já nada me surpreende.

Carrela disse...

Só um reparo se me permite.

Dados oficiais no site da liga, contabilizei apenas até à jornada 32 (depois deixou de ter interesse)

O nosso Porto, comandado por Julen Lopetegui, que precisa de aprender a rematar, foi tão só a equipa que mais rematou à baliza!!

Porto:
Remates: 505
Remates à baliza: 205
Oportunidades de golo: 195
Minutos em inferioridade numérica: 156!!!!
Minutos em superioridade numérica: 88
Faltas cometidas: 473 (APENAS)
Faltas sofridas: 509

Equipa do colinho:
Remates: 447 (MUITO MENOS apesar de jogar muito mais tempo em superioridade numérica)
Remates à baliza: 213 (mais experiente, mais eficáz)
Oportunidades de golo: 201
Minutos em inferioridade numérica: 240!!!!!!!!!!!!!
Minutos em superioridade numérica: 15 (IUUUUPI)
Faltas cometidas: 541 (OLÉ)
Faltas sofridas: 523 (Equipa "grande" que comete mais faltas do que sofre?!?!?!?!?!??!)


Resumindo, Julen, nas condições em que o fez, teve mt mérito!
Foi o ano 0, resta-nos acreditar que vai melhorar ainda mais!

abraço

Rui Valente disse...

Sobre as faltas sofridas e o colinho, não há nada a acrescentar. Sobre Lopetegui, reitero o que escrevi. É preciso desemperrar a equipa de vícios que nada ajudam os movimentos ofensivos, a tal história dos passes excessivos para trás e para o lado (pessoalmente, não gosto nada mesmo), e da respectiva qualidade.
Estou convicto que esse estilo de jogo, demasiado estático, contido na rectaguarda, hipotecou os processos de ataque. Para além disso, há uma questão que as estatísticas não podem negar, que foi a facilidade com que nos deixámos pressionar por equipas de nível inferior na nossa casa, o que também afectou a concretização dos ataques. Enfim, há um sem número de aspectos a melhorar definitivamente, de contrário lá vamos outra sofrer... O FCPorto não pode contentar-se em ser o melhor nas estatísticas, tem de fazer dos jogos do Campeonato Nacional uma escola de treino para os troféus fora de portas (Champions, Liga Europa, etc. Ou seja, tem de ser muito mais ambicioso em todos os aspectos.

Carrela disse...

Eu não discordo do que diz, eu tb não gosto dos passes laterais e do excesso de passes à retaguarda qd até há linhas de passe para a frente.

Apenas faço o reparo, porque os números não mentem! O Porto, apesar dos defeitos, foi a equipa que mais caudal ofensivo produziu!
Goste-se ou não da forma como joga!

Foi também a equipa que menos remates e oportunidades de golo permitiu aos seus adversários! Aliás, como se sabe, foi a melhor defesa de todos os campeonatos Europeus!
Nas condições que se sabe.

Isto apenas para desmistificar que a posse do Porto é posse pela posse e que produz pouco em termos ofensivos! Como muitos dizem!
É MENTIRA!!! Repito, os números não mentem!

Fruto de termos uma equipa muito mais jovem, das mais jovens do campeonato! Com menos 4 anos de média em relação ao clube do colinho!
Pudemos, isso sim, atribuir alguma imaturidade, falta de experiência, o que fez com que apesar de mais caudal ofensivo, fomos menos eficazes!

Abraço

Rui Valente disse...

Okey, Carrela!

Se o problema está na imaturidade dos jogadores, então o FCPorto terá de assumir os os riscos consequentes, quero dizer, tem de estar preparado para perder muitos troféus ou campeonatos. Porque como concordará, a maturidade ganha-se com a experiência e para se ter experiência é preciso tempo. Ora, com as recentes alterações nas contratações, um tanto híbridas (empréstimos à condição de retorno às origens), como aconteceu com Casimiro e provavelmente também com Óliver, os jogadores "estagiam" no FCPorto, amadurecem, mas nada garante a sua continuidade no nosso clube. Portanto, não me parece que seja uma política lá muito fiável, a aposta na juventude em jogadores estrangeiros se corremos o risco de saírem logo ao fim da 1ª época.

Anónimo disse...

Este mercado de transferências para a nossa imprensa de pasquins desportivos, é um vender de banha da cobra, de aldrabar todos os dias os incautos leitores, ou seja, é sempre todo o defeso do futebol a mesma coisa para vender jornais.

O sr Lopetegue perde muitos minutos, mas mesmo muitos minutos, no passa repassa, que fazem sempre muita falta quando as coisas estão complicadas. Espero que o Mister seja mais objectivo pois já conhece os cantos à casa e a manha dos adversários.

Quanto ao Porto Canal, se, que já é pretensa do FCP, o Sr Pinto da Costa tem que se definir de uma vez por todas o que pretende para esta estação televisiva, a nível desportivo para o clube é muito fraca, já nem falo nas outras grelhas, essas então não vão a lado nenhum. Só são convidados os amigos do sr Juca o presidente da Câmara do Porto com assuntos da cidade nem velo.

Abílio Costa.