25 novembro, 2015

Futilidades de uma SAD burguesa, ou de sócios abúlicos?

Quando se misturam espíritos de contradição com fanatismos clubistas, é impossível fazer passar uma opinião aos destinatários, por mais fundamentada que ela  seja. 

Sou portista, o meu clube afectivo é o FCPorto. Nessa lógica, apenas me interesso emocionalmente por um clube: o FCPorto. Esse afecto, ou amor, se acharem mais indicado, só sabe colocar barreiras aos seus adversários, nunca ao FCPorto. Mas o meu, não é um amor acrítico, inibidor, um amor masoquista. Isso, seria desistir de amar a perfeição, sabendo embora da impossibilidade de a alcançar, mas consciente que o caminho é esse . 

Afinal, o que é apoiar o nosso clube? É vê-lo fugir da rota da competência, do sucesso a que nos habituou durante tantos anos, e não fazer nada? É constatar que o seu líder, outrora interventivo, presente, astuto e corajoso, que já não é o mesmo, e não ter a frontalidade de o dizer? Já imaginaram o que seria vermos um amigo, ou familiar querido, conduzir um veículo na direcção de um abismo e deixá-lo tranquilamente precipitar-se, sem o avisar do perigo, a coberto da nobre intenção de o apoiar e lhe provar que estamos sempre com ele? Será esta a receita para apoiar o FCPorto? Se é, eu não a subscrevo. Nunca!

Esta conversa é, como já devem ter percebido, dirigida àqueles adeptos bem intencionados, mas equivocados, que não admitem uma crítica por mais pertinente que seja. Mal comparando, e perdoar-me-à quem possa rever-se neste perfil, esta postura algo fundamentalista tem algumas semelhanças com as dos  kamikazes jihadistas. Não conseguem ver para além da emoção, do fanatismo inútil.

Emoções e clubismos à parte, e voltando agora à realidade portista, o certo é que, enquanto Lopetegui fôr o treinador do FCPorto, é feio e pouco avisado torpedeá-lo com críticas acintosas. Isso não ajuda nada o clube, mas pergunto: quantos dissabores (perdas de campeonatos e troféus) estaremos nós dispostos a tolerar, se ninguém no clube nos diz nada, nos informa do caminho que está a trilhar? Alguém acredita que o Pinto da Costa dos bons tempos estaria tão passivo com o que se está a passar, que já não teria tomado uma decisão salomónica? Podem-me dizer que me estou a precipitar, que ainda nada está perdido na Champions e que ainda podemos ir ganhar a Stamford Bridge. Mas foi com esse mesmo excesso de confiança que acabamos a época anterior sem um único troféu...

Estaremos nós dispostos a repetir a mesma experiência? Da SAD portista e de Pinto da Costa já deu para perceber que agora os adeptos só existem para pagar as cotas e encher os estádios... E os adeptos, estarão dispostos a ser tratados assim? E os sócios, não acham que estará na altura de lhes pedir explicações? Não se sentirão defraudados com o projecto falido do Porto Canal? Sentir-se-ão orgulhosos e realizados com a qualidade informativa e programática de um canal que anda há anos a recorrer a programas gravados e a repetições para preencher uma grelha de programação medíocre?

Pinto da Costa foi um homem a quem sempre dei o meu apoio, sobretudo nos piores momentos da sua vida. São minhas testemunhas os meus leitores habituais. Mas nada justifica tanta sobranceria, tanta falta de consideração pelo universo imenso de portistas. Esta postura fugidia, esta presidência de inércia, este inqualificável menosprezo pela comunicação com os portistas não está à altura do contributo de apoio e amizade que sempre deles recebeu. É uma ingratidão, e fica-lhe muito mal, porque agora são os portistas, e não os seus adversários que têm razões de queixa.

Algo continua mal no reino do Dragão. E não é de agora. Aos sucessos financeiros a SAD e o Presidente não estão a corresponder com os desportivos. Será uma opção "discretamente" assumida, ou uma casualidade? 

A minha intuição diz-me que é uma opção. E se assim fôr, é uma opção errada e muito pouco transparente.


4 comentários:

Deacon Blue disse...

Caro Rui,

As coisas nao sao assim tao complicadas e o futebol e isto, ou seja:

O Lopetegui nao esta a altura do desafio e o Pinto da Costa tem responsabilidades na sua contratacao, e o primeiro responsavel.
Acresce a dificuldade que vai ter para se livrar da armada espanhola...
E isto nao sao filmes! Filmes e o que andamos a ver desde o ano passado e nao queríamos acreditar, eu incluido.

Ja referi n vezes que foi este aburguesamento do clube que me levou a deixar de ir ao futebol com frequencia desde 2006!
A direccao do clube revela uma enorme falta de respeito pelos adeptos que e contra natura no FCPorto.
O problema e que no futebol muita gente esquece tudo com umas vitorias casuísticas e com umas vendas de milhoes....
Talvez ganhemos o próximo jogo e o seguinte, mas depois levamos um novo rombo que será contra os lagartos!

Isto nao e FCPorto!

Abraco
DB





Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Rui Valente, eu não vou escrever nada que pudesse acrescentar mais alguma coisa à quilo que o senhor muito bem disse, e que vem ao encontro daquilo que eu penso. Só vou salientar, que realmente alguma coisa vai mal no reino do Dragão, e todo o mortal sabe que o tempo corroí, consome e não tem piedade de ninguém. Há sempre um tempo para tudo.

Abílio Costa.

Rui Valente disse...

Sempre pensei que, apesar do baixo sentido de cidadania dos portuenses no aspecto político, quando se tratasse de defender os interesses do FCPorto a coisa fosse mais séria... Afinal, não é assim.

Compreende-se a contenção se a associarmos ao crédito de confiança de que ainda goza Pinto da Costa junto dos adeptos. O problema é que, quando decidirem intervir, se calhar o caldo já poderá estar entornado. Se deixarem depender a acção da derrocada total do clube podem correr o risco de gerar situações extremadas e se calhar injustificadas. A verdade, é Pinto da Costa está a abusar dessa confiança.