21 dezembro, 2015

O Pinto da Costa de ontem, e de hoje



Havia uma característica na acção de Pinto da Costa que, não sendo consensualmente simpática na opinião pública geral, continha aspectos muito positivos quando usada em defesa do FCPorto. Para a grande maioria dos portistas, a sua ironia, mordaz e provocante, encaixava como luva no cinismo conspirativo dos representantes dos clubes da segunda circular que, impotentes, mas cientes dos efeitos desse estilo aguerrido [dentro e fora do balneário], não descansaram enquanto não engendraram forma de o conotar como uma espécie de Al Capone do futebol português.

A Justiça Civil e o Tribunal Arbitral da UEFA, absolveram-no, apesar do vácuo das acusações que lhe eram imputadas pela (essa sim) pervertida justiça desportiva nacional, sintonizada com o coro dos media centralistas. Foi a maior sacanagem que vi fazerem a um dirigente de clube em toda a minha vida. Como portuense e portista, nunca me irei esquecer dos autores e das fontes desse atentado consentido à dignidade humana, apenas movido pela inveja. Por isso, e por muito mais, nunca apoiarei qualquer causa em que estejam envolvidos clubes de Lisboa, nem com eles me solidarizarei desportivamente, mesmo que sejam os únicos a representar o país. Se eles se esqueceram de respeitar o clube com o nome da terra que deu nome a Portugal, porque não hei-de eu esquecer-me que existem? Adiante.

Na realidade, a característica beligerante e de humor negro de Pinto da Costa não morreu, nem nunca morrerá, porque lhe está na génese, mas foi sem dúvida quebrada, e já não é ambivalente, como era. Os tempos mudaram. Agora, as suas declarações assemelham-se a breves atestados pessoais de utilidade social, quase sempre frívolos e tardios.  O seu jeito beligerante e jocoso, está lá, mas já não intimida os adversários e inimigos que o odeiam, porque inconscientemente redireccionou-o para os adeptos. Notemos. 

Quando interrogado das razões por que Lopetegui não lançou ainda o André Silva respondeu:

Já vi o André Silva em acção muitas vezes e quem quiser fazer uns quilómetros para se deslocar ao Estádio de Pedroso, também pode ver. Tenho a certeza de que é mais um jovem que chegará à equipa principal, assim que o treinador entenda que é momento de o fazer. 

Aparentemente, Pinto da Costa deu uma resposta inofensiva, descontando a impertinência habitual da pergunta dos jornalistas. Mas, será que Pinto da Costa acha mesmo que aos portistas só basta quererem fazer uns quilómetros para ver o André Silva jogar? Estará assim tão distante do país e da região em que vive para dar uma resposta destas? Estará já a confundir os destinatários dos seus recados? Não teria bastado sugerir a visão dos jogos da equipa B, no Porto Canal? Ou será que já não se lembra que o Porto Canal existe? Lembra certamente. E já agora, pergunto eu: não bastaria e ficaria mais económico ao Presidente do FCPorto deslocar-se de vez em quando aos estúdios do Porto Canal para comunicar com os adeptos sobre as questões que os apoquentam? Falar das suas relações com Rui Moreira e explicar por que é que ainda não o convidou o seu amigo para ir ao Porto Canal? Os sócios, terão só obrigações? De pagar cotas e mais nada? 

Como portista, não estou a gostar mesmo nada destes desvios temperamentais do presidente do FCPorto. Que o faça com os nossos adversários, não connôsco que não o merecemos. Que acabe com a bajulice serôdia de andar constantemente a convidar as tias e os tios da capital para darem entrevistas fúteis, de gente, e para gente fútil. Nós não precisamos de Lisboa para nada, só precisamos que nos respeitem e tratem sem discriminações de qualquer ordem. Além de mais, escolheu muito mal o timing para "apoiar" Lopetegui. Não me parece sério que queira colher os loiros da subida ao pódio da 1ª Liga, quando não abriu a boca para defender o treinador quando ele mais precisava.

Não sou um fã do tipo de futebol de Lopetegui, mas acho que o Homem não tem sido apoiado e defendido publicamente pelo presidente como devia. Só por isso, gostava que Lopetegui fosse feliz. O mérito seria só dele e dos jogadores. E se Pinto da Costa continuar neste registo de arrogância e distanciamento com quem sempre o apoiou, terei todo o direito de lhe fazer o mesmo.


2 comentários:

marujo88 disse...

Infelizmente o nosso presidente já não é o que era, e pior que isso tudo é que ele não admita essa situação.
Abraço
Manuel da Silva Moutinho

Anónimo disse...

Já vi fumo... Temos Papa. Mas para vir dizer o quê, que os adeptos os sócios só dizem mal dos treinadores! Não entendi onde ele quis chegar! não somos carneirada, se as coisas correm mal, porque não se é competente ou se inventa, o que é que o Senhor quer!? Que se pague e aplauda. Não somos todos iguais, e como tal, as reacções são diferentes.
Ganhou, vai na frente e logo aparece.

Abílio Costa.