15 maio, 2016

Introspecção

Nem sempre somos como gostaríamos de ser.  Só alguém descomedido, com overdoses de egocentrismo, incapaz de uma introspeção, pode sentir-se plenamente bem na sua pele. Quando assim é, só mesmo estas pessoas acreditam nessa possibilidade. Ou fingem que acreditam.

Pelo menos, é assim que penso. Há quem goste de viver no mundo da ribalta e quem prefira a mais absoluta discrição. Tanto uma como outra tendência, passam a deformidades, "a pratos mal cozinhados", se abusarmos nos condimentos. O melhor, é procurarmos manter-nos o mais tempo possível entre estes dois pólos. Mas, reconheçamos: no mundo em que vivemos, é muito difícil evitar os extremos. E sabem por quê? Porque para nos conseguirmos manter no meio, faz sempre falta o melhor dos moderadores: a JUSTIÇA. Com maiúsculas, entenda-se, e essa, não existe.

Após rebuscada pesquisa aos posts mais antigos do Renovar o Porto (já cá cantam 3.624, desde Maio de 2007), verifiquei que os temas preponderantes dividiam-se entre política e futebol, tipificando-se de per si em centralismo e portismo, o que é significativo... Foi por ser demasiado "perigosa" a simbiose para os adeptos da lisboetização que se inventou a palavra "portocentrismo", para criar a imagem falsa de rivalidade e desintegração. Ora, a negação da Regionalização só tem um responsável: o governo central de Lisboa. Só ele, e os deputados da Assembleia Nacional podem (se quiserem) recuperar o tema da Constituição e pô-lo em andamento. Por essa razão, não admira que 99,9% dos temas tenham andado à volta do mesmo, o que não será estranho, visto serem essas duas causas juntas que inspiraram a criação deste blogue.

Mas, apesar dos sucessivos governos viverem em "estado de graça" desde 1976 por efeito da revisão constitucional de 1997, que propositadamente lhe cravou a obrigatoriedade ao referendo, podendo assim ganhar tempo e manipular o zé-povo com a estupidificação nacional-benfiquista, foram os nortenhos, não apenas do Porto, mas de toda a região, que comeram o isco e preferiram sacrificar as suas gentes do direito a tratamento igual, a separar as águas entre os seus gostos clubistas  dos interesses primeiros no bem estar da região de origem.  Passados estes anos todos, ainda há quem não vislumbre o ardil em que caíram, vivendo com a sua região e famílias a serem discriminadas, só pela velha e salazarenta patranha do benfiquismo sempre colada aos "bons chefes de família"... Isso já não é amor a um clube, é traição aos próprios ascendentes e filhos. É tacanhês cívica!

Houve ainda um terceiro tema preferencial ligado aos outros que atrás apontei: o Porto Canal. Muita esperança acalentei na exploração dessa poderosa ferramenta, que tanta falta nos podia fazer chamada comunicação. E vejam bem, paradoxalmente, agora que mo surriparam da NOS, sem me pedirem licença, nem lhe sinto a falta. Em vez de nos fortalecer, enfraqueceu-nos. Alguém compreende tanta indigência cívica, depois de andarmos a falar sozinhos anos a fio?

Desculpem-me, mas pela minha parte não vou perder tempo com os nossos inimigos. Esses, e os que a eles se curvam, há muito que estão identificados, todos nós os conhecemos... Só quero é saber até onde estarão os "nossos" dispostos a continuar baixando-lhes as calças.

Não por masoquismo, mas para ver se consigo vomitar de uma vez tanta baixeza de carácter. É que isto, não se ganha com jogadores e treinadores. Isto, é outra coisa bem mais séria.  

PS-Hoje, seja qual fôr o vencedor, não vou ver nem ouvir nada que cheire a Lisboa.  O meu país chama-se Portugal e nele está inevitavelmente incluído o nome que lhe deu origem. No falso "país" Lisboa, não há democracia, nem honestidade. Os jornalistas são do pior que há nesta amostra de pátria.

Hoje, como aliás já faz muito tempo, o meu canal vai ser o ARTE e o TV5 Monde, com os quais me identifico como cidadão e pessoa. Hoje não estou para aturar fanáticos e corruptos com véus de primas-donas.  

6 comentários:

Anónimo disse...

Viva os bem-aventurados campeões da manipulação, da batotice, a saudade do antigamente, viva o Clube do regime. Hoje a praga está feliz, ganhou quem se aproveitou de um presidente adormecido a sonhar com anjinhos e de um outro fala barato que quis ganhar protagonismo dizendo mal de tudo e de todos a morrer na praia. Hoje é o dia do centralismo, da Lisboa do rei TAP, das Vieiras, do Fado Mouraria, do Milhafre e de todas as aves rapinas, viva Portugal e o resto da paisagem de cor escarlate.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

Paira no ar deste país um Mau Hálito que vem do Sul depois de tanta gritaria, o cheiro é intenso. O rei do "gado" da arbitragem também está feliz, viva a república das bananas. A bem do apito encarnado e de todos os apoiantes da justiça desportiva deste país.
Para o ano não se esqueçam do Andor, a porta 19 continua à disposição para recolher, a Merda a Ganza ou qualquer outro utensílio, Cacete ou Verylaite. Tudo isto, sempre a Bem da Nação.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

"Funcionários do Porto Canal a colocar fotos do 35 nos seus perfis!"

será verdade ?

Anónimo disse...

Leram o artigo do blog Reflexão Portista "Prendem as formigas, ignoram o elefante..." ??

Anónimo disse...

http://s32.postimg.org/p8rqqnitx/Captura_de_ecr_2016_05_16_s_10_13_29.png

A ser verdade já não é nada novo!!!

Anónimo disse...

Não sei o que se passa com as Sónias do Porto Canal, mas com um Tijuca que anda por lá a mandar e um presidente do FCP que em relação ao Porto/Canal foi sempre um zero à esquerda, não me admira nada que ainda apareçam por lá umas tarjas e uns cachecol alusivas ao Clube do Regime. Toda aquela merda de gente que por lá anda camuflada só tem um um destino, que é o desemprego. Mas como infelizmente o FCP vendeu a alma ao Diabo sem proteger os sócios e o clube, só com a ganância dos milhões, agora vai-se queixar ao .... ( não digo a palavra porque é muito feia.)

Abílio Costa.