30 novembro, 2016

Do futebol deprimente para as modalidades brilhantes

Acho que já não vale a pena falar do futebol sénior do FCPorto, tal é a desorientação da equipa e do treinador. De qualquer maneira, é inevitável destacar os pontos mais fracos que o futebol de Nuno Espírito Santo revela. 

Aqui vão:
  • Sector ofensivo do meio campo sem rotinas de movimentos consolidadas nas desmarcações
  • Extremos impreparados para cruzar para a área adversária com regularidade (acontece uma vez por outra). A qualidade dos centros também nem sempre é a melhor.
  • Pouca velocidade nos lances de ataque, inviabilizando os contra-ataques, facilitando assim a vida ao sector defensivo dos adversários
  • Chuta-se muito pouco, fraco, mal, e sem convicção. Tudo indica que há um défice de confiança tremendo nesse aspecto, a baliza torna-se um pesadelo para os avançados. Mesmo com espaço para chutar, preferem endossar a bola a um colega marcado de perto por um defesa.
  • Pressão alta inócua e casual
Exceptuando a decadência da SAD, são estes, quanto a mim, os principais problemas do FCPorto que me parecem caber ao treinador corrigir. Duvido que o NES seja a pessoa certa para dar a volta à situação, mas acho que não devemos esquecer que esta inconsistência de jogo já vem de trás, pelo menos, dos tempos de Paulo Fonseca, Lopetegui e Peseiro, porque na verdade nenhum conseguiu acabar definitivamente com vícios que ainda persistem, entre os quais pontuam os passes para trás e para o lado.  Podemos alegar que nos falta um ponta de lança com créditos firmados, e é verdade, mas a jogar desta maneira decerto não teria muitas chances para marcar golos. Tudo isto resumido, está preparado o caldo ideal para colocar em causa a qualidade de todosos jogadores, incluindo os defesas. O sector recuado tem tido o mérito, mas também a sorte, de não sofrer muitos golos, mas bastaria aos adversários marcar apenas um para ser todo posto em causa.

Ora, aceitando que haverá meia dúzia de jogadores no plantel sem perfil técnico e psicológico para jogar no FCPorto (dos bons tempos), outros há (a maioria) que o têm, por isso daqui concluo que os treinadores de hoje já não perdem muito tempo a preparar e rectificar individualmente os pontos fracos dos atletas, o que leva a admitir estar instalada uma uniformização dos métodos de treino insuficiente para solucionar estes problemas. Estas conclusões podem ser imprecisas, admito, mas sem podermos ver com os nossos próprios olhos como treinam os técnicos, é impossível avaliar melhor.

Para terminar, gostaria apenas de dizer que lamento que o andebol, e o hóquei em patins, não rendam tantos euros como o futebol, porque estaríamos bem de finanças. Ao contrário do que sucede no futebol, tanto o Hóquei como o Andebol do FCPorto possuem excelentes planteis. Dá gosto ver como têm evoluído os jogadores de uma e outra modalidade, e a qualidade de espectáculos que proporcionam aos adeptos. Ambos os treinadores têm-se revelado extraordinários (Ricardo Costa, e Guillem Cabestany). Oxalá não se deixem infectar pelo vírus depressivo instalado no futebol sénior... Seria o caos. Para eles, os meus parabéns e votos de felicidade. Merecem-no. Isto, independentemente do que possa acontecer no futuro, porque não será por falta de qualidade que não serão campeões nacionais e talvez (quem sabe?) mais qualquer coisa...
Plantel de Hóquei em Patins do FCPorto

Plantel de Andebol do FCPorto


  

4 comentários:

Anónimo disse...

Que dizer de todo isto de um treinador que tem muitas dificuldades porque não tem dimensão para o FCP, e vai continuar infelizmente de mal a pior, não há volta dar.
O Dono continua cego surdo e mudo, está naquela do deixa rolar, já não tem idade para se consumir esta velhinho, quem vier atrás que feche a porta.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

Motivos do descalabro:

1)SAD completamente ultrapassada.

***2)Contrataçao de tecnicos com pouca experiencia e pouco ou nenhum conhecimento verdadeiro do que é a competiçao em Portugal, na primeira liga.

3)Erros A MAIS na contrataçao e dispensa de jogadores.

4)E politica de comunicaçao longe do que era precisa tendo em conta os novos ambientes do futebol portugues.

Previsao : Infelizmente prevejo o mesmo que os enti portistas da capital do imperio ou seja o Desastre Desportivo e FINANCEIRO.


*** Porque brilhou Jesualdo Ferreira ?
Porque tinha grande experiencia como tecnico e grande conhecimento da ompetiçao. Alias AVB deve lhe bastante...

Fernando B. disse...

Acho injusto não referir o Basquetebol com o " nosso " Moncho.
Aliás é incrível ter treinadores notáveis nas 3 modalidades ( não esquecer que Ricardo Costa sucedeu ao seu Mestre, que foi o melhor treinador de Andebol que houve em Portugal) e para o futebol temos tido gente tão desadequada,para não dizer outra coisa...
!

Rui Valente disse...

Viva, Fernando B.!

Só não incluí o basquetebol, porque este ano não me dá as "garantias" do andebol e do hóquei.
Considero Moncho Lopez um treinador de excelência e um grande comunicador que tudo tem feito para fazer o melhor pela modalidade, apenas acho que não tem um plantel equilibrado e ainda suficientemente maduro para vencer troféus. Oxalá esteja enganado, mas por agora, é essa a impressão que tenho. Aliás, há-de reparar que M. Lopez não tem dado sinais de grande entusiasmo, isso é visível, talvez porque sinta o mesmo que eu, sem o dizer... Mas, esta é a minha opinião, não uma convicção definitiva. A última coisa que quero é ser injusto.