13 janeiro, 2017

Pinto da Costa, 12684 dias de liderança hipotecada


Imagem relacionada

Se houve coisa de que não gostei nada de ver hoje no Porto Canal foi o chorrilho de louvores  que fizeram a Jorge Pinto da Costa no momento menos indicado da sua carreira.  Falar da sua longevidade, da sua resiliencia e dos seus títulos, num momento em que parece outra pessoa totalmente diferente, distante, frouxa e conformista, é completamente desenquadrado no tempo, e na oportunidade. Podiam deixar os piropos para outra altura, lá mais para diante, quando esta fase derrotista e de orfandade com os adeptos estiver mais amenizada, de modo a conferir-lhes mais realismo. Assim, fica-nos uma ideia de falso, de iniciativa forçada, encomendada.

Ninguém é perfeito, todos o sabemos, mas nos últimos tempos tornou-se quase viral ver certas figuras públicas mancharem o prestígio adquirido com erros infantis que acabam por arruinar tudo de positivo que conseguiram construir nas suas diferentes actividades. Foi assim com Mário Soares*, parece ser assim também agora com Pinto da Costa. Um homem que tanto fez de positivo pelo FCPorto, que tantas victórias nos deu, que tão perseguido foi, caluniado pelos media, empurrado para os tribunais, e que mesmo assim conseguiu tudo ultrapassar, é agora o seu oposto.

Pinto da Costa é hoje um homem frágil, omisso e permissivo. Age como um perdedor e o clube acompanha-o... Não se insurge contra os actos discriminatórios inflingidos ao FCPorto, quer na comunicação social, quer nos órgãos desportivos. Consente. O pior, é que nem se importa com o sentir dos portistas ao verem-no assim tão diferente, mas responde aos que o criticam.

Para sermos honestos, é com esta imagem bipolar que temos de olhar para Pinto da Costa, hoje. Há, o do passado, e do presente. São realidades distintas, embora no mesmo corpo. No Porto Canal olha-se para o passado, salta-se sobre o presente. Talvez de um órgão de comunicação social, queira transformar-se num museu. 

Mas, para isso, já há um, não precisamos de mais.
  

*foi em Mário Soares que votei logo após o 25 de Abril

3 comentários:

Jaime disse...

E depois diz que nao aparece ninguem para o substituir!!!

Ou sera ele que concorre para que isso se passe assim ???!!!

Anónimo disse...

Eu não me entusiasmo tanto com estes recordes, porque sou FCP e não Pinto da Costa, ele fez grandes coisas no FCP e fez coisas menos boas como também tirou proveitos por ser presidente deste grande Clube. O que me incomoda, é ver o FCP chegar onde chegou, e ouvir discursos balofos do presidente e do treinador.

Abílio Costa.

Soren disse...

Estou eternamente agradecido a Pinto da Costa.

Mas definitivamente deixou de ser quem era e não soube sair quando a sua saúde lhe impediu de continuar a ser quem era.
Nesse momento e até hoje não teve a clarividência para sair em grande, depois de preparar uma sucessão à altura dos desafios.

Foi o maior dirigente desportivo de todos os tempos.