26 junho, 2017

O espectáculo já começou!


Resultado de imagem para justiça para todos

Mais que pela obscenidade e o chico-espertismo, os dirigentes benfiquistas e respectivos cães de fila pautam pela previsibilidade. Tal como esperávamos, a táctica não mudou: acusam o FCPorto dos seus próprios actos (ilegalidades).

Esta forma de actuar só é possível num país como o nosso, onde a liberdade contempla a mentira e a infâmia na companhia de adjectivos qualitativos. É tão grave e chocante, que os próprios media ganham dinheiro com essa cumplicidade.

Até o JN, que como sabem, é para mim mais um jornal do Porto em processo evidente de lisboetização, portanto centralista, colabora neste circo enfatizando os dislates do Benfica com a sua publicação. A intenção é clara, não dá para duvidar, é lançar poeira nos olhos do público para confundir, e ao mesmo tempo para tentar inverter as posições dos protagonistas. Como o Benfica se sente literalmente apanhado em flagrante ilicitude, escolheu uma vez mais a mentira para se defender. Mas, é tão banal esta táctica, que mesmo admitindo uma investigação medíocre, não faria qualquer sentido que um juíz a levasse a sério. 

A comunicação social esforça-se por fazer coro com os vermelhos passando a ideia de que a comparência do FCPorto na PJ resultou das queixas do Benfica, mas está a sair-se mal, porque bastará que o Porto Canal reponha as imagens do último programa (e de todos os outros) para desmontar a tramoia.

A par das denúncias apresentadas, Francisco J. Marques não fez mais do que convidar as autoridades policiais a investigá-las. Só alguém mal intencionado acredita que estas denúncias foram forjadas, porque tal só iria criar problemas ao FCPorto, e isso é o que menos precisa, porque já anda a suportá-los há pelo menos quatro épocas, com as consequências que todos sabemos! O FCPorto limitou-se a funcionar como dínamo da investigação da PJ e não - como essa gente vendida dos media tentam dar a entender -, como alvo da mesma. O alvo é o Benfica (seus vigaristas)! No fundo, o FCPorto está a prestar um grande serviço público à PJ, e ao país. O MP até lhe devia agradecer.  

Agora, o que se vai seguir é o que temos de prever. Estamos em Portugal. Fez uma semana que morreram 64 pessoas, e outras tantas ficaram feridas por ainda não termos  implantada no país uma política de prevenção aos incêndios, como se impunha há muitos anos. Gastámos 90% mais no combate  do que na prevenção, e duvido que a morte de 64 pessoas, o respeito a que esta tragédia obrigaria, bastem para avançar com a obra!  E atenção, o verão ainda mal começou...

Que esperar então da investigação ao Benfica, num país destes? Se provas destas não servem, então não faço a mínima ideia que tipo de provas poderão servir... Nesse caso, sugiro ao Ministério da Justiça que solicite aos futuros criminosos (se conseguir descobrí-los) o favor de avisarem a PJ e o MP da hora e do local onde tencionam praticar os próximo crimes, de forma a poderem apanhá-los com a boca na botija... Assim mesmo, convirá não se esquecerem de levar os óculos, a máquina fotográfica e as testemunhas...

Talvez assim se arranje matéria de prova convincente, não sei.

  

4 comentários:

Roque disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Rui Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felisberto Costa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Rui Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.