14 dezembro, 2017

Francisco J. Marques, chama os bois pelo nome! Só se suspeita de quem se esconde.

Resultado de imagem para francisco j marques
FJMarques


Compreendo que Francisco J. Marques se contenha na linguagem, quando levanta questões aparentemente ingénuas mas visivelmente incómodas para os destinatários, que continuam sem  lhe responder (F.P.F., C.A., LIGA,IPDJ). Compreendo o estilo, mas não concordo. 

Não concordando, também não ignoro os poderes limitados que tem dentro do clube, e que isso o obrigue a acatar recomendações superiores. 

Valorizo o que Francisco J. Marques está a fazer, porque, mesmo sendo pago pelo FCPorto, está a realizar um trabalho importantíssimo, não só para o clube como para a própria sociedade, pelo menos para aquela parte que convive mal com a canalhice. Outra condicionante, que convém não esquecer, consiste em evitar dizer algo que possa comprometer o andamento das investigações. Mesmo assim, depois de revelada documentação abundante com indícios comprometedores para os órgãos que tutelam a disciplina do futebol, sem que estes tenham mostrado a mínima disponibilidade para esclarecer a sua posição, ou colaborar com a investigação em curso, é inútil continuar a apelar ao bom senso, porque está visto que é coisa que não têm. 

Daí, que o FCPorto não tenha razões para se preocupar se, pela boca de Francisco J. Marques, levantar suspeitas sobre a idoneidade da Comissão de Disciplina e da APAF. Como cidadão, digo aqui e sem qualquer receio, que o comportamento destes organismos se assemelha mais ao de cúmplice (do escândalo dos emails), do que de uma autoridade reguladora, e ainda menos, de uma entidade disciplinadora. As responsabilidades são para assumir, não são para fugir. Pior: as responsabilidades não são para intimidar quem tem o direito de as exigir. E é só isso que, a tutela tem feito. Intimidar.

Gradualmente, o Francisco J. Marques vai chamando os bois pelo nome, é verdade. Estou atento, e também aceito a sensatez estratégica, só que às vezes, é preciso "picar a caça" para a forçar a sair da toca. Enquanto se espera que ela saia pelo seu  próprio pé, vamos dando tempo aos "coelhos" para procurarem outra lura, e daí quem sabe, para nunca mais serem vistos.  

Lá diz o refrão: há momentos em que a melhor defesa é o ataque.  Sobretudo quando sabemos que nada fizemos de condenável.      

1 comentário:

zeportista disse...

Caro Rui

Para mim o FJM éa lufada de frescura e de "vivência" que francamente pensava já ter morrido no FCP.
E é corajoso, mas educado e com princípios ( não duvido que os dados intimos dos mails, já estariam no publico...se fosse outro clube a liderar este processo ).
Claro que para a matilha dos vermelhos ( sejam dirigentes, "jornalistas" ou adeptos do clube do Regime ) é um ser "mau". Pudera.
E tem que ter a perseverança de assim continuar.
abraço