12 dezembro, 2017

Símbolos do ""orgulho"" nacional, com uma curiosidade...

BPN (assalto laranja ao país)
fundado por ex-governantes do PSD serviu de plataforma para branquear capitais e distribuir dinheiro pelo círculo próximo do partido. Foi entregue ao capital angolano a preço de saldo. Quem paga? Os contribuintes (cerca de 7.000 milhões de euros).

BCP (OFFSHORES):
Banco falseou as contas e escondeu a atividade de dezenas de offshores controladas por testas-de-ferro e usadas para comprar ações próprias (buraco de 600 milhões de euros). 

PORTUCALE (Submarinos, e financiamento partidário)
A primeira passagem de Paulo Portas pelo Governo ficou marcada pelas suspeitas de pagamento de luvas em negócios onde o Grupo Espírito Santo marcava presença, quer como parte interessada, quer como intermediário. Os escândalos ficaram impunes e há um milhão de euros depositado na conta do CDS no BES cuja proveniência continua em segredo.

CTT (administração PSD acusada de fraude)
vendido duas vezes no mesmo dia, deu origem a uma investigação à gestão de Horta e Costa, nomeada pelo Governo Durão/Portas.O rasto da corrupção nos CTT também passou pelo BPN e abriu um buraco de 13,5 milhões nas contas da empresa pública.

CASO SÓCRATES (biografia que dispensa comentários)

BPP (lucros para accionistas, buraco para os contribuintes) 
arruinado pela incompetência dos administradores, que "transferiram" as perdas dos investimentos para as carteiras dos clientes. Antes de falir, o banco pagou milhões a accionistas como Balsemão, Saviotti e João Rendeiro.

Lamento confirmar um facto doloroso: Portugal, é um país altamente profícuo, em matéria de escândalos. É essa a razão porque não tenho tempo para falar de muitos outros casos igualmente vergonhosos.

Apesar disso, a democracia supera tudo. É implacável  e não perdôa trafulhices. Os media, zelosos do serviço público, não deixam passar nada. Nada? Nada? Não! Segundo fontes fidedignas parece que há uma adenda no código deontológico da classe,  que a obriga ao silêncio se as notícias a divulgar tiverem contornos criminosos num caso excepcional. A adenda tem o Nº. 18,e na capa tem uma Porta que  reza assim: é proíbido dizer mal do Benfica.

Como bons profissionais que são, os jornalistas obedecem.


1 comentário:

Anónimo disse...

Este país parece uma República das Bananas, os Bancos são uma praga de chulos dos portugueses, para alem dos roubos e más gestões de administradores incompetentes e gatunos.
A grande parte de jornalistas da nossa praça são servilistas, benfiquistas, uns boys sem ética e alguns pouco recomendados.
Frase da semana " Não se metam com o Benfica nós estamos acima da Lei"

Abílio Costa.