09 dezembro, 2009

As birras de Jesualdo

No fim do brilhante jogo de ontem com o Atlético de Madrid que o FCPorto venceu categoricamente, Jesualdo Ferreira aproveitou a boleia para mandar uns recados aos adeptos exigindo-lhes um maior apoio no futuro. Hulk*, o autor daquele autêntico míssil que foi o 3º. golo, não quis ficar atrás do técnico e também não se coibiu de enviar umas "mensagens" aos adeptos que o criticaram ultimamente.
Antes de me pronunciar sobre estes assuntos quero realçar um facto para memória futura, que é o seguinte: não há nenhum treinador ou jogador que queira mais ao Futebol Clube do Porto que os adeptos e simpatizantes. Colocadas as coisas no seu sítio, vamos às declarações de Jesualdo e Hulk.
Ontem fiquei satisfeitíssimo com a exibição e o resultado do meu clube, não obstante alguns períodos de jogo, breves [felizmente], de ligeira desconcentração que aliás têm sido notados em todos os jogos, incluindo os dois últimos que venceu com aparente à vontade e superioridade. A verdade [e ainda bem que assim é], é que a equipa demonstra claros sinais de subida de forma, facto que saúdo com o maior prazer. Por conseguinte, ontem, todos gostamos um bocadinho mais, tanto do treinador, como dos jogadores. E então, será isso, mau?
Há uma célebre frase antiga, uma espécie de Hino ao Amor, que encaixa perfeitamente no afectos clubístico dos portistas, que diz assim: "Amo-te! Hoje, mais do que ontem, e bem menos que amanhã!". Tirando honrosas excepções, haverá pouquíssimos jogadores e principalmente treinadores, que ousarão sentir o mesmo pelo clube que representam. São profissionais de futebol pagos [e bem] para jogar, não são adeptos. Hoje estão no FCPorto, amanhã no clube que lhes pagar mais. Essa é a sua maior "paixão". Os adeptos, e o clube, pagam-lhes para os ver jogar e eles jogam para lhes darem o maior número de alegrias possíveis, que devem resumir-se a dois pontos: vitórias e boas exibições. Para a grande maioria dos adeptos, o futebol tem de ser um espectáculo, onde só há três possíveis resultados objectivos: as vitórias, os empates e as derrotas. Mas gostam sobretudo da mistura do futebol bem jogado com... as vitórias.
Não será pois, o facto de ontem o FCPorto ter jogado bem e conquistado na casa de um valioso adversário uma robusta vitória, que esvaziará o sentido das críticas que alguns adeptos [incluído eu] lhe dirigiram, porque não foram críticas ôcas nem apressadas. Os olhos vêem o que vêem e a inteligência limita-se a reagir à qualidade dessa visão. Ontem, ficámos satisfeitos porque os nossos olhos viram um espectáculo de futebol agradável, do mesmo modo que ficámos descontentes e desconfiados quando acontece o contrário. Não há bons e maus adeptos, há apenas adeptos mais pacientes do que outros, mas nenhuns podem levantar o ceptro da razão antecipadamente. Todos podem [e devem], isso sim, é fazer as suas críticas, mesmo que discordantes de outras. É assim.
Agora, o que o Mister Jesualdo não pode, nem merece, é receber aplausos quando os sinais que dá para o exterior do seu trabalho são negativos, com demasiadas exibições frouxas e sem fio de jogo atempadamente implantado. É preciso tempo? Claro que sim, mas não podemos dizer que o forte de Jesualdo seja atalhar caminho para ganhar esse tempo, porque nem sempre ele sobra para se recuperar pontos perdidos, e nem sempre os adversários ajudam, esperando... Ele, é que é o treinador, mas nós é que somos os espectadores. Não é? Ou seremos uma massa acéfala de gente sem direito a ter opinião?
Por outro lado, as declarações de Hulk no final do jogo, justificando a sua fase menos boa por ter andado adoentado, dão razão a quem tem criticado Jesualdo, porque seria importante para os adeptos e para o próprio treinador que, a ser verdade essa situação, lhes fosse transmitida, por uma questão de respeito. Há pois que não descurar o aspecto comunicacional com os adeptos porque são eles a alma do futebol. É desse detalhe que Jesualdo às vezes parece esquecer-se.
Portanto, pessoalmente, quando tiver que o criticar critico, quando tiver que o elogiar, elogio, mas sou eu quem escolhe os timings e decide. De resto, o que eu quero mesmo é ficar completamente convencido que Jesualdo é o treinador que FCPorto precisa. Surpreenda-me, caro Jesualdo e obrigue-me a engolir mais um sapo com outro campeonato, porque são sapos saborosos, embora de difícil digestão...
*É até possível que as críticas de Hulk não tenham sido dirigidas aos adeptos [ele não o explicitou], de todo o modo, é lamentável que o jogador tenha jogado adoentado sem que os adeptos tenham tomado conhecimento. Depois, Jesualdo não tem de que se queixar.

23 comentários:

Anónimo disse...

Não sei se o Professor JF, vai ganhar o campeonato.

Mas do que já suspeito fortemente, é que já está a caminho de formar outra belissima equipa.

O resto são tretas.

Rui Valente disse...

O futuro, é sempre uma treta, incluindo as suspeitas de um caminho promissor...

dragao vila pouca disse...

Caro Rui, como lhe tinha dito e que vou postar amanhã, o que penso vai de encontro ao que está transcrito no post.

Criticar, desde que com respeito, objectividade e com espírito construtivo, é o dever de todos os portistas. Quem não for capaz de perceber isto está no clube errado.

Um abraço

Anónimo disse...

No Dragão há "pipoqueiros" a mais e adeptos a menos.

Anónimo disse...

Estou de acordo.
O futebol é um espectáculo caro.
Quem gosta do clube e paga,tem
todo o direito de exigir.
O treinador e os jogadores são
empregados a prazo, e ganham bem!..
por isso têm que dar o seu melhor.
Nós adeptos e os sócios sintimos a Instituição.Os outros !...

Gostei muito do FCPorto nestes dois útimos jogos; espero que seja
para continuar. Lá estarei no Dragão no jogo com o Setubal.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

Antes de mais os meus parabéns pelo blog que costumo visitar com regularidade, apesar de morar em Coimbra.
Sou da opinião de que Jesualdo é sem dúvida o 2º pior treinador da história do Porto (o 1º trata-se do Octávio). Quanto aos sapos, eu ainda não engoli nenhum, isto porque quem teve no plantel nestes últimos anos jogadores como nós tivemos (e até batemos records nas transferências) deveria ter feito bem melhor.
Ainda Octávio Machado: quando treinava o Porto era uma desgraça, entrou Mourinho, e foi o que se viu: Dois campeonatos, Uefa, Liga dos Campeões…
Ainda dizem que os treinadores não jogam. Poupem-me! Até dou o exemplo do Benfica que não tem metade da qualidade a nível de jogadores como o Porto tem…

Gil Oliveira

Rui Valente disse...

Caro Gil Oliveira,

Obrigado pelas palavras de apoio.

Quando digo que não me custa engolir outro sapo, faço-o respeitando o princípio que os resultados traduzem. Aprecie-se ou não, o tipo de futebol de Jesualdo [e eu não aprecio], os factos falam por si: 3campeonatos seguidos fora a Taça de Portugal...

É estranho, mas por vezes no futebol há situações algo contraditórias, como é o caso.

Muitos adeptos satisfazem-se apenas e exclusivamente com vitórias. Eu, de certo modo compreendo-os,mas não consigo esquecer a sucessão de jogos sofríveis que Jesualdo nos obrigou a digerir, tanto na época passada como esta, porque gosto de bom futebol. Foi o caso de ontem e do jogo com o Guimarâes. É pouco, para quem gosta do futebol espectáculo.

Mas, vale mais tarde que nunca!

Um abraço

Anónimo disse...

Uma vergonha, a RTP no telejornal das 20H nem falou nem mostrou o resumo do jogo de ontem, isto tem de acabar é uma verdadeira palhaçada temos de ter uma atitude nao sei qual, mas alguém tem de fazer alguma coisa.

Cumprimentos a todos, especialmente aos socios do F.C.PORTO

Anónimo disse...

na realidade o fcp nestes ultimos 30 anos habituou tão mal os seus adeptos que alguns parecem viver no mundo da lua!
Que soberba !!!

Rui Valente disse...

De facto é uma vergonha o que a RTP fez, mas pode ter a certeza que vai continuar a fazer mesmo que o FCPorto ganhe a Liga dos Campeões. Sabe porquê? Porque nós não temos quem nos defenda, estamos entregues a nós próprios, e eles sabem isso.

Porque este é um problema político e não é o FCPorto nem o Pinto da Costa que têm de o resolver, somos nós portuenses, sobretudo os simpatizantes e sócios do FCPorto,mas também do Boavista, do Salgueiros, do Leixões. Todos que aligeiram as frustrações nos êxitos do FCPorto, mas isso não chega.

Os super dragões se fossem criativos e mais participativos em questões sociais e políticas podiam aproveitar para dar umas alfinetadas ao Centralismo de Lisboa com os cartazes que levam para os Estádios. Mas não, estão à espera que o Pinto da Costa resolva tudo. Temos de ser mais arrojados.

Rui Farinas disse...

A todos aqueles que acham que criticar construtivamente o nosso clube - seja jogadores, treinador ou mesmo a Sad - é derrotista e anti-FCP, permito-me dizer que a insatisfação é a base de todo o progresso. Como seria a nossa civilização se os homens das cavernas se tivessem acomodado a viver como então viviam?
Por isso, caro Rui Valente, eu aplaudo este post e também todos os outros que exprimam insatisfação construtiva.
Um abraço.

meirelesportuense disse...

Meus caros, escrevi ontem algures, que se o FCPorto ganhar os dois jogos que se avizinham eu deixarei de criticar o Professor...É evidente que se isso acontecer é porque o Porto irá poder ser mais uma vez Campeão, mas não invalida o facto de todas as minhas críticas terem sido feitas o mais acertadamente possível...Todo o desenvolvimento a que estamos a assistir no nosso Futebol só nos vem dar razão, se não criticássemos porventura nada teria sido feito...Só espero é que ele me deixe sem argumentos e que, para isso, me atire com muitíssimos factos!
Uma abraço a todos...Passem pelo Dolce Vita.

Anónimo disse...

se não criticássemos porventura nada teria sido feito...
_________

Acreditam mesmo nisto ???!!!

Então porque andamos tantos anos (16+19) sem ganhar nada ???!!!

É que nessas alturas criticas e insatisfação eram um fartote e razão para elas não faltavam.
Mas apesar das criticas e da insatisfação ( até um carro de um Presidente foi seriamente danificado...) s situação só piorava!!!!!!!!!!...

Anónimo disse...

Ò carissimo Meireles e esta nossa gente sabe fazer mais alguma coisa do que "criticar" ?!

Anónimo disse...

não há nenhum treinador ou jogador que queira mais ao Futebol Clube do Porto que os adeptos e simpatizantes.
__________

Ò carissimo RV há tanto adepto a dar tiros nos proprios pés...

Rui Valente disse...

Ó caríssimo anónimo, para onde é que você aponta os tiros? Para a sua cabeça?

Já lhe ocorreu cometer uma boa accção e passar a identificar-se a dizer claramente o que quer? Eu não o percebo.

Zé Luís disse...

Caro Rui Valente,

não acredito em certos mitos aqui aflorados:
1) que os adeptos são exigentes e é condição sine qua non para vencer
2) que os adeptos vêem.

Ao escrever:
não há nenhum treinador ou jogador que queira mais ao Futebol Clube do Porto que os adeptos e simpatizantes

está à partida a apoucar treinadores e jogadores, desconfiando que nunca darão o máximo por não serem originariamente abençoados pelo portistamo desde pequenino.

Eu tenho combatido, dentro do possível mas ciente de ter pouco alcance nas minhas palavras (e actos que procuro que elas descrevam), este tipo de autoconvencimento.

Porque, ao contrário do que é exposto, os adeptos criticaram sem verem. Sem verem as condições em que Jesualdo tinha de fazer a equipa.

Agora, se os adeptos vêem bom futebol, devem ver a diferença que antes não viam: a presença de jogadores bons, em forma e competitivos como Fucile, Varela e Cebola. Os dois primeiros estavam em grande quando se lesionaram. Sentiu-se logo a ausência. Aliás, eu senti e registei isso por escrito logo no 1º jogo em P. Ferreira. Subitamente, o profe tirou o Varela que fizera uma pré-´
epoca em grande e meteu o Rodriguez que não fizera pré-
epoca.O Cebola, já vimos no ano passado, é uma máquina de resistência que demora a aquecer. Está a apresentar-se, só agora, no seu melhor.

Os três que refiro, e não o Hulk, foram fundamentais: quer nas ausências, quer agora nos jogos em que participam.

Os adeptos vêem isso agora? Então porque não viram antes? Têm consciência da justeza das críticas sem colocarem todas as vertentes do problema?

É isto que eu discuto e procuro levar as pessoas a pensar. Não adianta. Há um ano tive uma luta tremenda para dizer que acrditava naqueles rapazes e no treinador. Como tenho vindo a fazer.

Ah, vão perguntar, mas o Porto tem de ter um plantel para todas as exigências e se faltam 3 bons tem de haver 3 bons no banco.

Isto é outro mito. Nenhuma equipa tem plantel para fazer duas equipas que se equivalam. Porque, então, faziam duas equipas e acabavam nas duas primeiras posições do campeonato.

Fiz-me entender?

portodocrime disse...

Amigo Rui Valente.
digo eu,
se ganhármos lá na capital do centralismo,
"bá lá",
"bámus"desculpar o professor.
ok?
a questão dos apoiantes do FCP,
acho excelente.
mas será que eles podiam perçeber isso?

Abraço

Rui Valente disse...

Zé Luís,

está no seu direito de discordar de mim, como eu de discordar dos seus argumentos. Comecemos por este:
«Ao escrever:
'não há nenhum treinador ou jogador que queira mais ao Futebol Clube do Porto que os adeptos e simpatizantes',

está à partida a apoucar treinadores e jogadores, desconfiando que nunca darão o máximo por não serem originariamente abençoados pelo portistamo desde pequenino.»

Porque é que a interpretação do que escrevi tem de ser essa de "apoucar teinadores e jogadores" e não a de reconhecer os factos? Não é verdade que os jogadores e treinadores são profissionais e que vão para onde lhes pagam mais? Se é, porque é que o meu amigo inquinou a questão para o lado da "desconfiança"???

Talvez haja casos que você conheça de adeptos que trocaram de clube por dinheiro, mas se conhece não devem ser muitos, calculo. Olhe, eu não, nunca, jamais, em tempo algum!!!

Quanto às críticas que fiz a Jesualdo, são tão legítimas como é a sua confiança. E mantenho-as, o que não significa que esteja a ser pessimista, mas tão só, que o futebol que vimos até há 2 ou 3 jornadas atrás foi extremamente medíocre.

É verdade que lhe faltou o Varela e depois? Isso explica a tremideira de toda a equipa em quase todos os jogos? O Hulk jogou doente, ou mentiu, ou Jesualdo omitiu? Os famosos "processos" já foram assimilados? Bem, espero que sim, porque a partir de agora Jesualdo já não tem muita margem de manobra para continuar a "processar". Mas, não esteja à espera que os adversários directos facilitem sempre [e não estou c/ isto a insinuar que o FCPorto tem ganho sem mérito, atenção!], porque podem algum dia[espero que nunca!] não dar tanto tempo a Jesualdo. Está-me a entender?

De resto meu caro, não se convença da infalibilidade da sua confiança, porque as coisas podem dar para o torto... Espero sinceramente que não, e que o meu amigo não se sinta mais portista do que eu, apenas pelas nossas divergências de opinião ou, se quiser, gostos...

Entendido?

Rui Valente disse...

Amigo Porto do crime:

não repare quando não responder aos comentários, às vezes falta o tempo e outras é porque concordo implicitamente com o que se diz.

«a questão dos apoiantes do FCP,
acho excelente.
mas será que eles podiam perçeber isso?»

Esse é o nosso grande dilema, o Pinto da Costa tem de aguentar com tudo! Coitado!

Um abraço

Zé Luís disse...

Não, Rui Valente

a questão do apoucar é partir do princípio errado de: ah, eles são jogadores, logo não são fiéis ao clube, vão aonde lhes pagam e tal.

Esse princípio está errado. Juntar-lhe o lado afectivo do "adepto que nunca muda de clube" não favorece o argumento.

A questão da confiança não se põe. Algum dia o FC Porto não ganhará o campeonato. Certo? Para mim isso é líquido. Pode ser esta época, na próxima, daqui a 10 anos (não era mau...), mas não vai ganhar sempre. Eu estou sempre preparado para julgar e comentar o momento, o balanço faz-se no fim.

E comentar o momento é, insisto, perceber porque é que a equipa passou a jogar mal? Eram os "processos"? Eram as frios ou os calores? Eram os relvados ou os adversários? Eram, na verdade, alguma coisa. E coisas não negligenciáveis.

Ora, se os próprios adeptos, que conhecem os jogadores, que vivem o clube, que sabem das peripécias, que vêem os jogos, que acompanham os altos e baixos da sua equipa, a dado ponto não percebem que, por muito que os desgoste, a equipa momentaneamente está mal porque lhe faltam um, dois, três jogadores (mais ou menos) titulares de caras, isso chama-se atenuante. E, assim, todas as considerações devem partir daí, ou não podemos ser mais condescendentes para com aqueles que gostamos?

Não é o criticar, é fazê-lo sem ter em conta todas as variáveis (muitas e que muito influenciam) na constituição de um plantel ou a eleger um onze para entrar em campo.

É esse o meu ponto e achei deslocadas, mas não injustas, as críticas recentes. As coisas, naquele momento, não podiam sair bem. Podiam era terem sido disfarçadas, mas não foram. Podíamos ter ganho ao Belenenses sem favor, nem seria favor se fosse validado o golo de Farias muito mal anulado por fora-de-jogo inexistente.

A partir de um jogo fraco sem alguns jogadores importantes de fora (ou dentro mas sem a melhor condição, como o Cebola), os piores resultados (e a horrenda exibição do Marítimo, essa sim sem desculpa) agudizaram as críticas. Não tendo em conta que faltavam peças importantes.

Só isso. Nunca disputei o título de mais portista do que os outros. Digo sempre que nem sócio sou, mas não é por isso que sou menos portista que outros que o sejam.

Chamo a atenção para a leviandade de críticas que deviam ser devidamente ponderadas e contextualizadas.

Agora é fácil bater palmas. Não é uma questão de confiança, repito, mas a verdade é que (o jogo do Rio Ave mostrou-o) mesmo as melhoras mais nítidas não foram devidamente avaliadas e ficou-se pelo resultado à justa para continuar a temer-se pelo futuro. E mais do que o presente, que foi criticado sem ponderação devida, insisto, nunca poderia temer-se o futuro. Não houve muitos que temeram e escreveram que pelo Natal ficaríamos a 15 pontos do Benfica?

Zé Luís disse...

Pois, Rui, é claro que não gostei. Mas uma coisa é não gostar do que se vê mas perceber que, naquele momento, a equipa, aquela equipa possível, não dá para mais. No Marítimo foi horrível, simplesmente horrível. Mas vou criticar o treinador, porquê? Aqueles jogadores não dariam para mais. Simplesmente isso. Não é iludir a questão, é avaliá-la devidamente.

Eu também critico, mas também reparo. Avalio as exibições que, há um mês, eram desagradáveis. Mas tento perceber porquê? Os adeptos, normalmente, não se fazem perguntas (a si próprios).

Quando começou a tremideira? Com a Académica. O que sucedeu? Logo aos 2', Fucile saiu lesionado. Sapunaru é uma nódoa a atacar, agora defende um pouco melhor mas torna a ala direita inconsequente por não atacar. Solução de Jesualdo? Mariano. As pessoas não gostam. Mas também faltava o Varela. Que fazer? Tentar o Hulk. Com os seus defeitos: e se as defesas não lhe dão espaços? E como fica a protecção defensiva ao lateral?

Em resumo: todo o lado direito funcionava mal.

Na esquerda, Álvaro é insuperável em esforço. Começou a jogar o Cebola a ala/extremo. Saído de lesão prolongada, com pré-época estragada, precisa de ritmo e de ganhar confiança. Nada lhe saiu bem: fintas, 1x1, cruzamentos, remates.

Como solucionar? É o Rui Valente? Não, é Jesualdo. Podia fazer melhor? Só inventando jogadores. A questão era, como o profe confessou, ir tentando mascarar as dificuldades. Não deu. Mas foi infelicidade (e um árbitro contra) com o Belenenses. No Marítimo foi o naufrágio. Esse sim, o pior dia, aquele que caiu mal em todos, mesmo nos jogadores e no treinador. A equipa bateu no fundo.

Mas, com nova paragem de campeonato, recuperaram-se jogadores. Aí estão Varela e Fucile. Com Fucile e Álvaro, como já escrevi, as laterais funcionam como deve ser: fortes a atacar, fazendo-o à vez; bons a defender.

O futebol é um jogo colectivo com pequenas combinações sectoriais que, no conjunto, tornam a equipa forte em todos os espaços. Diz-se, então, que a equipa funciona como um harmónio, ou em sincronia. As laterais, os laterais com os alas, os laterais com os centrais, os médios entre si, os atacantes, todos se entendem quanto melhores forem e estiverem em boa forma física e psicológica. Porque jogar eles sabem.

Precisamente por estes "reforços" terem regressado em bom plano a equipa subiu. Logo, as más exibições resultaram de não terem participado. E é todas estas condicionantes que levo em conta, direi alguma racionalidade a analisar um jogo e uma equipa.

Continuo a acreditar que muitas das críticas nunca tiveram em conta estes factores, como procuro demonstrar. Não é distorcer o que você e outros dizem, é ver as coisas pelo prisma que me parece certo. Daí essa "confiança" que acha eu ter. Nos jogadores e no treinador.

Você diz que ele é o líder. E isso quer dizer o quê? Todos os técnicos são líderes, têm jogadores sob o comando e mandam para o campo quem entendem estar melhor. Mas um é campeão, outros descem de divisão. Temos um péssimo hábito de apontar todos os males de uma equia ao treinador. Além da pretensão de acharmos que o plantel faz duas equipas de valor equivalente. Não é bem assim. Ninguém tem isso. É mais fácil integrar um ou dois, três ou quatro já é mais complicado e por aí fora.

Repare que eu nunca falo dos que já saíram. Eram bons, renderam dinheiro, foram embora, obrigado, parabéns e as melhoras. Jogamos com os que há. Mas nem todos estão operacionais, aqui e ali.

Se me dissessem que a jogar sempre com os mesmos o FCP fazia jogos muito maus e muito bons, algo estaria mal com os jogadores. A realidade veio provar que só com os melhores o FC Porto nos satisfaz. Não tem sido assim sempre?

Rui Valente disse...

«a questão do apoucar é partir do princípio errado de: ah, eles são jogadores, logo não são fiéis ao clube, vão aonde lhes pagam e tal.»

Esta conclusão, repito, é sua. É você quem a escreve, talvez por má fé. Não eu.

Ó Zé Luís, tenha lá paciência, mas você está a querer à força dar a interpretação distorcida daquilo que eu escrevi e isso também não me parece correcto, e ainda menos elegante, entre pessoas que gostam do mesmo clube. Você está a emitar os políticos, a querer pensar por mim? Não vá por aí, porque é perder tempo.

Eu critiquei explicitamente o treinador, e não os jogadores. Ele é que é o Líder. É sob a influência das suas directrizes que os jogadores respondem em campo[ou não], e o que me parece, e não sou só eu a pensar assim, é que em certos jogos os atletas pareciam baratas tontas, atrapanhando-se uns aos outros. Você gostou? Ficou confiante? Não acredito. Eles nem sabiam onde se colocar, como se movimentar, etc.

Bolas! Só podemos criticar no fim do campeonato quando [ou se], ele estiver perdido? É?

Mas que susceptibilidade!