29 abril, 2011

Metro do Porto vai testar código universal de cores para daltónicos


Miguel Neiva
A Metro do Porto vai implementar a fase de ensaio para utilização do código universal de cores para daltónicos entre final de Maio e início de Junho, na estação do Hospital S. João, podendo alargar depois a toda a rede.

O ColorAdd®, criado pelo designer português Miguel Neiva, é um código universal que permite aos daltónicos, através de símbolos, distinguir as cores, estando já implementado na triagem do Hospital S. João, no Porto, numa edição de lápis de cor da empresa Viarco, entre outros.

A Metro do Porto inicia assim a fase de ensaio deste sistema na sua sinalética, começando pela colocação de um painel complementar com o código na estação do Hospital de S. João, estação terminal norte da Linha Amarela e uma importante interface com a STCP.

Segundo fonte da empresa, a colocação nesta estação está prevista para ser feita entre o final de Maio e o início de Junho, na mesma altura em que será disponibilizado no site da Metro do Porto um mapa de toda a rede onde o código é utilizado.

Depois da instalação do painel complementar à restante informação, a Metro do Porto irá fazer um inquérito aos clientes daltónicos para perceber o impacto, as vantagens e as mais valias deste tipo de código.

Outra das preocupações da empresa é que a colocação desta informação para os daltónicos não colida com a restante disponibilizada ao público.

Caso se opte por adoptar o sistema, a empresa irá estudar a forma como apresentar a informação ao público, tendo em conta quer os daltónicos quer os restantes clientes.

Previsivelmente, e segundo a mesma fonte, se o processo avançar e o código universal de cores para daltónicos for disponibilizado no Metro do Porto, será aproveitada toda a mudança de sinalética imposta pela abertura da nova estação de Santo Ovídio, da Linha Amarela, apontada para Setembro.

O criador do ColorAdd® disse que caso o projecto avance, o Metro do Porto será “o primeiro sistema de transportes do mundo inclusivo para daltónicos”, realçando a importância deste estudo prévio para o projecto.

Miguel Neiva reforçou ainda a importância da integração deste código mas sem prejudicar a leitura dos restantes utilizadores que não sejam daltónicos, salientando que não se pode “estar a inclui uns e a excluir outros”.

Apesar do processo ir entrar agora na fase do estudo, o criador do código disse estar “convencido” de que este será concretizado.
[Porto24]
Código para daltónicos

Sem comentários: