06 junho, 2011

Rescaldo eleitoral

Tem absoluta razão  Pedro Baptista, em afirmar que se "se vivêssemos numa democracia   real, derrotaria com facilidade Aguiar-Branco do PSD, Assis do PS, Ribeiro e Castro do CDS, João Semedo do BE e Honório do PCP, porque todos eles, tendo descoberto nas últimas semanas os encantos do Porto eleitoral, nunca abriram a boca no parlamento, nem quanto ao roubo dos fundos do QREN desviados para Lisboa, nem quanto à situação de ser o Norte Litoral a única região a pagar as SCUT..."  E como não havia de ter razão, se o que ele diz corresponde a uma realidade concreta, orfã das "muletas" de uma comunicação social oportunista e desonesta, que consegue esta coisa paradoxal, que é manter próximo do poder os três partidos [PSD, PS e CDS] mais responsáveis pela gravíssima crise que o país atravessa?

Pois é. Mas, apesar disso, inexplicavelmente, continuará a haver quem olhe de soslaio para os pequenos partidos, sobretudo para aqueles que não conseguiram votos suficientes para terem direito a um lugar no Parlamento... Logo, estas declarações de Pedro Baptista, sendo correctas e factuais, nem sequer vão ser reproduzidas nos jornais gratuitos, porque a máquina de propaganda centralista não o permite, abafando assim as vozes incómodas ao regime. Foi a fórmula que o regime encontrou de praticar actos pidescos, prescindindo dos métodos demasiado grosseiros da polícia política de Salazar, passando assim por democrático... 

Segundo o jornal "i", o PDA/MPPNorte, obteve 4601 votos, colocando-o à frente do POUS com 4531 [o Público inverteu estas posições], o que é manifestamente inexpressivo, embora um bocadinho melhor do que muitos esperariam, tendo em conta a abissal desigualdade de meios comparados com os outros partidos.

A "classificação" por cidades do Movimento que ousou fazer despertar da "amnésia geral" político-partidária o tema da Regionalização, ficou assim ordenada:


  1.  Porto .................     com    2217 votos 
  2.   Braga.................      com     592 votos
  3. Aveiro..................    com     397 votos
  4. Açores.................     com    371 votos
  5. Viana do Castelo.....  com    195 votos
  6. Guarda .................    com    200 votos
  7. Bragança.................  com    143 votos 
  8. Vila Real................   com     122 votos
Total......................    4237 votos

De destacar, os cerca 41% de abstencionistas que, contrariamente às opiniões de certas autoridades [para mim pouco credíveis], são para respeitar e reflectir... Foi "apenas"  o "partido" mais votado!

Considero um direito, tão legítimo como qualquer outro, rejeitar pura e simplesmente o acto eleitoral. A incapacidade para um novo partido se afirmar no actual cenário político nacional, por mais meritórios que sejam os seus projectos, justifica-o plenamente.

Que o diga, o Movimento Pró Partido do Norte. Intelectualmente, isto, não é democracia, é sim, uma tentativa de encaminhar gente adulta de regresso ao estado infantil, .

7 comentários:

renato disse...

NENHUM PARTIDO REPRESENTADO NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA TEM O NORTE COMO OBJECTIVO, EXCEPTO O CAPTAR VOTOS.

CONTEM COM O PARTIDO DO NORTE PARA AS PRÓXIMAS LUTAS!

zangado disse...

Escrevi, no meu blogue, no dia 31 de Maio passado o que pensava sobre as eleições e os partidos concorrentes. Foquei a luta desigual dos pequenos partidos contra os cinco do "sistema", as razões que levam muitos eleitores a votar sempre nos principais e a necessária mudança de mentalidade que é cada vez mais urgente em Portugal. Aconteceu o que eu previa, infelizmente. Mudam os nomes mas a política centralista e colonialista lisboetas vão continuar. Se os portugueses mais conscientes do Norte querem uma efectiva mudança, a verdade é que a maioria dos outros não votou ou votou nos do costume.
Única solução: aumentar a divulgação do Partido do Norte, estudar novas estratégias que consigam mudar a posição e maneira de pensar de muitos nortenhos "colonizados", o que não é fácil e concorrer sob a sua verdadeira sigla (o pior é a proibição constitucional).
Apesar de tudo e contra quase tudo e quase todos continuar a luta por um Norte melhor e mais autónomo.
Cumprimentos.

dragao vila pouca disse...

Espero que a partir de agora, mesmo com todas as limitações, o MPPN consiga legalizar-se e passar melhor a mensagem.

Abraço

alex disse...

bc

alex disse...

acho que no futuro a aposta terá que ser feita noutros meios .
a internet é um meio poderosissimo quando bem usado .
o video , uma linguagem mais agressiva e mais apostada no que realmente revolta o norte , com os constantes assaltos e ja agora chamar os boys pelos nomes .

força porto

Anónimo disse...

Eu também sou da opinião que o partido MPPNorte se legalize o mais rápidamente possivel, e siga o seu caminho em prol da regionalização.

Mudou a gamela, mas os porcos são +- os mesmos, embora este empecilho do Sócrates que foi com a Nossa Senhora (devia era de ír preso) já me deu uma grande alegria.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO

Carvalho Guimarães disse...

Bom dia.Coloco a seguinte questão em relação à abstenção.
Como é que num País com 10 milhões de habitantes há 9 milhôes de Votos? Estão a contar com os Mortos?