20 dezembro, 2012

Revoltas contidas

O Arquitecto Gomes Fernandes, ex-vereador da Câmara Municipal do Porto, incomodado com a notícia da transferência do programa Praça da Alegria para a sempre "amiga" capital, termina a sua coluna de hoje no JN, desta maneira: " Falta uma Voz que seja a síntese de muitas vontades e bastantes 'raivas acumuladas' pelo desprezo com que aqueles que nos governam e seus acólitos a partir de Lisboa, têm demonstrado pelo Norte e sua cabeça, a Invicta e Honrada cidade do Porto. Convenhamos que isto é demais, está a passar das marcas e tem de acontecer o tal 'espirro' que faça 'estremecer' Lisboa».

Na rúbrica de opinião do mesmo jornal, Jorge Fiel chamava intrujão ao Governo por este não ter honrado a palavra do anterior Secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, que tinha garantido que o corte ao financiamento público à Casa da Música seria de 20% , e não de 30%, como agora parece ter sido decidido. Logo abaixo na mesma página, é Daniel Deusdado quem arrasa de alto a baixo o actual Governo, alargando as críticas ao acervo de discriminações negativas com que o centralismo tem brindado o Porto,  e todo o Norte de um modo geral.

Eu próprio estou cansado de criticar duramente o racismo político usado contra a nossa cidade e região, tanto pelo governo de Sócrates, como pelo de Passos Coelho, e não sinto que essa liberdade democrática tenha surtido qualquer efeito prático para alterar a situação. Todos estamos cansados de ser mal tratados, que é uma condição muito mais grave e abrangente do que sermos simplesmente mal governados.

Fala muito bem o arquitecto Gomes Fernandes, quando reclama dos nortenhos uma reacção mais forte, capaz de fazer estremecer Lisboa. Eu subscrevo a vontade. Mas para que isso aconteça, teria de haver outro tipo de comportamento. Devíamos começar por não dar ouvidos àqueles que, apesar de reconhecerem a gravidade da situação, não deixam de nos aconselhar a manter a mesma brandura cívica, alegando que substituir agora o governo não iria resolver nada, profetizando todo o tipo de calamidades e desgraças se tal acontecesse, mas por outro lado esquecendo de dizer o que acontecerá aos governantes caso os fracassos se repitam, e nos deixem daqui a uns tempos numa situação ainda mais insustentável que a actual.

É preciso interpretar correctamente a actuação dos governantes, porque isso não pode resumir-se candidamente a questões de competência ou incompetência. E estes governantes, não são apenas incompetentes, são potenciais criminosos, e para os criminosos que andam à solta, é preciso fazer duas coisas: primeiro prendê-los, e depois julgá-los num tribunal constituído pelos juízes mais reputados que o país ainda conservar.

    

2 comentários:

Anónimo disse...

A mim o que mais me enoja, são estes parasitas da política da região do grande Porto e Norte que estão na Assembleia da República. Esta corja de parasitas, são uns vendidos à capital centralista e aos seus partidos. Depois temos uns chulos do povo cá do burgo, que só falam destas situações quando têm interesses para lugares, (poleiros) na região.

Isto já não vai com espirros, mas sim à bofetada. Somos espoliados por gente miserável, ladrões, ditadores, anti/democratas.

O que se passa com a Casa da Musica e RTP/Porto só pode advir de governos centralistas, ditadores exemplo: deste governo pirata
incompetente, mal formado sem sentido de Estado.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.

marujo88 disse...

Estão todos muito revoltados,mas quando os partidos deles estão no poder,nada fazem para regionalizar o país, vem sempre a desculpa de agora não porque não é oportuno, ou outra desculpa qualquer,revoltado estou eu, que não tenho força para correr com estes aldrabões de lá para fora, apesar de fazer força para isso,continuo a ver o país a inclinar para lisboa,Portugal é lisboa e o resto é paisagem, todo o dinheiro que eles podem roubar ao norte é para investimentos na capital, depois vêm com a lamuria do costume, rua com os traidores,tipo carlos abreu amorim,rio, menezes e companhia,é tudo a mesma seita.
Abraço
manuel moutinho