11 março, 2015

FCPorto, épico!

FC Porto-Basileia (LUSA/ Fernando Veludo)

O jogo do FCPorto com o Basileia foi digno de uma final. Se preciso fosse, ficou provado que no futebol as individualidades ganham mais brilho quando utilizam as suas qualidades ao serviço do colectivo. Não é nenhum lugar comum. Ontem, todos os jogadores foram vedetas. Não vedetas do drible inconsequente, narcisista, mas vedetas pelas melhores razões, ou seja: vedetas pelo empenho, vedetas pela coragem, vedetas pela concentração, vedetas pelo espírito de equipa e vedetas pela ambição de vencer.

Por isso, considero uma verdadeira heresia destacar um jogador. Todos foram brilhantes, todos foram guerreiros, todos tiveram a frieza suficiente para dar luta a um adversário forte, tecnicamente dotado, mas nem sempre correcto. Com outro árbitro, talvez o Basileia tivesse chegado ao fim com menos dois ou três jogadores. 

Apesar de nos últimos jogos se notar uma crescente melhoria de forma, ontem, a equipa de Lopetegui transcendeu-se, encarou o desafio com uma objectividade invulgar, digna da Champions, e quando assim acontece, só pode ser recompensada. Pena é, que o FCPorto sendo o clube mais português de Portugal [basta ver a origem do nome], tenha de jogar no campeonato português... Paradoxo? Não, meus amigos, realismo! É que vocês sabem tão bem quanto eu, que o nosso país não é governado na nossa zona de conforto, na nossa zona de competências. O FCPorto é um clube dessa grande região que é o Norte, por isso é diferente dos outros, para melhor. Lá em baixo invejam-nos, desprezam-nos, desconsideram-nos. A todos os níveis, quer político, quer desportivo.  Para nos derrotarem precisam de controlar tudo o que é órgão de poder, de manipular. Por isso, e só por isso, tenho sérias dúvidas que possamos ganhar a Liga Portuguesa. Por isso também - e correndo o risco de me acusarem de estar a subir demais a fasquia -, é que apesar de chegarmos aos quartos de final da Liga dos Melhores e de os desafios que nos aguardam serem cada vez mais difíceis, tudo é possível.

Foi exactamente perante as mesmas dificuldades, e provavelmente com menos recursos, que conquistamos por duas vezes a Champions e todos os troféus nacionais e intercontinentais que sabemos. Portanto, sonhar agora, é um direito!

Parabéns à equipa, e ao seu categórico treinador: Julen Lopetegui!

2 comentários:

Deacon Blue disse...

Caro Rui,

Nao pude ver este jogo porque estive fora.
Parece evidente que a equipa esta a atingir patamares de qualidade no minimo interesantes.

Todavía, ainda considero curto! é necesario perceber se este nivel tem suporte, tem estabilidade e como será por ex. contra grandes equipas da Europa.

Parece-me que está a haver algum exagero na onda positiva criada a partir das ultimas exibiçoes mais concretamente esta ultima.

Mas, a confirmar-se o que de bom esta a ser feito, entao preparemo-nos para mais vendas no final da época e começar tudo de novo na próxima....Isto apesar de eu até estar algo optimista cuanto ao actual substituto de JM....

Eu tenho francas duvidas sobre a nossa capacidade/qualidade defensiva contra equipas com a qualidade dum Barcelona, a manha dum Madrid mesmo estando mal, ou a pujança dum Bayern...

Mas que fique claro que estou a gostar do que vejo! Tenho é os pes assentes na terra... à minha maneira....

A ver vamos....

Deacon

Rui Valente disse...

Caro Deacon,

do mesmo modo que critico quando tenho de criticar, louvo quando acho que devo louvar. Foi o caso. Não sou de excessos, nem optimistas nem pessimistas. Apenas gostei muito do que vi, e isso não deve ser negado.

Quanto às dúvidas sobre a consistência da equipa há aspectos a ter em conta. Primeiro, está provado que o FCPorto se dá melhor a jogar contra equipas que jogam para ganhar - como na Champions - do que fechadas no seu meio campo à espera dos erros da nossa equipa. E isso confirmou-se, não apenas no jogo contra o Basileia, como nos outros jogos todos. Depois, temos outros obstáculos extra-futebol. que são as arbitragens, favoráveis com os n/ adversários, e prejudiciais para nós. Isso condiciona, diga-se o que se disser.

Já no próximo jogo com o Arouca vamos ver mais do mesmo, ou seja, o FCPorto a tentar chamar a jogo o Arouca, com um início cauteloso, aquelas lateralizações aborrecidas, mas que se forem doseadas com mais confiança e lances rápidos ofensivos certamente que as coisas se tornarão mais simples e o FCPorto acabará por marcar e trazer os 3 pontos. Mas estamos em Portugal, neste futebol pobre, com equipas e treinadores pouco ambiciosos a jogarem para o empate...
A equipa revelou muita confiança. Não vi maus passes, não vi desconcentração, vi ousadia e confiança. Agora, se isto foi só circunstancial, então algo estará mal. Mas eu estou moderadamente confiante.

Veremos