02 abril, 2015

Agora, só nos resta a utopia

Podem dizer o que quiserem. Que os jogadores não se empenharam, que o Lopetegui armou mal a equipa, que devia lançar o jogador A, em vez do B, que a relva não ajudou, que o árbitro fez (como de costume), "as coisas pelo outro lado", como marcar um penalti duvidoso contra o FCPorto e perdoar outro claro à equipa adversária. 

Mais que previsível, é certo, que desportivamente falando, este ano dificilmente teremos razões para nos congratularmos. No que diz respeito ao futebol sénior, já se foram dois troféus: a Taça de Portugal, e hoje mesmo, a da Liga. E deixemo-nos de alinhar pela demagogia barata de Pinto da Costa que sempre mostrou desprezo pela Taça da Liga (hoje perdida), porque se fosse verdade  mais valia recusar disputar o troféu. Ponto. Mesmo admitindo que o FCPorto  estava obrigado a participar, então, podiam ter dado oportunidade aos júniores A, ou à equipa B, para rodarem, e mais que não fosse para vincar a coerência no discurso. Assim, nem houve troféu, nem coerência no discurso...

Venho dizendo há uns tempos a esta parte, que com esta política de medo, de submissão humilhante às mais torpes discriminações a que o clube tem sido sujeito, isto só pode acabar mal. Qualquer pessoa minimamente experiente sabe a influência que tem para os colaboradores de uma organização empresarial, militar ou desportiva, o sentimento da falta de liderança, sobretudo quando se sentem prejudicados por ocorrências externas que não podem controlar. Se os adeptos, que são quem mais ama o clube, andam aborrecidos e pouco confiantes com o que se está a passar, e que sendo sócios têm mais a perder que a ganhar, ao contrário de quem trabalha para o clube, o mínimo que lhes era devido, era uma palavra de consideração, acompanhada com mais algumas que explicassem o porquê desta "política" de comunicação fratricida.

O Campeonato ainda não está perdido, é verdade, mas é verdade também que não se vislumbra alma, determinação, para o ganhar, sobretudo no topo da pirâmide da SAD e do Presidente. A Champions, não é impossível, mas é quase uma utopia se tivermos bem a noção das diferenças com o nosso próximo adversário.

Caso não consigamos vencer nada esta época, então sim, talvez seja o início do fim de um ciclo indesejável, mas que o senhor Pinto da Costa consciente, ou inconscientemente, ajudou a cavar,


   

2 comentários:

Deacon Blue disse...

Boas,

Lamento mas nada disto me surpreende.
E nao quero (nem acho que deva) estar aquí a carpir magoas.

Apenas quero, e muito, se o Rui me permite aquí, enviar um abraço a todos os adeptos e simpatizantes do FCPorto. Sao esses que nao mudam nunca de cor e que sofrem a serio pelo clube.

A pesar de tudo, dia 15 la estarei!

Abraço

DB


Anónimo disse...

Vejo tudo muito escuro ao fundo do túnel para esta época.
Muita parra e pouca uva, parece que os meninos só gostam da montra da Europa para se mostrarem. O sr Lopetegue nas horas das decisões falha.
Pinto da Costa acomodou-se ao aconchego do passado.
Não tenho duvidas que os maiores sofredores são os que pagam e apoiam a equipa.
Agora é só aguardar, não sei bem o quê, mas como dizem que a lógica é uma batata, e que ás vezes as coisas acontecem quando menos espera, eu... Faço como Stº Tomé, só vendo para crer.
Há uma coisa que me custa muito, é o deixar andar e continuar a dar perólas a porcos, quando está tudo à frente dos olhos.

Abílio Costa.