19 abril, 2015

Força FCPorto! Impossível, não é coisa de portistas!

Resultado de imagem para Pinto da Costa

Como admirador que sempre fui de Pinto da Costa, esperava conservar para sempre, ou na pior das hipóteses, por mais algum tempo, a mesma admiração, o mesmo respeito pelo líder do FCPorto. Era sinal que podia acreditar com segurança num futuro risonho para o FCPorto. Só que agora, é complicado. Há coisas que me levam a pensar que os tempos mudaram, que vou ter de me adaptar a uma outra realidade e conjugar no passado essas considerações.

Em tempos pouco distantes Pinto da Costa não precisava de falar muito, porque quando falava tinha sempre um objectivo: defender os interesses do FCPorto, "contra tudo e contra todos", era o mote...Só por hipocrisia, medo ou cegueira, é que alguém pode negar a espantosa mudança de estilo e subjectividade do Presidente portista dos últimos anos. É natural, e humano, que por razões sanitárias, ou mesmo de idade, que Pinto da Costa não queira envolver-se como outrora nas golpadas geradas pela inveja centralista, porque desgastam e são perniciosas para a sua saúde. Mas se fôr esse caso, não é razoável nem compreensível que não tenha já delegado alguém da sua confiança para desempenhar essa função. 

Como portista e portuense fervoroso que me prezo de ser, receio que Pinto da Costa não se dê conta das suas limitações físicas e psicológicas, e se agarre ao poder sem a consciência dos malefícios que tal opção pode comportar para o FCPorto. Pessoalmente, estou convencido que esse vazio de liderança, essa inconsciência, se transmite à maioria dos portistas, mas também junto dos atletas, o que de certa maneira explica a intermitência competitiva em várias modalidades nos momentos decisivos.

Nem a fortíssima exibição contra o todo poderoso Bayern de Munique nos deve fazer esquecer os silêncios inoportunos de P. Costa numa época  marcada por casos de arbitragens altamente sectários e escandalosos contra o FCPorto, e de uma cumplicidade gritante com o rival de Lisboa. Ao contrário de alguns adeptos, Pinto da Costa nunca foi daqueles que diziam "não vale a pena", quando se tratava de defender o FCPorto. O que é certo,é que agora só ele parece indiferente ao que se está a passar. Esta é uma realidade que ninguém pode negar, nem ele próprio, se estiver em perfeita posse das suas faculdades intelectuais. O que já não me agrada de todo, é que ele ache que não deve explicações a ninguém, porque nesse caso estará a dar razão a todos aqueles que passaram a vida a perseguí-lo e cobrí-lo de defeitos.

Quem acompanhar o trabalho que é feito no Porto Canal e ignorar que o FCPorto tenciona adquirir o canal (e digo tenciona, porque Pinto da Costa ainda não confirmou a compra, apenas a anunciou), e se esquecer dos conteúdos desportivos, não acredita que o Porto Canal tenha qualquer relação com o nosso clube, pois vem sendo gerido um pouco ao sabor dos ventos, coisa que felizmente nunca aconteceu no FCPorto na gestão de Pinto da Costa. Se há coisa em que o FCPorto sempre se distinguiu pela positiva, foi pela forma cuidadosa e atempada de administrar, e de lidar com situações complexas, como contratações, lesões e recuperações de atletas, como aconteceu recentemente com Jackson Martinez, que apareceu a jogar são como um pêro, logo no jogo com o Bayern de Munique...

Ora, se não vemos sinais da mesma organização, da mesma competência, do mesmo rigôr no Porto Canal, só pode ter uma explicação: o FCPorto não superintende o Porto Canal. É certo, que existe uma estrutura directiva definida e remunerada, mas tenho sérias dúvidas que essa estrutura seja suficientemente idónea para poder funcionar autonomamente, já que não se vislumbra qualquer progressão, antes pelo contrário.

Agora pergunto: o evidente alheamento de um negócio que supostamente terá (ou já tem, não sabemos) o FCPorto como principal accionista, será normal numa pessoa com as características que conhecemos em Pinto da Costa? E se não é alheamento, o que será, se tudo está pior? Era deste canal amador e culturalmente pobre, que estávamos à espera? É com entrevistas aos meninos e meninas de Lisboa, perfeitamente dispensáveis, repetidas, uma, duas, três e quatros vezes, que o Norte e o Porto pretende afirmar-se, como estamos cansados de constatar ao extremo da náusea? Afinal, quem querem enganar?

Francamente, não sei de que massa é feita esta gente. Curvam-se, curvam-se, até causa dó...

PS:
Na terça-feira, teremos a segunda parte da eliminatória para aceder aos quartos de final da Champions com esse colosso alemão chamado Bayern de Munique.  Portanto, é hora de puxar pelo nosso grande clube, desejar todo o sucesso do mundo e deixar estas questões para outra altura. Apesar de tudo, estou mais confiante nesta grande competição, que no pequenino campeonato nacional, onde, tal como com o governo, paira a mediocridade  e a mesquinhez. Mesmo sabendo do poder dos grandes lóbis europeus, confio mais depressa nas arbitragens do exterior que nas "caseiras", onde os dados estão mais que viciados. Por isso força FCPorto! Impossível, não é para portistas!
   

Sem comentários: