12 maio, 2015

Do Jornal de Notícias à intimidação fascisante

"Fabiano não aceita ser bode expiatório  - guarda-redes do FCPorto rejeita responsabilidade total pela goleada de Munique e aponta o dedo a Lopetegui"

Foi com estas palavras e um poster com a foto de Fabiano na 1ª página, que o Jornal de Notícias de sábado saiu a público (confirme aqui). Ora, ouvindo as declarações públicas de Lopetegui, que desmentiu rotundamente a existência de conflito com Fabiano, fartando-se de lhe elogiar o carácter, tudo indica que o JN tenha empolado uma situação inexistente. E como sempre, esta época, o presidente Pinto da Costa aos costumes, disse nada...

Como ainda estarão recordados os leitores mais assíduos, tive ensejo de escrever, ainda não vai muito tempo, um post em que manifestava alguma apreensão sobre a constituição do novo corpo directivo do JN e que me levou inclusivé a publicar uma carta que enviei ao respectivo Director Geral (aqui). Como previa, não obtive resposta...

Ainda não foram decorridos 3 mêses e as minhas suspeitas parecem confirmar-se. O Jornal de Notícias, que já vinha perdendo algum do fulgor genético que o identificava, livre da tutela centralista, parece estar também a dar os últimos suspiros nas mãos dos eternos cães de fila da máquina terreiro-pacista... Paulatinamente, assim como não quer a coisa, o jornal vai cobrindo em tons de vermelho vivo as páginas desportivas, ao mesmo tempo que concorre com os pasquins de Lisboa (Correio da Manhã) na boatice e na facturação. 

A este propósito, gostei de ouvir ontem no Porto Canal o Bernardino Barros confessar aquilo que há muito suspeitávamos, que tem a ver com a pressão, seguida de ameaças (cá está o tal medo de que vos falei há dias) que é feita sobre alguns jornalistas, para publicarem determinadas notícias e não outras... É altamente preocupante, e não menos vexante, que alguém, jornalista ou de outra profissão qualquer, tenha de se sujeitar a estas pressões para manter o emprego. Isto só vem confirmar o que se sente e pressente nos meios de comunicação social: uma intimidação da parte de quem dirige sobre os subalternos num sentido específico de dar certa orientação, tanto a programas como a notícias desportivas. Mas, não deixa de ser grave e pouco dignificante para a classe, que os jornalistas, profissionais que vivem da escrita para poderem exprimir livremente as suas opiniões, se tenham deixado intimidar a este ponto. Por esta altura, e apesar da hipocrisia dos meios em que se movem, deve ser impossível dar o grito de Ipiranga para aqueles que ainda têm espinha dorsal! 

Volto a repertir-me: como irá reagir Pinto da Costa quando perceber (será que ainda não percebeu?) que faz farte de um Conselho Editorial de um provável novo pasquim centralista?  Repito: Pinto da Costa esta época ainda não falou útil, só disse banalidades, evasivas. Mas asseguro-vos que irá falar. Resta saber se falará do presente ou do futuro do FCPorto. Se for sobre o futuro, cá estarei para o ouvir. Se quiser falar do passado/presente, pela minha parte, já não tenho interesse em ouví-lo, porque por muito que tenha a dizer, já vem tarde. E porque nada justifica o pesado silêncio e a desconsideração que teve  para com todo o universo portista.

Para mim, a sua actual postura é um insulto.

Clicar sobre a imagem para ampliar

OBS - A título de curiosidade, sugiro uma leitura pelo grupo do Conselho Editorial. Parece mesmo um rebuçado de mel para adoçar a têmpera das únicas figuras que sobraram do Norte. Como não podia deixar de ser, é uma mistura ambígua de pessoas, umas mais relevantes que outras, mas assim, bem prensadas num molhe, baralham e controlam melhor eventuais reacções... Incluindo a do ex-presidente Jorge Nuno Pinto da Costa.

8 comentários:

Anónimo disse...

O JN, DN, Jogo e outras publicações do mesmo grupo, todas com ligações à cidade do Porto e acima de tudo ao FCP, não têm futuro. É só uma questão de tempo até fecharem já que têm perdido 10% ou mais de tiragens por ano e este ano o descalabro é ainda maior. Sem receitas vão ao fundo.
Criticar essas empresas, que já despediram muito pessoal e irão despedir ainda mais, para não mudarem as linhas editoriais e continuarem na antiga que os levou ao descalabro é o mesmo que lhes pedir para cometerem hara-kiri. Os hábitos de leitura assim como o poder de compra do norte é muito inferior à média portuguesa, notícias tingidas de azul não vendem e o FCP ainda menos.

Rui Valente disse...

É claro que a opinião de um anónimo fala por si: é anónima.

Mas nem por isso vou deixar-te sem resposta, porque a tua opinião é a expressão máxima da contradição e da cobardia.

Então, achas que o remédio para combater o centralismo é juntar-se a ele. Ou não tens vergonha, ou não tens carácter, que vai dar ao mesmo.

És anónimo, e está tudo dito. Ah, se um dia tivesses de dar o corpo ao manifesto para uma qualquer guerra o país bem podia contar contigo. Olha, se queres saber, por mim ia mais depressa combater Lisboa do que fui para o Ultramar.

Percebes, pá? Desinfecta daqui e nunca mais cá pouses o rabinho, porque não és bem vindo. Nem tu, nem os que vegetam como tu. Cretino!

marujo88 disse...

Força Rui Valente gostei do post e da resposta ao anónimo, só é pena que os Portuenses e Portistas não tenham todos a mesma atitude que eles até se borravam todos.
Abraço
Manuel da Silva Moutinho

Rui Valente disse...

Manuel Coutinho,

arrepio-me só de imaginar que haja outros lambe-botas como este anónimo e que nasceram no Porto.

Não pode ter sido desta massa que se burilou a gente tripeira.

Um abraço

zeportista disse...

Para o anónimo das 16.50

Gostaria de perceber a sua lógica....
Deve ter aprendido a raciocinar numa escola e em lisbonês. Vou tentar fazer um desenho : era um leitor assíduo do JN e esporádico do Jogo.Mas já há uns anos que o deixei de ser. Sabe porquê?
Porque não gosto "comer" da mesma comida...
Ctos

rogério almeida disse...

Um must esta parte do comentário do anónimo: "os hábitos de leitura... do norte é muito inferior à média portuguesa..."

Este artista com certeza ainda achará que vivemos na década de 60... num país salazarengo pintado a tons vermelho forte e algum verde... Um país com 40% de analfabetismo, fácil de manipular e entreter...

Nos últimos 30 anos o seu querido benfica perdeu mais de 1,5 milhões de adeptos comparado com o F. C. Porto apenas decorrente dos falecimentos...

A faixa etária rainha do benfica é precisamente onde os 40% de analfabetos incidem mais...

As faixas etárias rainhas do F. C. Porto são as mais baixas, incidindo sobretudo nas crianças, adolescentes, jovens adultos e adultos máximo 40/45 anos... precisamente as faixas etárias com maior e melhor instrução...

Boa parte destes tipos que proferem tais afirmações vivem numa qualquer realidade construída à sua medida, que lhes é impingida diariamente pelos média centralistas e, obviamente, por eles aceite com agrado por se aproximar do que desejam tomar como verdade para as suas vidas...



Anónimo disse...

Este jornal aos poucos está a perder a sua identidade. É um jornal que quer ser um pouco azul e mais vermelho, com estas duas cores é um jornal violeta.
Não sei quem manda nem me interessa, já não é um jornal da região, mas que falava para todo o país.
Porca de Centralização, de beijoladores, de vendidos que levam com eles o que de bom se fazia por cá.

Abílio Costa.

Rui Valente disse...

Abílio Costa,

interessa sempre saber o nome dos mais altos responsáveis porque é a partir do topo da pirâmide que começa a responsabilidade.

Se clicar na imagem encontra aí os respectivos nomes. O "nortenho" Proença de Carvalho, esse honorável advogado, amigo incontestável e conhecedor das questões regionais e nortenhas, é só o Presidente do Conselho da Administração. E o director geral, um tal Afonso Camões, é um alvicastrense de quem nunca ouvimos falar.