15 fevereiro, 2016

TAP: Rui Moreira solicita reunião urgente com o Governo

TAP: Rui Moreira solicita reunião urgente com o Governo
RUI MOREIRA

A Câmara Municipal do Porto enviou um comunicado ao Governo a acusar a TAP de fazer desaparecer a Portugália Airlines (PGA) e de entregar os voos à empresa privada White. Rui Moreira solicitou portanto uma reunião de carácter urgente, que se realizará esta quarta-feira, em Lisboa, com o Primeiro-Ministro. Entretanto, o site oficial da autarquia revela que os relatórios de Contas da Portugália desmentem alegados prejuízos com os quatro voos que a TAP vai cancelar.

O Presidente da Câmara do Porto, quer ter António Costa como aliado na controversa situação da redução de voos da TAP no Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Este encontro econtará com a presença de Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas e ficará marcado pela suspensão de voos que a nova administração anunciou logo após de a TAP ter sido vendida, pelo anterior Governo, ao consórcio Atlantic Gateway.

A autarquia lembra que a “Portugália custou ao Estado 140 milhões de euros, pagos há oito anos ao BES” e mesmo assim “os seus voos serão entregues à privada White sob a designação TAP Express, sem qualquer capital público envolvido e sem a avaliação da Autoridade da Concorrência”. “Enquanto isso, o Porto perde 70% dos seus voos TAP e o número de lugares disponíveis em rotas como Madrid ou Genebra baixa radicalmente, além de Roma, Milão, Bruxelas, Barcelona e Londres verem frequências reduzias a zero ou parcialmente”, pode-se ler em Porto.pt. Estes voos desaparecem a 27 de março deste ano.
A câmara salienta que os voos que a TAP pretende suprimir a partir do Porto são quase todos efetuados pela Portugália e defende que "toda esta operação, que antes estava na esfera pública e passou agora a ser operada por privados, não está incluída no controlo do Estado, nem sequer a 50%, se a reversão parcial da privatização for concretizada, como anunciou o Governo. Foi, por assim dizer, uma espécie de subconcessão, mas cujas regras e contornos não foram públicos e que não foi controlada ou autorizada pela Autoridade da Concorrência”, pode-se ler em Porto.pt.

Relatórios de Contas desmentem alegados prejuízos com os quatro voos que a TAP vai cancelar

O site da Câmara Municipal do Porto revela, esta segunda-feira, que ao contrário do que a companhia aérea tem sustentado para justificar as alterações à operação a partir do Aeroporto Sá Carneiro, a Portugália “não apenas é lucrativa como a sua operação e procura são sustentáveis”.

De acordo com os relatórios dos últimos oito anos, a Portugália “dá normalmente lucro, que em 2013 foi superior a cinco milhões de euros e em 2012 tinha sido de mais de 10 milhões”, refutando assim “a ideia de que os voos descontinuados no Porto eram deficitários”.

“Ao contrário da operação da TAP, centrada no "hub" em Lisboa, que em 2016 deu 46 milhões de euros de prejuízo. Muito graves são os resultados das empresas brasileiras do Grupo, criadas pelo ainda presidente da comissão executiva da empresa. Só a TAP - Manutenção e Engenharia do Brasil perdeu mais de 22 milhões de euros em 2014, que elevaram os prejuízos do grupo para 85 milhões de euros nesse ano”, avançou o Porto.pt.


1 comentário:

Anónimo disse...

Rui, parece que vamos ser compensados por outras companhias em voos que a TAP nos roubou. Por parte do Governo e TAP seremos sempre desprezados como sempre foi ao longo da historia.
Portugal é um verdadeiro paraíso para Ladrões políticos, Empresários e todo o tipo de crime de colarinho branco, porque de justiça nem vê-la. Enquanto tivermos advogados a fazerem leis no parlamento estamos feitos ao bife.

Costa do Castelo.