18 agosto, 2016

Do futuro do FCPorto não comento, porque não está ninguém em casa

Foram muitos, os anos de luta contra a repressão centralista que o FCPorto da era Pinto da Costa teve de travar até levar o clube ao pódio dos maiores palcos do futebol internacional. Internamente, e muito antes de chegar a presidente (em Junho de 1922), já o FCPorto se tornara no 1º Campeão Português de Futebol, da primeira edição oficial neste modelo de competição com uma victória sobre o Sporting por 3-1. E desde então não se ficou por aí, outros troféus e campeonatos foram conquistados ainda que intercalados com alguns anos de jejum. O FCPorto não tinha atingido a projecção mundial da era competente de Pinto da Costa, mas começou nestas andanças desportivas a vencer, convirá não esquecer.

É por se terem passados muitos anos (34) e por ter liderado o clube, contra tudo e contra todos, isto é, contra o centralismo e sua guarda pretoriana, constituída essencialmente por políticos e órgãos de comunicação social, que me custa ver alguém como ele passar de si próprio uma imagem absolutamente antagónica à que o tornou famoso. É lastimável que tenha deixado chegar o FCPorto (porque é do FCPorto que se trata) a este ponto de desorientação, e também que não haja lá dentro ninguém com coragem (e devoção quanto baste pela instituição), para o aconselhar a reflectir seriamente na actual situação e delinear uma estratégia realista, passível de corrigir erros cometidos e de reconduzir o clube ao estatuto prestigiado e ganhador dos anos recentes (excepto os 3 últimos).

Custa-me ver Pinto da Costa transformado numa caricatura ridícula do que já foi, num sósia de si mesmo... derrotado . Custa-me recear que não vá a tempo de sair , sem evitar enterrar-se no lodaçal opaco de oportunismo e desnorte em que o clube parece ter-se transformado. Custa-me que deixe o tempo correr demais, até ao dia em que sócios e adeptos lhe apontem a porta da rua como solução extrema para salvar o clube da derrocada total. O Pinto da Costa que conheci e admirei, não corria estes riscos, porque antes dele,  pensava no clube.

O FCPorto de agora é uma casa de falsos silêncios, porque lá dentro deve haver ruídos inconfessáveis que um dia vão seguramente chegar aos nossos ouvidos e pelas piores razões. Desses silêncios, o mais violento e intolerável, é o que está a ser usado com os portistas de todo o mundo. Esse é inadmissível, o que pessoalmente mais me ofende. E só por isso, deixei de considerar o líder. Para mim, morreu. Por isso, desejo toda a sorte do mundo a Nuno Espírito Santo e à sua equipa, porque vão mesmo precisar muito dela. O campeonato ainda agora começou, mas não nos iludamos, porque as coisas vão continuar a ser feitas pelo outro lado, como disse alto e bom som o rei dos pneus. A Federação/Comissão de Arbitragem já lá tem os seus serviçais. Quando houver problemas, o silêncio da estrutura directiva e presidente vai manter-se, e NES só terá duas alternativas: ou fala pelo presidente, ou bate com a porta e vai embora.  


6 comentários:

Soren disse...

Desde os tempos de Jesualdo que assim é, treinador isolado perante toda uma máquina centralista (descomunicaçao social, arbitragem, FPF e lobbys políticos). Mesmo quando a equipa é roubada indecentemente.

O outro problema grave foi o aburguesamento de uma massa adepta extremamente ignorante.
Basta ver o que se passa com o nosso meio campo e ler o que se escreve por esses blogs fora. No que concerne ao futebol, fala-se de tudo menos do pior meio campo da história do clube. Chega a ser enojante ver adeptos a pedir a cabeça de todos os treinadores, a assobiar todos os jogadores, mas a nunca discutir o que interessa: o delapidar de um património incalculável e de vários planteis de enorme qualidade sem ninguém nunca perceber para onde foi o dinheiro. E não me venham falar de relatórios de contas. Só não vê quem não quer.

Não há preparação de sucessão. Pinto da Costa e quem anda a roubar o clube, estão agarrados ao poder. Isto pode acabar mal. Espero que não e como a ignorância da massa adepta é gritante, tudo dependerá dos resultados.

Rui Valente disse...

Soren,

não costumo enganar-me muito na avaliação que faço sobre a têmpera de alguém, mas já tenho dúvidas se Pinto da Costa coloca nas suas prioridades o FCPorto. Os erros, agora sistémicos, na constituição/contratação dos planteis, são a melhor resposta que pode dar às suas conclusões. A massa adepta portista é ignorante sim, mas não se aburguesou, apenas tem mais dinheiro. Eu diria antes que se estupidificou. A burguesia pode não ser séria, mas não é completamente estúpida.

De facto, é irritante a rapidez com que começam a encontrar bodes espiatórios. Pagam as cotas mas são incapazes de questionar a SAD. É uma confiança canina!

E o Porto Canal? Que tencionarão fazer dele? Um centro de emprego para as famílias da da direcção? Enfim, são só desgostos.

jorgemrm disse...

Tudo isto é muito triste para nós portistas, mas seu diagnóstico está certo caro Rui Valente, Pinto da Costa e seus acólitos da SAD a cada dia que passa mais vão enterrar o nosso clube e só no dia em que saírem é que teremos a percepção da verdadeira dimensão da catástrofe.
As 2 únicas hipóteses de evitar mais danos seriam:
1 - Pinto da Costa resignar e provocar novas eleições;
2- Surgir um candidato disponível para avançar e os associados reunirem as assinaturas necessárias para convocarem a Assembleia Geral.

Infelizmente não acredito em nenhuma destas hipóteses. Em primeiro porque não acredito que Pinto da Costa e seus pares venham a resignar, a gestão do clube é exercida em autocracia e eu não conheço nenhum caso em que os ditadores deixaram o poder por sua livre vontade ( se houve algum caso não me ocorre e se o houve deverá ser a excepção que confirma a regra ). Em segundo lugar dificilmente aparecerá alguém que se disponha a avançar contra Pinto da Costa e sua guarda pretoriana.
Assim, infelizmente, só depois de Pinto da Costa perder os apoios que tem é vão surgir alternativas mas tal só vai acontecer quando falirmos, quer desportiva quer economicamente.
É com toda a amargura do mundo que digo isto, e oxalá eu esteja totalmente enganado, mas o meu sentimento é idêntico àquele que já senti outrora nas crises de Pinto de Magalhães versus Pedroto e Américo de Sá versus Pedroto e Pinto da Costa.
As minhas cordiais saudações.
Jorge Monteiro.


Anónimo disse...

O sr NJPC deixou de ser a solução do problema do FCP para ser hoje o principal problema. Com um administrativo pesadíssimo de onde ele faz parte o FCP encontra-se economicamente doente. Para o sr PC a culpa nunca é dele, mas sim dos treinadores dos jogadores que não jogam à Porto, mas, é ele que contrata toda a gente.
É um presidente que quando ganha vem para o varandim criticar tudo e todos, quando perde desaparece pura simplesmente. Está ultrapassado e quem vier, vai ter muitas dificuldades com o rombo que o barco tem.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

Rafa era um jogador caro, era sim senhor, então onde está o amigo Mendes e o amigo Araújo, porque do presidente do Braga nem é bom falar. O tal amigo Mendes para não haver complicações vendeu logo a parte dele ao Braga, mas, sem antes meter o afilhado NES no clube, por sua vez o presidente do FCP que tem sido um empata um acomodado que deixou os cofres do clube bater no fundo já ninguém lhe passa patavina nem ele tem capacidades para o quer que seja no Clube, ou seja está a mais. Como você diz Rui, fez muito pelo FCP mas está farto de borrar a sua própria pintura.
Este foi mais um falhanço no meio de muitos, um grande Clube não se compadece de tanta incapacidade Hoje as SADs dos clubes são grandes industrias e quem está fora de validade e pensar que aquilo é uma empresa familiar tem que sair e ir pregar a outra freguesia.

Abílio Costa.

Deacon Blue disse...

Ou me engano muito ou vamos ter um 2016/2017 quentinho "à moda do Porto" com cabeças a rolar....

Nao acredito que os adeptos pactuem mais tempo com o actual estado de coisas!

DB