23 janeiro, 2017

Um bom e gratuito conselho aos leitores

Caros leitores, 

tomem cuidado, não se deixem levar pelo canto da sereia, chegue ele das "vozes" da MEO, da NOS, ou mesmo da Vodafone. O encanto,  não provém propriamente destas empresas, surge subrepticiamente na forma dos milhões patrocinados aos principais clubes de futebol. Os adeptos dos clubes não são insensíveis a esses negócios, porque (em tese) correspondem à entrada de uns bons milhões de euros nos cofres dos respectivos clubes, mas talvez seja isso que explica a tendência para abusarem dos clientes que são afinal quem lhes faz chegar o pilim.

É que estes grandes grupos de comunicação, além de desrespeitarem os clientes em termos de isenção na informação desportiva, exercem sobre eles cada vez mais pressão, só para atingirem os seus escusos objectivos comerciais. Vale tudo, até imporem as regras que mais lhes convém, sem olharem minimamente aos interesses dos clientes, nem mesmo aos preços previamente estipulados. A estratégia comum, é proporem novos pacotes quando se aproxima o prazo do término dos contratos, com"ofertas"de novos serviços - grande parte das vezes dispensáveis -, como pretexto para subirem o preço da facturação e simultaneamente renovarem a fidelização dos clientes por mais dois anos. 

Houvesse seriedade e respeito nestes expedientes, até podía compreender-se, numa sociedade consumista e estupidamente competitiva, como é a nossa. Agora, não é isso que acontece, na maior parte dos casos.  Ligam-nos vezes sem conta, insistem, mesmo depois de dizermos que não estamos interessados em alterar os contratos (com o isco dos novos pacotes, nem sempre vantajosos), até perdermos a paciência e sermos impelidos a falar-lhes  grosso...

Sei que não é deles a responsabilidade por este novo estilo de sobranceria comercial, é dos administradores, e dos chefes que lhes impingem essas "estratégias". Mas lá está, enquanto cidadãos, cabe-lhes também fazer alguma coisa para se defenderem, até porque são eles quem dão a cara (e a voz) para lidarem com a indignação dos clientes. Não fazendo passar a voz dos clientes para os superiores hierárquicos, estão com isso a contribuir para a manutenção deste clima de desrespeito crescente entre consumidor e empresa.

Exponho-vos esta situação, porque sendo cliente há muitos anos da NOS (ainda era TVCabo), estou farto de ter transtornos por causa destes expedientes de chico espertismo e de me arreliar escusadamente, umas vezes pela incompetência (ou medo)  dos funcionários, outras pela prepotência de quem os superintende. Tenho vencido  estes contenciosos, mas como disse, sempre com muita oposição e incómodo. Conheço outros casos,também pouco honrosos para estas empresas.

Como tal, aconselho os leitores a estarem atentos às bruscas subidas de preços e ao prazo de validade dos vossos contratos, sejam eles com esta, ou outra operadora (são todas iguais), e baterem o pé sempre que estiverem seguros das vossas razões. Pagar e não bufar, é a pior das decisões que podemos tomar, porque iremos contribuir para que estes esquemas mafiosos passem a ser a regra.

PS-
Este ano, houve uma nova  actualização do preço destes serviços. Agora, são anunciados previamente 2 mêses, mas reparem num detalhe: na NOS, essa indicação é apresentada na parte inferior da factura a letras minúsculas, só legíveis à lupa, mesmo para jovens.
Questão incontornável: para quem quer mesmo destacar uma informação, reduz-se o tamanho das letras, ou aumenta-se? Isto, é muito próprio de  países governados  por vigaristas.

4 comentários:

Anónimo disse...

São um Cartel de agiotas em que eles mesmos ditam as regras para lesar o povo e os nossos governantes deixam andar as feras.. Oferecem trabalho precário, massacram e lesam, por isso têm muitos milhões para oferecer aos clubes. São mais um nojo da nossa sociedade.

Abílio Costa.

Rui Valente disse...

Abílio,

devo felicitá-lo por ser dos comentadores mais fiáveis do Renovar o Porto, e não apenas para comentar sobre o FCPorto...

Obrigado por isso.

Sei que não falo apenas de futebol, e que é essa a prioridade dos comentadores. Mas que diabo, o mundo não muda para melhor só porque o nosso clube ganha. Ajuda a aligeirar alguns dissabores, mas estas coisas (e outras) como a que abordei neste post, não se alteram sem a nossa participação, nem por ganharmos campeonatos. Ser Porto, também passa por ser cidadão, por lutar contra esta pouca vergonha. Nós, queixamo-nos do sectarismo das televisões, mas parece esquecermos do poder que estas empreas estão a ter, com prejuízo para os consumidores.

Anónimo disse...

É exactamente como rui diz, e eu digo, nem só de futebol vive o homem, pelo contrário, o futebol embora tenha muitas paixões mas não enche barriga, é mais um escape para muitos e um grande negócio para outros.
Um desabafo; para alem de muita coisa que eu gosto e amo, também gosto muito do FCP e da minha cidade do Porto. Já sei Rui, você também, já somos dois.
Um abraço.

Abílio Costa.

marujo88 disse...

Já somos três, porque eu estou de acordo com tudo o que foi dito pelo Rui Valente e pelo Abílio Costa.
Abraço
Manuel da Silva Moutinho