08 fevereiro, 2017

E o melhor Edifício do Ano é...o Terminal de Cruzeiros de Leixões

Arquitetura portuguesa segue em alta ao vencer dois dos prémios internacionais do prestigiado site ArchDaily. O Terminal de de Cruzeiros de Leixões venceu na categoria de melhor edifício público e a Casa Cabo de Vila, em Bitarães, Paredes, na categoria 'Casas'.
Terminal de Cruzeiros de Leixões

O site de arquitetura mais visitado do mundo anunciou, esta terça-feira, a lista de 16 edifícios mais belos do de 2017, escolhidos em função dos votos de mais de 75 mil pessoas em todo o ano. Entre os três mil edifícios selecionados, o belo Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, da autoria do do arquiteto Luís Pedro Silva, venceu na categoria de melhor 'Edifício Público', prémio que se junta às distinções de 'Melhor Porto do Ano', da Seatrade Awards 2015, o tributo da 'AZAwards', prestigiada competição canadiana que todos os anos elege o que de melhor se faz no mundo ao nível da arquitetura e design, ou a classificação como 'Melhor Projeto Público da Revista Construir.

Para Emílio Brògueira Dias, presidente da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), a reconhecimento do branco Terminal de linhas em espiral, construído a 700 metros da costa, em Matosinhos, vem contribuir “sem dúvida, para a projeção do Porto de Leixões e para a Área Metropolitana do Porto a nível mundial”.

3 comentários:

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui Valente,

Orgulhoso e ao mesmo tempo preocupado.
Este prémio deveria ter sido atribuído de forma muito discreta. Para os Centralistas este facto é imperdoável e tudo farão para encomendar já um Terminal em Alcântara que deixará o de Leixões a léguas de distância.
Logo que, para lá de todas as previsões, o Aeroporto do Porto atingiu a fasquia de 9 milhões de passageiros, teve início a operação de esvaziamento, através da eliminação de rotas e ligações intercontinentais.
O mesmo farão relativamente aos navios de cruzeiros.
Um qualquer estratagema: incompatibilidades com o movimento comercial e piscatório; criação de taxas que empurrem os operadores para o Tejo ou outros que a mente fértil e sugadora do centralismo cuidará de engendrar.
Se aí não chegarem, tentarão sempre o Porto de Vigo e a sua bela baía para surripiar a Leixões a montra internacional e cosmopolita do seu extraordinário Porto Artificial.
Cumprimentos

Rui Valente disse...

Olá Guilherme Olaio!

tem razão. Aqueles gajos lá da capital, portam-se com a mesma boçalidade e complexo de inferioridade que os "vermelhos". Eles é que nos invejam e não o contrário, como é timbre daquela gente. Nem de propósito, o post que escrevi a seguir a este aborda o escândalo da TAP.
Mais palavras, para quê? Serão necessárias?

Um abraço

Anónimo disse...

Fico feliz por estes prémios de prestigio internacional serem atribuídos à arquitectura portuguesa, porque sem dúvida o terminal de Cruzeiros de Leixões é uma obra de arte.
Agora não duvido que aqueles mimados da capital amuem e queiram um brinquedo igual. São tão complexados, por terem mais barriga que imaginação.

Abílio Costa.