26 março, 2018

Jornalismo português é pidesco


Cheguei a um ponto tal de intolerância que me sinto incapaz de sintonizar qualquer canal que seja emitido a partir da capital.  Olho para aquela gente, seja jornalistas, actores, políticos,  homens ou mulheres, e é como se estivesse a olhar para terroristas a armar ao erudito. 

Se já tinha desenterrado o machado de guerra contra os jornais, agora é com as televisões, não lhes dou 1 minuto de audiência! Abri apenas duas excepções, ambas na SIC, com a Quadratura do Círculo e o Eixo do Mal. Não porque correspondam em rigor ao tipo de debates que eu gostaria de ver - porque tal exigiria dos participantes uma frontalidade, e uma independência que não têm -, mas porque são os que se aproximam mais disso.  Os menos maus, por assim dizer. 

Podendo parecer contraditório, é importante não os despeitarmos totalmente, porque convirá mantermo-nos sempre  alerta com as suas contrafacções. Só por isso. Mesmo assim, sem cairmos no exagero de comprar sempre  o jornal, porque isso seria contribuir para a sua sobrevivência, em bom português,  é dar pérolas a porcos.

Se há coisa que salta aos olhos, agora que o "sagrado" e "querido" Benfica está sob investigação policial, é o modo ambíguo como certos comentadores e jornalistas abordam o caso. São tão burros, e tão cínicos, que não percebem que abordar o maior escândalo de corrupção do futebol português sem citar a fonte, é assumir um benfiquismo  fanático, com uma completa ausência de seriedade. Falam do clima do futebol português, queixam-se dos emails, das denúncias anónimas, sempre no plural, para meter todos os clubes sob suspeita, e assim evitar citar a causa desses escândalos, que é o Benfica. 

O xico-espertismo pode enganar durante algum tempo, mas não engana o tempo todo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Há um cheiro a enxofre de Nacional/benfiquismo que só o vomito pode aliviar. A Ganza da porta 18 é tão forte que até alguns políticos já chamam ao criminoso O Querido.
A Catedral Lampiónica é a meca o Santuário do crime, já se fazem peregrinações, romarias para a 2ª circular, o pedido de bilhetes para estar à beira do Messias vermelho não chega para as encomendas, a prioridade como é lógico é para governantes e homens da justiça.

Abílio Costa.

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui valente,

Ao longo da minha vida aprendi que de facto, e isto é dramático, neste País o xico-espertismo é visto como algo só ao alcance de uns poucos e aos quais se submetem muitos devotos.

A frase poderá fazer sentido noutros países,noutras culturas. No meu País os xicos-espertos tem campo fértil para se desenvolverem e reproduzirem.

Eu diria que o XICO-ESPERTISMO, A ÚNICA COISA QUE NÃO CONSEGUE É ENGANAR DURANTE ALGUM TEMPO,PORQUE CONSEGUE ENGANAR O TEMPO TODO.

Cumprimentos

Rui Valente disse...

Caro Guilherme S. Olaio,

compreendo o que diz, mas mesmo assim não consigo relacionar este xico-espertismo (do tipo duralex), com a inteligência. Só tem uma explicação: o povo anda a hibernar à tempo demais...

Sim, porque os políticos são feitos da mesma massa. Nunca mudaram de estilo (xico-espertista).

Um abraço!

Anónimo disse...

OS ILUSIONISTAS DAS FINANÇAS.
A Descentralização ao mais Alto Nível, O sr Costa e o sr Centeno querem roubar ao Norte 200 milhões dos 500 milhões de Bruxelas com destino a esta região. Mas que Portugal é este...

Abílio Costa.