10 fevereiro, 2012

Duarte Lima defende-se na RTP

Advogado faz declarações pela primeira vez desde a detenção. E acusa filha de Feteira Duarte Lima, acusado de ter assassinado Rosalina Ribeiro no Brasil, disse à RTP que a investigação e acusação da Polícia brasileira servem «os interesses» e foram «moldadas aos desejos» da filha do milionário Tomé Feteira, num processo conduzido «por encomenda».

E que recebeu uma ameaça de um advogado de Olímpia Feteira, pouco antes da morte de Rosalina: «No final do Verão de 2009, ligou-me um advogado amigo, o dr. Rui Gomes da Silva, dizendo-me que fora contactado por esse advogado sugerindo-me que eu convencesse a minha cliente a negociar um acordo com a cliente dele… Que se isso não acontecesse iriam ‘transformar a minha vida num inferno’».

Questionado sobre quem lucraria com a morte da antiga secretária de Tomé Feteira, Duarte Lima respondeu: «Há alguém que seguramente não beneficiou com a sua morte e esse alguém foram os advogados que a representaram num processo sucessório relevante».

Lima fez estas declarações por escrito – as primeiras desde que foi detido preventivamente, em Novembro, por suspeita de branqueamento de capitais, burla e fraude fiscal, no caso BPN. Hoje à noite, na estreia do programa Sexta às Nove, a RTP emite uma reportagem sobre o envolvimento do advogado na morte da antiga secretária do milionário Tomé Feteira, em que Lima é confrontado diversas dúvidas e contradições.

Questionado pela RTP sobre as razões por que esteve em silêncio durante tanto tempo, já depois de se saber da sua acusação, Duarte Lima invoca que considerou desde muito cedo que estava perante ‘uma investigação por encomenda, um facto feito por medida».

O advogado admite pela primeira vez ter estado em Saquarema, o local do crime, e queixa-se de nunca ter sido ouvido pela Polícia brasileira. Isto apesar de sempre se ter recusado a ir ao Brasil ou a responder às questões que a Justiça brasileira enviou. Quanto à sua deslocação ao Brasil, em Dezembro de 2009, alega que foi a pedido de Rosalina Ribeiro, que a considerou urgente: «Não foi a única vez que me pediu que me deslocasse ao Brasil, fizera-me solicitação idêntica em anos anteriores. Como seu advogado competia-me corresponder».

Ontem, a Procuradoria-geral da República anunciou que já recebeu uma carta rogatória do Brasil, relativa ao caso. Na carta, a Justiça deste país pede que Duarte Lima seja notificado da acusação de homicídio qualificado e que apresente a sua defesa.
Joana.f.costa@sol.pt

Comentário RoP:

Numa democracia onde  fosse 1º. Ministro, uma das primeiras medidas que tomava, era reunir com as administrações dos orgãos de comunicação social,  deixar-lhes um recado, que consistiria em informá-los que lhes instauraria um processo por ingerência em assuntos do foro da Justiça, cada vez que decidissem fazer programas com figuras públicas acusadas por qualquer tipo de crime. Em alternativa, obrigáva-os a pagar uma multa avultada, ou então, teriam de dar audiência a todo o pé rapado que cometesse um delito, por mais fútil que ele fosse.

Mas... eu não sou 1º. Ministro, e tenho um grande senão: gosto de democracias respeitáveis...

Ontem, foi o pedófilo Carlos Cruz. Hoje, vai ser o assassino Duarte Lima... E, Rui Gomes da Silva? Também tu, seu benfiquista nojento? Que gentalha esta! Decididamente, os políticos são a escória da sociedade.
 

4 comentários:

zé da póvoa disse...

Se um desgraçado roubar um pacote de bolachas, a nossa justiça não perdoa, até porque os grandes merceeiros, através dos seus homens de mão, puseram na lei que esses processos se não forem resolvidos em 1ª. instância, podem prosseguir sem quaisquer custas para eles.
Por outro lado, quando os roubos são na casa dos milhões, é sempre possível ir de recurso em recurso atè à ... prescrição. Também houve amigos desses ladrões a acautelar essas situações em sede legislativa.
Entretanto, todos têm direito a uma operação de branqueamento feito pela Judite de Sousa, na TV, em prime-time. Portugal no seu melhor!!!
Aparece agora o vice-presidente da equipa do regime anterior envolvido na "estória" do Feteira e dos milhões desviados. A propósito: esses milhões não terão servido para pagar o passe de um qualquer jogador sul-americano?

dragao vila pouca disse...

Rui, não é por falta de capacidade... Pelo que se vê por aí, ser 1º ministro de Portugal não é difícil. Já não tenho pachorra para estes fait divers. Muito alarido, muita propaganda e depois... não sai nada, mais do mesmo, só serve para entreter.

Abraço e bom fim-de-semana.

Anónimo disse...

É interessante ver quando Duarte Lima se refere ao seu amigo Rui Gomes da Silva. Os vigaros dão-se todos bem. E este Rui ...

Anónimo disse...

É preciso saber o que é que esse "Minhoca Vermelho" Gomes da Silva, tem a ver com este caso. Será que a peçonha também anda metida nisto!? se assim for é mete-lo no processo.
Quanto ao dito cujo, Duarte Lima:- Meu caro amigo, não há fumo sem fogo e a sua fortuna cresceu muito depressa.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.