02 fevereiro, 2012

Neo-liberalismo

O actual governo liderado pelo pseudo social-democrata Passos Coelho é, sem sombra de dúvidas, o mais liberal de todos os governos que têm passado pela democracia portuguesa (com ou sem troika). Tem vindo a criar todas as condições para uma vaga de privatizações nas mais diversas áreas (saúde, educação, transportes, etc.), cortando serviços em todos os sectores de modo a que os cidadãos procurem agilizar a sua vida recorrendo por necessidade aos privados.

É o maior retrocesso civilizacional, sem precedentes, o que se está a passar actualmente em Portugal, especialmente nestes sete meses de governação dos partidos neo-liberais no poder. (Nunca Sá Carneiro fez tanta falta como agora)! 

Andamos quase todos a pagar impostos, cada vez mais elevados, para ter serviços destinados aos cidadãos, mas os iluminados que governam o país acham que se os trabalhadores portugueses trabalharem mais horas, com menos dias de férias e menos feriados, fica o problema resolvido, enquanto os lucros das vendas de empresas públicas e o apuro dos impostos cobrados, continuarão a ser geridos para pagar a troikas, a boys e afins, sobrando os trocos para os poucos serviços sociais que vão resistindo.

A redução dos défices público e privado tem sido paga pelo português comum, que depende do seu salário ou da sua pensão para viver, além dos mais desfavorecidos que vêem o S.N.S. ser desmantelado aos poucos, os aumentos dos transportes serem brutais, a energia ser cobrada aos prêços mais elevados da Europa (onde o salário mínimo é 4 vezes superior ao português), etc.etc.
 
Não foi o povo que governou este país ao longo dos últimos 38 anos de democracia. Os que governaram e governam estão muito bem na vida. Mas é o povo que se torna sempre o “bode expiatório” e que tem que pagar as crises.

“Em Portugal não há ciência de governar nem há ciência de organizar oposição”! Governam-se!
 
Renato Oliveira

(Porto)



Nota de RoP:
Este post foi enviado pelo Renato Oliveira para o Correio do Leitor do Jornal de Notícias

2 comentários:

Anónimo disse...

Mas este sr Coelho, é alguma coisa que possa fazer algo por Portugal, ou pela democracia. Este sr, é igual aos outros ou muito pior.
Pobre país com gentinha desta a governar.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO

dragao vila pouca disse...

Estou com o Renato e acrescento:
quando oiço o PM a falar em cumprir os acordos, custe o que custar, fico todo arrepiado só de pensar no que aí vem.

Abraço