17 outubro, 2013

Mário Soares errou, envelheceu, mas não está senil

Não sou dos que vê na figura de Mário Soares um ícone notável da democracia nacional, nem dos que alinharam no côro lançado pela chamada "boa imprensa", que um dia o baptizou de dinossauro político sem nunca explicar muito bem a relevância da alcunha...

Estou à vontade para falar, porque foi nele e no seu partido, que votei nas primeiras eleições constituintes de 1976 que conferiu ao PS a victória final [com 35% dos votos]. Portanto, dei assim o meu contributo pessoal para reforçar o PS e para Mário Soares ser quem é. 
Mário Soares



Se Soares teve fortes responsabilidades pela entrada de Portugal na então Comunidade Económica Europeia [hoje já não é opinião unânime que tenha sido boa ideia], também não soube dar o melhor rumo ao país, sobretudo na consolidação da democracia. Lembro-me dele a desautorizar, perante as câmeras de televisão, um agente da autoridade que procurava pacificamente fazer o seu trabalho de ordenar a multidão numa rua [ó sr. guarda, desapareça!], e de produzir declarações mais polémicas que sensatas, como quando afirmou que a tolerância não tinha limites... Se a estes episódios juntarmos o processo de descolonização, perceberemos que não foi propriamente um sucesso o serviço público prestado pelo Dr. Mário Soares. 

Longe de querer privá-lo de virtudes próprias, do seu passado de lutador anti-fascista, e do seu ar bonacheirão [que engana, mas também conta], penso que Mário Soares é talvez um homem secretamente frustrado por saber que não é a grande referência nacional que sempre almejou ser. Digamos que Soares olhou para a política como um hobby de burguês antigo, completamente desenquadrado da realidade do seu tempo. Fascinava-se pelos jogos da política, mas nunca a soube usar para servir o povo a contento. A vaidade toldou-lhe os objectivos mais sérios.

Hoje, com o cansaço dos seus quase 90 anos, já liberto de cumplicidades políticas e sociais, Soares profere afirmações públicas que sendo sempre polémicas, não deixam por isso de ser menos respeitáveis e pertinentes. Duvido que, enquanto cidadão, Mário Soares seja mais integro que eu, mas sei que para a opinião pública tem mais peso a opinião de um famoso [bom, ou mau] do que a de um discreto cidadão, mesmo que diga exactamente o mesmo e com mais antecedência. Para o caso isso agora não interessa. O que importa, é que, não seria agora, que Soares está na fase de gozar da tolerância generalizada que ia tratá-lo como um senil, porque nunca como hoje, Soares disse coisas tão lúcidas, frontais e pragmáticas: o governo de Passos Coelho está efectivamente cheio de delinquentes, e Cavaco Silva já não devia ser Presidente da República, pelo menos,  desde que rebentou o escândalo do BPN/SLN. Já devia ter sido julgado. Acontece, é que Mário Soares não é nenhum exemplo de coerência.

Mário Soares, errou ao não perceber que Democracia desregrada e sem Justiça, é uma democracia doente, e que a autoridade efectiva pressupõe o respeito integral pelas Leis. Mário Soares foi um facilitista, faltou-lhe pulso em certos momentos, e nesse aspecto, influenciou negativamente as regras do jogo democrático. Talvez hoje esteja arrependido [não sei] de dizer a frase quiçá mais demagógica que pude ouvir: a tolerância, não tem limites. Tem sim, senhor Mário. A tolerância ilimitada, tem um nome: anarquia.

6 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem!

Deacon Blue disse...

Caro Rui Valente,

Em 1º lugar para dizer que aprecio muito os seus textos! este por ex. está do melhor sobre uma pessoa que eu, com 47 anos, tive creio que fundadas expectativas mas que, desde há muito para cá só me tem desiludido, e continua a desiludir, mesmo depois de velho.
Isto para nao falar dos erros que teve ao longo da carreira....

Eu concordo que existem muitos politicos que deviam de ser julgados, é verdade sim senhor, e o Dr. Mario Soares seria porventura um deles, penso eu de que!

Relembro o episodio de excesso de velocidade e a multa paga por nós!
Devia de ter vergonha. E a multa foi paga por nós por ordens/leis/decretos eu sei la, executadas por pessoas como ele.
Se ele fosse um homem serio, há muito que tinha abdicado dos bonus que tem do estado pagos por todos nós!
Estas ultimas opinioes que tem tido mais... digamos que radicais, mais parece que lhe estao a ir ao bolso e ele nao está a gostar (veja a Ferreira Leite a protestar...).

Abraço!

Deacon

Rui Valente disse...

Deacon,

se Cavaco é o "pastelão" que sabemos, Soares tem fraca memória [teve sempre, aliás].

Mesmo assim, não censuro o que ele disse sobre o actual Chefe de Estado, porque não foi nenhuma calúnia. Limitou-se a referir factos.

Um abraço

Anónimo disse...

Esta historia do BPM para Cavaco Silva foi sempre uma pergunta muito incomoda, a que ele foge a dela como o diabo da cruz, não se sente muito confortável, quando com ela é questionado! ele lá sabe porquê.

Mário Soares não é nenhum santo, nem flor que se cheire, sempre foi um despesista. Mas que a afirmação dele para com o presidente é pertinente, lá isso é.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.

Nelson disse...

Cavaco meteu os pés pelas mãos no dossier BPN, mas quem é Soares para questionar o seu carácter? Haverá político português que mais se tenha servido da natureza clientelar do Estado do que Soares? Haverá político que mais mordomias e prebendas tenha somado em Portugal (e já agora nas ex-colónias) do que Soares? Haverá político que tenha colocado tantos familiares e amigos (João Soares, Alfredo Barroso, Carlos Melancia, Rui Pedro Soares) em lugares de alta responsabilidade na esfera do Estado - e das empresas monopolistas que dele se alimentam - como Soares? Haverá político que tenha traído mais correligionários de forma absolutamente ignóbil (Salgado Zenha, Jaime Serra, Manuel Alegre, António Arnaut) do que Mário Soares? Haverá político mais incoerente (teve o FMI em Portugal duas vezes em mandatos seus, mas agora é que o Governo é delinquente), aldrabão (subsídios nojentos e indignos à Fundação, PDM de Lisboa aldrabado) e prepotente (o caso do “senhor polícia, desapareça”…o caso da multa por pagar, etc, etc. etc) do que Soares?

É uma das personalidades mais repugnantes da história política portuguesa e goza de uma escandalosa inimputabilidade, dadas as suas históricas ligações à maçonaria e ao status-quo lisboeta. Chega do Portugal aburguesado, mimado, pseudo-intelectual, preguiça e caleceiro que Soares sempre representou.

Rui Valente disse...

Nelson,

tudo certo quanto a Soares.

Mas, e Cavaco? Não me parece que seja muito diferente. Se teve acções na SLN, grupo que liderava o BPN, vem agora dizer que era um simples depositante? Quem pensa ele que engana?