28 janeiro, 2015

Sobre o artigo de M. Serrão no JN de hoje

Não estou certo se a fibra de que Manuel Serrão é feito, seja imune a nódoas, caso contrário podia vestir-lhe  o velho refrão dos bons panos que frequentemente se deixam conspurcar de nódoas.

Manuel Serrão é um tipo bem disposto, e eu gosto de gente assim. Tem sentido de humor, e por isso já aqui publiquei algumas das suas crónicas. Normalmente as pessoas com sentido de humor costumam ser inteligentes, o problema é quando essa inteligência colide com questões de carácter social e com a importância que lhes damos.

Para Serrão, o líder do partido Syriza vencedor das recentes eleições gregas, é um perigo à solta para o seu país e para a Europa e Passos Coelho um político maduro, experiente. E ainda bem que para ele, Portugal está muito melhor que a Grécia, mas muito melhor, mesmo! Portanto, descobrimos de repente que estamos no caminho certo. Um caminho certo, cheio de buracos, de toda a espécie, mas para Serrão dignos de louvor.

Traduzindo: o ensino em Portugal vai de vento em pôpa, nos hospitais já não morrem pessoas nas urgências e os doentes são tratados zelosa e atempada(mente), o desemprego baixou a olhos vistos, a qualidade do emprego é um verdeiro hino à felicidade, os reformados vivem num oásis de consideração, a economia estoura de pujança e a corrupção é coisa de um passado longínquo...

A avaliar pela forma audaciosa como defende o FCPorto na TVI, onde o médico mais bronco e aparvalhado que o país conheceu o trata abaixo de cão e o manda calar tratando-o por "ó gordo", Manuel Serrão deve ter uma ideia bem sólida do perfil das pessoas indicadas para governar o país com a competência e a segurança que Alexis Tsipras jamais conseguirá. Elencando, atrevo-me a adivinhar:
  1. Presidente da República: Freitas do Amaral
  2. Primeiro Ministro: Duarte Lima
  3. Ministro da Saúde: Zeinal Bava (ex-PT)
  4. Ministro da Economia: José Sócrates
  5. Ministro da Solidariedade e Segurança Social: Cavaco Silva
  6. Ministro das Finanças: Ricardo Salgado, assessorado pela nobre família Espírito Santo  
  7. Ministro da Justiça: Dias Loureiro
  8. Ministro do Ambiente: António Mexia (ex-EDP)    
  9. Ministro da Educação: Jorge Jesus
  10. Ministro da Defesa: Oliveira e Costa
Com um Governo desta qualidade e com este elenco, Manuel Serrão ficaria certamente descansado e sobretudo seguro... Livrava-se dos perigos da esquerda, e continuava a ter boas fontes de inspiração para as suas crónicas de humor.

4 comentários:

Soren disse...

Esse gordo boçal e ignorante é uma verdadeira nódoa do Norte e da cidade do Porto. Representa o tipico grunho que é gozado e desrespeitado pela sua boçalidade e falta de inteligencia.

Não o vejo preocupado por exemplo (como ainda não vi Rui Moreira vir a terreiro e pronunciar-se com veemência) com a decisão do governo desse tal "politico experiente", Deus da retórica e da incompetência, Passos Coelho, sobre a gestão dos tranportes metropolitanos do Porto.

Para este governo de gente profissional e academicamente impreparada, é uma boa decisão retirar o poder de gestão dos tranportes a empresas regionais ou autarquias para abrir um concurso publico a empresas privadas.
Apareceu apenas um interessado. Uma empresa regional, de Barcelona. Então assim já serve porque não é do Porto e é Espanhola.

Este é um exemplo da tremenda falta de inteligência, de incapacidade para gerar consensos, de falta de visão estratégica e planeamento deste governo que o gordo ignorante tanto adora.

É uma tristeza Rui, e ambos sabemos porque é que este personagem está nesse programa que felizmente nunca vejo. É um autêntico bombo da festa utilizado pela comunicação social centralista para fazer pouco dos "parolos do Norte".

dragao vila pouca disse...

Rui, Manuel Serrão do juventude centrista? Manuel Serrão que tem negócios nos têxteis e precisa dos amiguinhos? O Manuel Serrão que permite que lhe digam, "ó gordo, cala-te que agora falo eu? De que Serrão estamos a falar?

Abraço

Guilherme de Sousa Olaio disse...

O jovem que por alturas de Abril fazia parte da legião de "democratas" que nos alertavam para os perigos da injecção atrás da orelha, é dos poucos da direita que acredita piamente na luta de classes, e tudo o que diz ou desdiz, vai no sentido de se perceber que o esbulho e empobrecimento duma sociedade faz parte da iniciativa privada e do empreendedorismo . Nunca negou a que classe pertence. Contrário à proletarização da sociedade portuguesa, resolveu juntar-se àqueles que perseguem o ideal de transformar cada português num proprietário. UM UTÓPICO. Quanto ao desempenho no tal programa, de lá sairá, quando deixar de criticar o actual Treinador do F.C.P. e abdicar das palhaçadas que os restantes envergonhadamente fingem apreciar.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Todos sabem que a alcunha dele é o Manel Saloio