27 outubro, 2015

Será que os portuenses repudiam mesmo o centralismo?

Resultado de imagem para o simbolo do centralismo
É aqui a sede do centralismo, no Terreiro do Paço

O Porto queixa-se do centralismo de Lisboa. Os nortenhos de outras localidades [de veia centralista], queixam-se do porto-centrismo. Os portuenses-portistas pensam que o centralismo se combate no FCPorto. Os não portistas e os portistas parvos, não querem saber da regionalização para nada. 

Enfim, uns de uma maneira, outros de outra, todos parecem empenhados em preservar a confusão para que tudo fique na mesma. As queixas podem abrandar, mas acabam sempre por reaparecer mais adiante. É tudo uma questão de tempo e de conveniência. Uns, conscientemente, outros por pura burrice ou oportunismo, todos contribuem para a manutenção de um país assimétrico e profundamente injusto. Grandes nortenhos estes...

Durante muito tempo, o Porto queixou-se de não dispor de um canal de televisão que representasse a cidade, e a região Norte do país. Em abono da verdade, essas queixas nunca chegaram a ser muito entusiásticas, apesar de haver sobejas razões para as intensificar. Em contrapartida, a Sul, mais propriamente em Lisboa, não falta nada em matéria de comunicação social. Os jornais, estão praticamente todos sediados em Lisboa, e as televisões também. Só em canal aberto, existem quatro canais. Se incluirmos os canais por cabo, a capital usufrui de 12 canais (SIC N, RTP Int, RTP Àfrica, RTP3, RTP Memória, TVI24, +TVI, SIC Int, SIC Radical, SIC Mulher, SIC Caras, SIC K), descontando canais de humor como o "Q", e de Economia como o EconómicoTV, o que perfaz um total de 18. Claro que, na perspectiva dos centralistas (traduzido em miúdos, quer dizer: defensores do absolutismo), este rol de canais é perfeitamente normal e justíssimo... 

Tudo isto, vem acontecendo há alguns anos sem que do Porto - cidade historicamente conhecida pelas causas liberais -, se tenha feito algo de verdadeiramente importante para alterar esta situação. Nem pelo lado do povo, nem pelas "suas" elites... Muita bazófia e nenhuma acção.  Houve alguma expectativa de mudança com o surgimento do Porto Canal, sobretudo depois de adquirido pelo FCPorto, mas tudo não passou de uma ilusão, como todos sabemos. Nem os patrões (FCPortoMedia), nem os directores (Júlio Magalhães e Ana Guedes) parecem minimamente preocupados com o assunto.

Passo a passo, o Jornal de Notícias, está a lisboetizar-se, e os portuenses parecem ainda não ter percebido o que se está a passar. Ao contrário dos jornais de Lisboa (incluindo o Público, que Belmiro de Azevedo entregou à capital), que pouco ou nada trazem sobre o Norte, o JN em comunhão com a querida RTP, lá vai avançando paulatinamente, e determinado, com políticas editoriais pró-lisboetas em todas as áreas, incluindo a desportiva. Os portuenses deixam correr o marfim, apáticos e submissos. O JN, da dupla Afonso Camões/Proença de Carvalho dá muito mais ênfase aos clubes de Lisboa (Benfica e Sporting) que dava a anterior Direcção/Administração. Fazem exactamente o oposto do que fazem os jornais de Lisboa - generalistas e desportivos -, que além de nos ignorarem, tentam humilhar-nos. Pervertem tudo o que nos diga respeito, principalmente no desporto. E neste capítulo, nem Pinto da Costa reage... 

Por aquilo que venho observando, é por esse mesmo caminho que Júlio Magalhães parece querer levar o Porto Canal. Mais Lisboa, e menos Porto (basta atentar à origem dos convidados de "honra"). Para ele, e provavelmente para os seus patrões, a estratégia a seguir (para o canal e para o clube), é a de "dar a outra face", a de imitar Cristo, depois de andarmos anos a levar com grandes bofetadas, túneis e escândalos... E se fossem só bofetadas, vá que não vá, foram processos jurídicos, com apitos dourados e acusações vergonhosas.

Esta mentalidade, esta falta de Porto na massa do sangue, nunca conseguirei entender. Os tempos mudaram, é certo, mas não foi para melhor. Em todos os aspectos. 


7 comentários:

Anónimo disse...

Numa palavra.. acha que vale de alguma coisa despertar consciências aqui no norte.. eu já despertei para a realidade.. é ignorar e desprezar.. cada um tem o que merece, neste caso a região tem o que merece.. ser enraba... pelos centralistas. Que aconteceu aqueles indivíduos conectados a um clube da capital do reino que foram pela alameda das Antas a varrer tudo e todos? Que aconteceu aos adeptos dos lampiones que não foram identificados nos festejos do titulo e que mandaram 17 policias para o hospital e que não foram identificados apesar das imagens das televisões? que aconteceu ao policia que arreou no adepto benfiquista em Guimarães (de certeza que o adepto o tratou bem e o policia era maluco para lhe dar as bordoadas) aí foi identificado,, aonde foi que aconteceu.. ah foi no norte.. Que fez os adeptos do Porto para o clube ser multado neste jogo com o Braga? Foi petardos? foi agressões? Finalmente.. temos o que merecemos.. me considero vitima de muitos dos meus concidadãos do norte. Que aconteceu no programa de ontem á noite no Porto canal aonde estava o Bernardino Barros e o Cândido Costa, será que venderam o mobiliário e os sentaram em cadeiras e o apresentador encostado a uma mesa que parecia de um qualquer café, um cenário no mínimo desprezível. Indescritível.. tive vergonha e mudei de canal porque me incomodou o bastante e a mais alguém que me acompanhava na altura.. Ponto final

Cumprimentos
A. Martins.

Rui Valente disse...

A. Martins,

pode até ser uma perda de tempo, mas é preciso falar nestas coisas. É preciso colocar um lembrete na consciência das pessoas, para perceberem que precisam de fazer um pouco mais do que lamentar. E não é só reduzir o assunto ao futebol, é denunciar o centralismo a má imprensa, o mau jornalismo. Nunca desistir. Até que os gajos lá em baixo percebam que não estamos a brincar.

Repare: publiquei aqui há poucos dias um post dedicado aos portistas a SUGERIR determinado tipo de acções para combater a discriminação que nos fazem e também levantar algumas questões para colocar à Direcção do clube sobre os objectivos do Porto Canal.

Ninguém comentou... Mas no que é que eles pensam quando dizem SOMOS PORTO?

Anónimo disse...

Sr Rui Valente eu pensei duas vezes antes de comentar o que escreveu... porque tinha duvidas se a minha opinião seria publicada. Eu passo a explicar... num certo (que não tenho presente de memória) artigo seu eu repliquei fazendo nota entre outras coisas que gostaria de saber o critério da atribuição de Dragões de Honra a indivíduos tal como Cavaco, Arnault etc. e a minha opinião não foi publicada. Eu só falei de exemplos relativo ao futebol porque de politica estamos conversados.. ou não terá memória de muitos cidadãos do Norte e porventura alguns naturais da cidade do Porto que estão na politica e se viraram exclusivamente para a capital do reino... esquecendo as suas raízes?
Cumprimentos
A. Martins

António Correia disse...

Srs. Rui Valente e A. Martins, concordo no geral com o que disseram.

Nunca é perda de tempo, falar destas coisas. Tem que se martelar, martelar, martelar, porque primeiro estranha-se mas com o tempo acaba por entranhar-se (espero eu).

É muito mais importante que dissecar as jogadas no final de um jogo do n/ clube, procurando os responsáveis, treinador, jogador, presidente (normalmente por esta ordem.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Infelizmente a Norte por uma questão de ciúme de inveja de não sei bem de quê, há por aí muita cidade que preferem o centralismo de Lisboa a um Porto importante a Norte, talvez seja tacanhice parola, mas é verdade infelizmente.

O Porto Canal é um exemplo como temos de ser mais uma entre muitas servilistas de Lisboa. O Maior do Canal, ainda vive da saudade dos seus amigos alfacinhas.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

De realçar que não há qualquer tipo de tacanhice.
só não queremos é ver o Porto a encher o Papo à custa dos "interesses da região".

Rui Valente disse...

Anónimo (16:42),

as abstracções são indicadas a artistas. Têm um inconveniente. Impedem qualquer interpretação objectiva...

Será o anónimo 16:42, homem (ou mulher) de artes?