09 junho, 2016

Estado assume dívida de Luís Filipe Vieira ao BPN


Dívida de 17 milhões de euros passou para a Parvalorem. Falta ainda apurar se resultou de esquema fraudulento, avança o "Diário de Notícias".O presidente do Benfica e um sócio estão há quatro anos a ser investigados acerca do seu alegado envolvimento num esquema fraudulento que prejudicou o BPN. Mas os prejuízos da operação, avaliados em 17 milhões de euros, já foram transferidos para o Estado, que arcará com eles.
Segundo a edição desta quinta-feira do “Diário de Notícias”, o Estado, através da Parvalorem (empresa que gere os créditos do BPN), herdou uma dívida de 17 milhões de euros dos empresários ao banco. Esta dívida poderá ter sido gerada por uma burla orquestrada por Luís Filipe Vieira e o seu sócio Almerindo de Sousa Duarte, uma situação que ainda está sob investigação e da qual o "DN" dá alguns pormenores.  

O crédito estava colocado no BPN IFI em Cabo Verde mas, segundo relata o jornal, o BIC, liderado por Mira Amaral, recusou-se a herdá-lo, pelo que o encargo ficará à responsabilidade da Parvalorem.

(Negócios.pt)

Nota de RoP:
Isto é o que chama transparência de gestão desportiva, ou pessoal, não sei. Acresce, o "célere" trabalho de investigação da Justiça lisbonária. Isto deve ser só para não os acusarem de laxismo, ou mesmo conivência. No fim, vai tudo ficar na mesma, vão ver. Ou, na melhor das hipóteses, só se atrevem a metê-lo na gaiola quando já não estiver no "mais maior grande" clube do espaço sideral...e arredores. 

Aposto que não resultou de um esquema fraudulento. Nem pensar! Isso, é lá mais para o Porto, lá longe, com apitos pintados a ouro e cheiro a fruta. Os vauchers são apenas uma leve marca da hospitalidade e boas maneiras do clube do regime. Nada mais que isso.

1 comentário:

Anónimo disse...

Uma justiça que aceita situações destas é pior ou igual, toda esta gente come do mesmo prato. Dá vontade de dizer que este país é uma mixórdia de trampa. Os casos a resolver são tantos, que tudo demora uma infinidade! Se alguém destes mafiosos forem julgados ou condenados já são velhos e doentes ou já não estão entre nós! Cá estamos nós os esmifrados mais uma vez a pagar as burlas os calotes dos pulhas só porque os mandantes foram incompetentes ou comem do mesmo prato.

Abílio Costa.