18 setembro, 2016

Bem, empatar com o último classificado não é caso maior...



...presumo que é assim que o senhor Pinto da Costa da Era do Silêncio, estará a reagir à perda de mais dois pontos, agora com o Tondela, esse potento de fair-play e futebol do nosso imaculado campeonato. 

O problema é que o FCPorto não jogou melhor. Dois remates na 1ª parte, se tanto, à baliza do adversário, explicam a ausência de golos. Na segunda parte, mais uma vez, foi nos últimos minutos que o ritmo de jogo acelerou um bocadinho, mas com um André Silva perdulário, que sem força nas pernas nem capacidade para aguentar o choque não vai a lado nenhum.

Nuno E. Santo resolveu improvisar novamente. Colocou Ruben Neves retirando o Danilo que tem dado garantias nos últimos jogos. Lançou Brahimi, um jogador que esteve até há poucos dias na iminência de sair do clube, portanto, sem qualquer entrosamento com os colegas e que, quanto a mim retira profundidade ao ataque portista. O resultado foi o que se viu.

A equipa continua lenta, sem saber pressionar alto, deixando todo o espaço aos adversários. Não aprendeu nada com o jogo anterior, pelos vistos. Não contempla o contra-ataque rápido quando tem oportunidade para isso, o que reduz as possibilidades de ultrapassar defesas muitos fechadas.

Enfim, tudo parece voltar aos tristes tempos da tremideira e da banalidade técnico-táctica. 

A cereja no tôpo de bôlo, mais uma vez, não faltou: a arbitragem. Permissiva e cumplíce com as entradas violentas, sem qualquer repreensão aos jogadores do Tondela, que sabendo do que a casa gasta (leia-se, país), usou e abusou da vigarice para ganhar tempo. Mas essa, é uma cereja que tem um responsável por falta de comparência: chama-se Pinto da Costa.


3 comentários:

Anónimo disse...

Foi simplesmente uma vergonha, a equipa do FCP que tem um treinador confuso em ter que fazer uma equipa e dar-lhe um sentido táctico capaz com os jogadores que tem. Já não o consigo ouvir nos finais dos jogos com aquela conversa da treta.
Este é o treinador que o presidente sempre quis, treinador jogadores todos eles são à Porto. Pobre e triste figura deste presidente que simplesmente não existe.
Ontem mais uma vez um arbitro à imagem de todos os outros que já arbitraram o FCP, habilidoso e ladrão.
Já começo a ficar enjoado sonolento a ver esta equipa jogar. E agora resta-nos aguardar, sonhar, porque a realidade é esta que se vê.

Abílio Costa.

Deacon Blue disse...

Boas,

E eis que a festa começou....

Creio que mais duas ou tres semanas e vai alastrar.....ai vai vai....


DB









Anónimo disse...

O Porto da Moda ( e o FCP) :

http://www.jn.pt/opiniao/manuel-serrao/interior/o-porto-da-moda-5400231.html