27 outubro, 2017

Provocação aos «Somos Porto»


Resultado de imagem para somos porto forum

Suponho ser do conhecimento de uns poucos comentadores da blogosfera portista a relação de amizade que mantenho com o Manuel Vila Pouca. Foi através dos nossos blogues que nos conhecemos, juntamente com o saudoso Engº. Rui Farinas, homem vivido, culto e profundamente regionalista, que também aqui colaborou comigo algumas vezes. 

Quando o conhecemos, já se aproximava dos 80 anos, mas tinha um gosto pela vida, e uma fibra de fazer corar de vergonha muitos jovens. Amava genuinamente o Porto, e toda a região do Douro. Ainda hoje, sinto a sua falta. 

Foi o futebol (Clube do Porto) que nos uniu, mas sobretudo a rejeição comum que sentíamos por essa macabra doença chamada centralismo. Infelizmente, já não está entre nós, e faz falta, porque não abundam homens com a sua irreverência. Ainda me recordo, quando me encontrei com ele pela primeira vez no Clube Literário do Porto, e das reuniões que mais tarde tivemos por altura do precocemente abortado Movimento Pro Partido do Norte, criado pelo ex-deputado socialista, Dr. Pedro Baptista, e mais tarde o Dr. Anacoreta Correia, com quem cheguei a reunir, juntamente com Rui Farinas, na residência do primeiro. 

Faça-se justiça, outros (poucos) comentadores da blogosfera portista e portuense compareceram a essas reuniões. Estou-me a lembrar do Jorge Aragão, do Carlos Romão do blogue A Cidade Surpreendente, e algumas figuras públicas com aparentes simpatias regionalistas. Aparentes, porque também lá apareceram tipos como Narciso Miranda e Carlos Abreu Amorim, os quais, confesso, não me inspiram a mínima confiança.

Vem este regresso ao passado a propósito de uma conversa que tive com o Vila Pouca sobre a disponibilidade de alguns portistas para darem o seu contributo pessoal na luta contra a discriminação que continuamos a sofrer por parte da comunicação social, nomeadamente no que concerne ao futebol. Todos reconhecem que o terreno está minado, que vai ser difícil reverter esta tendência anti-democrática e anti-constitucional de proteger o Benfica das malhas da Justiça. Apesar disso, nem todos se mostram disponíveis para ajudar a combater este gigante maléfico. Queixam-se, reclamam em todas as direcções, criticam, sugerem sem explicar como, mas querem ficar sempre no seu cadeirão de espectadores passivos. 

Foi a este propósito que no nosso bate-papo semanal disse ao Vila Pouca em jeito de provocação sadia, que estava com vontade de lançar novamente um desafio a esses portistas exigentes, mas muito acomodados, que consistia em perguntar-lhes o que estavam dispostos a fazer para apoiar o FCPorto nesta luta de David e Golias, contra o centralismo corrupto. O Vila Pouca respondeu: não vale a pena Rui, você não se lembra da resposta que deram à petição que lançou para censurar o comportamento da RTP? Ripostei: eu sei Vila Pouca, mas não valeria a pena tentar de novo para testar a reacção?

Sei que o Vila Pouca não se vai importar por ter revelado esta inócua conversa, até porque a considero algo pedagógica, mas pergunto: será que nem com o Francisco J. Marques a denunciar o comportamento criminoso do clube do regime e o silêncio dos media, ainda há portistas sem coragem para o apoiarem?

Fica ao cuidado dos adeptos abstencionistas (isto não é votar em partidos, é mais importante), porque os poucos que aderiram à primeira petição não merecem censura. Cumpriram a sua parte.

PS: Peço desde já desculpa se porventura me esqueci de citar o nome de alguns
que colaboraram e compareceram nas referidas reuniões.

7 comentários:

Felisberto Costa disse...

Meu caro Rui Valente
Creio bem que acima de tudo é preciso primeiro atacar o centralismo no seu real estado: no politico. Enquanto politicamente não for feita uma regionalização - que na minha simples e modesta opinião poderia ser por distrito - enquanto não for possivel acabar com a "migração" do poder politico, económico e financeiro para Lisboa, tudo o resto mais não é que "colagem" a esse centralismo.
Como sou um amante de música, quase ou se calhar até, ao mesmo nivel do futebol, sinto bem na pele, o que é ver bandas actuar em Lisboa e quedarem-se por aí, enquanto na vizinha Espanha, quem visita Madrid, tem forçosamente que visitar Barcelona, Saragoça, Bilbau ou até Sevilha que é epidérmicamente fechada a outras músicas que não o flamenco!
Como é triste não haver um canal nacional de televisão a Norte e a Sul de Portugal - não precisa de ser Porto, pode bem ser em Braga, Guimarães ou Viana!
Como também é triste que para todo este aparato centralista, se venha com a treta secular de que Portugal é um país pequeno!
Temos que combater na cave, para eliminar os ratos que abundam no sotão.
Um abraço...

Rui Valente disse...

Viva, Felisberto Costa!

não estou totalmente de acordo consigo desta vez. Se continuarmos à espera que o poder político trate do assunto (descentralizar/regionalizar), podemos contar com mais uma segunda geração, ou terceira mesmo, para que isso se concretize. Se o poder político estivesse verdadeiramente interessado na regionalização já o tinha feito há muito tempo. A Constituição
da República, exigia essa importante reforma desde 1976, mas os políticos não descansaram enquanto não encontraram forma de a aniquilar com o referendo de 1998. De tal modo, que ardilosamente trataram de impossibilitar a criação de partidos regionalistas, e foi condicionados por esse partido que tivemos de alterar o nome de Partido para Movimento pró Partido do Norte.
De qualquer modo, sendo o espírito semelhante, o que queria propor era um simples teste à indignação dos portistas com a pouca vergonha que se está a passar com os emails e sobretudo, com a cumplicidade rastejante dos media "nacionais".

Viva a Catalunha! Estou com eles a 100%. Vai haver sangue, mas quem quer recuperar a Liberdade tem de estar preparado para tudo. Há sempre um preço para tudo.

Um abraço

Felisberto Costa disse...

O senhor Gomes vendeu-se como um Miguel de Vasconcelos a Lisboa e no falatório vazio, inócuo e altamente parcial que teve com os deputados, fiquei deveras emocionado com o seu sotaque alfacinha! O homem não sabe o que é um Bê!

E sim, também eu digo Viva a Catalunha! Mesmo que os objectivos propostos sejam esmagados pela Espanha e pela comunidade internacional, os catalães, disseram ao Mundo o que os portugueses não conseguem dizer ao seu governo provincianamente sentado em São Bento: já chega!!!

Anónimo disse...

Assim vai o Mundo Imundo.
Quando vejo que um cachorro que não conhece o dono, um zero que não era nada e agora já é alguma coisa, um mendigo que cospe no prato de quem lhe deu de comer e não conhece as suas origens, para mim é um desprezível um oportunista um sem carácter.

António Ferreira disse...

Caro Rui,

Este link é de uma cronica que julgo já deve ter lido, o autor é o David Pontes e é sobre a candidatura a liderança do PSD de uma figura pela qual nutro zero de simpatia Rui Rio, debater porque seria tema para horas pelo que para abreviar digo que tenho nojo de hipócritas, ainda assim a cronica é elucidativa daquilo que fala, não posso deixar ainda assim de confessar que acho merecido para o Rui Rio que nunca foi um dos nossos e que esta a levar com o centralismo nas trombas, só por se ter afastado 12 anos de Lisboa.

https://www.jn.pt/opiniao/david-pontes/interior/o-pais-pequenino-8875665.html

António Ferreira disse...

Vamos ter dia 30 uma assembleia geral do clube, muito sinceramente penso que alguém, por mim seria alguém da claque pelo efeito mediático, deveria propor em assembleia aos sócios uma serie de medidas q endurecessem o combate q estamos a travar contra o polvo benfiquista, pelos nossos estatutos o clube FCP controla nossa SAD na medida q é o clube q nomeia a maioria dos administradores da SAD, qualquer proposta votada e aprovada na assembleia do FCP clube e uma ordem directa a sua direcção e a da SAD
Eu como medidas propunha a divulgação nos monitores do estádio em looping das imagens com os roubos de q fomos alvo na época passada por parte da arbitragem bem como ainda em todos os formatos na social media do clube webpage, faceboock etc. em simultâneo e no mesmo registo propunha a exibição pelo menos da parte da prova já em posse da PJ e q édo conhecimento geral
Propunha ainda q aproveitássemos as conferencias de imprensa da champions para fazer a divulgação do caso a começar já com o desta 4ª feira
O intuito de fazer isto esta na pretensão de levar estes casos de corrupção ao âmbito da investigação internacional, uma vez que não acredito na justiça portuguesa e estou saturado de ver q todos os q estão associados ao crime (slb árbitros, políticos, jornalistas e juristas) continuam a fazer figura de inimputáveis. ate agora a denuncia foi cirúrgica mas já se esgotou a fase do bisturi é chegada a hora de usar a marreta, ninguém se iluda q neste triste Pais esta em marcha um mega processo de branqueamento do crime, não podemos consentir q assim aconteça.

Rui Valente disse...

Boa tarde, António Ferreira!

Sim, devíamos ser mais interventivos. O Porto Canal que tanto espaço temporal continua a ter vazio (senão, não precisava de recorrer a tantas repetições), podia aproveitar esta pouca vergonha para difundir a mensagem sem precisar de inventar nada. Bastava só estender o caso dos e-mails a um público mais eterogéneo. Com a colaboração de adeptos, de figuras públicas, etc. Se eles têm um porrada de canais a dizer o mesmo, como podemos nós equilibrar a balança se não trabalharmos mais?

Júlio Magalhães é damasiado comodista para isso. É o que faz asescolhadas erradas para lugares errados.