04 janeiro, 2018

À atenção do Programa Universo Porto da Bancada

É este o rosto do Nuninho (a senhora está a mais).  Ele bem se
esconde, mas a Net tem destes inconvenientes...

Não sei se é por ingenuidade, ou para não perder totalmente a "atenção" do Jornal de Notícias - que já não é muita -, tanto Francisco J. Marques como os responsáveis pelo blogue Baluarte Dragão, parecem andar distraídos com o alinhamento editorial deste diário portuense. Não é a pluralidade de opinião que aqui está em causa, é o critério com que é usado. Critério esse que só ainda não copia absolutamente o padrão da imprensa centralista de Lisboa porque ainda é cedo, mas já deram passos enormes nesse sentido (desonra lhes seja feita).  

Como é sabido, o JN é o único jornal nacional sediado no Porto que durante anos se afirmou de norte a sul do país, sem precisar de se descaracterizar. Lastimavelmente, começou a perder essa peculiaridade há uma dezena de anos, sem deixar de "privilegiar" o Porto e o Norte, como é natural a um jornal fundado nesta região.  Para os portuenses, pelo menos para aqueles que sentem os malefícios do centralismo, a última remodelação directiva (e administrativa)  piorou em todos os sentidos, principalmente o político. Como raposas matreiras, logo trataram de ampliar a cobertura a outras regiões mais a sul, com Lisboa à cabeça, sem deixar obviamente (para já...) de atender o Porto e o Norte. Assim, enquanto os deixarmos seguir esta estratégia, até podem gabar-se que descentralizaram mais o jornal, e que até aumentaram as vendas. Mas isso, será sempre um argumento pervertido e mercantilista, porque parte de quem o dirige é completamente alheio à região e aproveita-se de uma estrutura criada de raiz no Porto, por gente do Porto, para dela tirar partido em benefício dos interesses egocêntricos da capital.

A última intervenção de um dos traidores do JN (jornal da cidade que lhe deu emprego), de seu nome Nuno Miguel Maia, um obcecado a quem Pinto da Costa supostamente terá feito muito mal, tal é a perseguição que lhe anda a fazer há anos, é bem reveladora. Lá vem ele assinar o artigo abaixo plasmado, sempre, sempre a apoiar o Benfica e a procurar prejudicar o FCPorto. Não ficarei nada espantado se um destes dias vier a público o seu nome como mais um avençado do Benfica. 

É tempo, de Francisco J. Marques, assim como o Baluarte Dragão se deixarem de salamaleques com o JN, porque já não é um jornal de portuenses. Longe disso, é mais um jornal capturado por centralistas que, como se constata, nada de útil trazem à cidade.  E só se atreve a abordar o caso dos emails para não perder clientela, mas nem por isso deixa de publicar aberrações como a do energúmeno Nuno Miguel Maia. Muito do que agora é confirmado no Universo Porto da Bancada já eu percebia, mesmo sem elementos comprovativos de índole jurídicos. Regi-me por algo mais pragmático, que consiste em saber ler muito bem a diferença entre o ser, e o parecer. Não me enganei. Fosse isto sorte, estaria multimilionário! Confirmem-no aqui, se assim entenderem (Data de 08/11/2012)...

Como é possível conviver tão bem com o lixo?

CLICAR NA IMAGEM PARA AMPLIAR



3 comentários:

Anónimo disse...

Quem é esse escroque Nuno Maia!? Cartilheiro, moço de fretes do padrinho vieira, um arranjista ou um bota a baixo ressabiado.

Abílio Costa.

Soren disse...

Bom Ano caro Rui Valente.
A vergonha segue e soma e não vejo raça na cidade do Porto para dar a volta a este lamaçal.

A roubalheira é a mesma no no futebol e no hóquei por exemplo. Antes do final do ano mais um roubo descomunal no Regime vs FC Porto naquela coisa a que chamam pavilhão da luz. Abafado.

Feirense Porto com uma arbitragem atroz à qual nem sequer é dado o devido destaque. Abafada pelo classicozito da 2a circular.

O FC Porto tem que começar a fazer pressão QUANDO OS ÁRBITROS SÃO NOMEADOS. Doa a quem doer. Esta gente não é séria e as instituições desportivas estão minadas. O passamos à ofensiva ou isto vai acabar com violência, que é neste momento a única alternativa.

Se Lisboa não quer o Porto a fazer parte do mesmo país e dos mesmos campeonatos então unamo-nos e façamos algo. A acção para ser aglutinadora tem que começar nas instituições da cidade: Câmara Municipal, entidades desportivas e culturais, etc.

Lisboa e as suas instituições têm que começar a ser combatidas a sério. Se isso não acontecer é porque não interessa às elites do Porto (não entendo porquê) e porque a população anda a dormir.

O Porto clube e cidade têm que passar à ofensiva e não estarem sempre a reagir aquilo que de antemão já sabemos que vai acontecer.

Rui Valente disse...

Olá, Soren! Obrigado, e um Bom 2018 também para si.

Estou farto de dizer que este caso maquiavélico dos emails devia ter sido secundado de uma exposição categórica ao Governo por parte da SAD. Isto, apenas para forçar o Governo a retratar-se.

Se numa primeira abordagem o Governo encaminhasse o assunto para o Secretário de Estado do Desporto, o FCPorto só teria uma resposta a dar, que era alegar perda de confiança em João Paulo Rebelo. Em princípio, isto podia desencadear alguma instabilidade e provocar uma reacção da parte do 1º.Ministro. Assim, estamos a dar tempo ao Governo para se justificar e ao mesmo tempo a dar oportunidade aos vigaristas para prepararem a defesa através dos seus testas de ferro.

É uma vergonha, este país!

Um abraço