16 abril, 2018

A alma que os adeptos deram à equipa do FCPorto




Victória da determinação sobre a arrogância. Ainda nada está decidido, um vigarista, é sempre um vigarista, portanto nada de euforias prematuras. Até porque, já sabemos que estamos a lidar, não com um vigarista, mas com uma organização gigantesca de vigaristas, protegida pelo regime. São factos, e quem quiser desmentir-me, seja lá quem fôr, desde o 1º ministro, até ao Presidente da República, que o faça à vontade, porque terá muitas dificuldades em provar-me o contrário.

Os próximos jogos têm de ser encarados pelos jogadores como se fosse uma final. Sem ansiedade, que só prejudica os objectivos, mas com muita determinação e inteligência. Já falta pouco, mas é preciso jogarmos muito concentrados e evitar cometer faltas que possam dar oportunidades aos árbitros cartilhados de "fazer as coisas pelo outro lado". Jogar durinho sim, não os deixar respirar, mas limpinho. Foi com a batotice de alguns árbitros que o Benfica conseguiu manter-se no grupo da frente,  e vai ser assim que vão tentar recuperar nas próximas jornadas, contra nós e a  favor dos vermelhos. 

Herrera pode não ser muito assertivo, mas é de facto um jogador que deixa tudo em campo. Tomara eu que Brahimi tivesse o mesmo espírito colectivo e soubesse aceitar as suas próprias limitações... Não me fascina nada a sua tendência egocentrica, se em vez de querer fazer tudo sozinho, soubesse endossar rapidamente o esférico aos colegas melhor posicionados. A sua teimosia, ao contrário do que alguns defendem, causa-nos mais embaraços que benefícios, porque, se contabilizarmos os prós e os contras, concluiremos que tudo acaba com a entrega da bola aos adversários, dando-lhes muitas oportunidades para contra atacarem. Já sei que não é consensual, mas às vezes fico com a impressão que o FCPorto joga com menos um jogador. Bloqueia muitas vezes a velocidade das jogadas dos colegas, em vez de a aproveitar para abordar a grande-área adversária com objectividade. Podia conquistar muitas grandes penalidades se não tivesse aquela tentação de travar, e ziguezaguear entre os adversários até cair e lhes entregar o jogo.

Fiquei surpreendido pela positiva com a boa forma de Marega, atendendo à sua ainda prematura recuperação física, o que pode significar a restauração do trio arrasador Aboubakar/Tiquinho/Marega para os tempos que se avizinham.

Cuidado, caldos de galinha, e muita concentração, são o remédio para atingirmos a meta final. A vontade está lá, e não vai mais faltar. Se os recentes desaires não foram mais do que a velha estratégia de dar um passo atrás para dar dois à frente, tudo bem, agora só contam as victórias.

Força Porto!   

5 comentários:

Felisberto Costa disse...

Caro Rui Valente...
Estou a 100% de acordo com este post.
O Brahimi enerva-me muito mas muito, e para além de muito, mais que o Herrera, que até acho que é o nosso médio mais cerebral dos últimos tempos. Opinião minha é claro.

Roque disse...

É óbvio que Marega dá outra acutilância ao ataque mesmo quando não marca. Jogador único em capacidade física, explosão, empenho a atacar e a defender, garra e atitude, aterroriza as defesas adversárias. Aquele que,só quem andava desatento, julgou tratar-se de um "tosco". O SC, não definitivamente e ainda bem. É bom que o descansem no jogo da taça à cautela para os jogos da liga.
Hector Herrera não é nem nunca foi patinho feio. Apenas porque vai a todas a atacar, a organizar e também a defender, cobrindo algumas incapacidades por vezes neste setor, acaba por se desgastar demasiado, propiciando assim alguns erros que foram notórios no passado recente, mas que a meu ver se devem mais ao que referi e também a alguma algo inadequada compreensão dos verdadeiros atributos e funções do jogador, pelos anteriores treinadores. Atributos e funções que, Não Deveriam Ser fundamentalmente de cariz defensivo, o que o prejudica e à equipa, retirando-lhe a capacidade de jogar mais `frente onde de facto é jogador Top.
Claro que com a ausência de Danilo ele têm que somar funções nesta área, o que se compreende por a equipa não ter mais nenhum médio com as caraterísticas de Danilo.
Sobre PC, confesso que cada vez gosto menos das suas intervenções, cavalgando nitidamente a onda, sempre após as vitórias e nunca quando nos achincalham e nos roubam à descarada. Seria bem melhor o recato de PC nestas horas e deixar os festejos e as entrevistas para aqueles que, apesar dos roubos, dos desfalques e da incapacidade de se dar mais provimento humano e material por quem de direito, têm sido os heróis, competentes e capazes de ultrapassar tais obstáculos e armadilhas.

Rui Valente disse...

Meus caros,

nunca considerei o Herrera o patinho feio do plantel. Houve tempos em que cometeu muitos erros, mas melhorou muito c/ Sérgio Conceição, e ninguém pode acusá-lo por falta de empenho.

Já quanto a Brahimi, é uma pena que não saiba tirar o máximo partido do seu talento. Ele ainda não percebeu que para evoluir para um patamar superior tem de saber até onde pode esticar a corda do individualismo e trabalhar mais para a equipa. Em contraste, nunca disse uma palavra crítica de Marega, porque tal como Herrera, entrega-se ao jogo até à exaustão. Para mim, esses são os jogadores/motor de qualquer equipa.

Anónimo disse...

Eu também partilho que é preciso ter muito cuidado porque ainda não se ganhou nada. Os manipuladores vergonhosos do Polvo que só neste país é que lhes deram autorização para transmitir os jogos em casa; fazem a vigarice no filme das jogadas que eles acham que devem mostrar para criar confusão nas mentes mais distraídas. É uma vergonha o mundo de vigarices e corrupção que este Polvo faz para ganhar e se justificar.

Abílio Costa.

Francisco Paulos disse...

Foi uma bela Vitoria mas não podemos adormecer à sombra dela pois os padres tudo farão para nos dificultar a vida e empurrar os corruptos.
Se vencermos o campeonato como todos esperamos será "apesar da Sad e de Pinto da Costa". Infelizmente a sua presente incompetência será ainda premiada além do chorudo ordenado com algum prémio extra. Que aproveite uma saida em beleza ganhando um campeonato para o qual nada contribuiu....se o ganharmos.