11 abril, 2018

Por favor, não nos façam mal...



Por favor, não se portem mal! Vá lá, não mexam no que é nosso! Peço-lhes que não nos prejudiquem, isso é muito feio. Pelas alminhas, suplico-lhes que não nos assaltem a casa, não se faz. Não pode ser.  São uns malandros, apesar de alguns terem condições para se comportarem como bons cidadãos. 

É uma caricatura. A linguagem não foi exactamente esta, mas anda lá perto. Refiro-me naturalmente com ironia, é verdade, mas sem qualquer maldade, àquilo em que se está a transformar o discurso de Francisco J. Marques no programa Universo Porto da Bancada do Porto Canal.

Ponto primeiro: confirmo o que tenho dito anteriormente, aplaudo a coragem do F.J. Marques com a mesma coerência que censuro o isolamento a que foi remetido pela SAD portista em termos de imagem. Era o que faltava que Pinto da Costa (& CA) se recuse a dar-lhe apoio jurídico caso venha a precisar.  Mas, J. Marques, pelo menos, dá a cara, já a SAD, e o Sr. Pinto da Costa, não! Não me parece correcto, nem adequado para quem garante sentir-se em condições para liderar o FCPorto. Os dirigentes portistas colocaram-se no lugar de primas-donas, distantes e frias, como se o FCPorto fosse o palácio de Bukingham, e a SAD a corte inglesa.  Será que confundem o tipo de palcos que decidiram pisar?

Agora, o programa UPB já começa a perder força, e sobretudo pragmatismo. Aliás, como previ, isto acontece apenas porque o programa não foi complementado com uma estratégia combativa e assertiva, de acordo com a gravidade do caso. É triste, quase ridículo, vermos um painel de comentadores a esgotar argumentos, na tentativa de resolver um problema que só uma posição categórica poderia alcançar.

Vamos lá ver: faz algum sentido expectar que um rufia que anda há anos a alimentar-se dos favores do Benfica, se transforme de repente num menino de côro, só porque o envaidecemos reconhecendo-lhe qualidades para ser um bom árbitro, quando Luís Godinho está farto de dar provas que lhe falta o principal, que é  a seriedade?  Então agora, não parecer sério, passou a  sinónimo de seriedade? Desde quando é que um árbitro pode ser competente se fôr desonesto? Que importa se é honesto aos sábados e não é  aos domingos? Se actua assim com o clube A e já não actua com o clube B?  

É inútil insistir na tecla do impossível, as instituições desportivas são tão boas, ou piores  que os árbitros. Não vale a pena massacrar-lhes os ouvidos, porque eles fazem parte do problema, portanto não podem ser a solução. Ignorar isto, não só é uma ingenuidade, como é um escancarar de portas para o Benfica ser campeão.

A Polícia Judiciária não tem o caminho facilitado, por isso vai ainda demorar a meter na cadeia um ou outro responsável. O próprio Governo não dá qualquer garantia de intervir, antes pelo contrário, faz dos ouvidos mercador.  Como é? Já nos rendemos? É assim que defendemos a honra do FCPorto, e dos adeptos? Com lamentos? Com autênticos apelos piedosos, quando se trata da maior canalhice do futebol português?

Como qualquer portista, espero que no próximo domingo o FCPorto consiga ultrapassar os mafiosos de forma categórica, mas não creio que tenhamos feito tudo para que a nossa equipa tenha absorvido por quem de direito a energia necessária (refiro-me aos dirigentes). Só os adeptos, pode não bastar. Mas, vamos acreditar que sim.

6 comentários:

zeportista disse...

Caro Rui Valente
DE acordo om a sua visão.
Estanos a perder "chama" fruto da inércia de PC....que pensa que se ganham guerras no ar condicionado dos gabinetes.
E começam a ficar repetitivos e sem muita força a argumentação de FJM e "pares".
Tinha que se chamar,SEMPRE, os bois pelos nome....o que raramente acontece.
E sábado.....vamos ser trucidados vivos!
Um abraço

Rui Valente disse...

Zeportista,

faz-me muita confusão esta resignação, esta incapacidade
de lutar contra um bando de criminosos num regime onde ainda
é permitida a liberdade e o recurso à Justiça. Pode não ser famosa, a justiça, e é essa a minha opinião, mas ainda podemos testá-la.

Um abraço

Roque disse...

Concordo plenamente.
Não entendo esta forma excessivamente cordial de tratar os escroques.
Por vezes, como é o caso presente, a indignação e as reivindicações de justiça, legalidade e verdade desportiva, têm que ser manifestadas de forma veemente e contundente, sem medos nem tibiezas, sempre bem sustentadas pelos adequados e competentes suportes jurídicos, para não mos colocar-mos a jeito.

Anónimo disse...

O UPB é um balão que começa a perder gás. Foram proibidos de mostrar mails e disseram que iam recorrer para o Tribunal europeu . Já o fizeram? Duvido. O comportamento da Sad é absolutamente vergonhoso. A Sad é composta por gente cujo prazo de validade acabou há muito e o presidente deixou de ser uma solução para ser hoje o principal problema. Tenho vergonha de gente desta que se serve do clube em vez de o servir, continuar à frente do clube levando-o à ruina desportiva e financeira. A culpa é da massa associativa que a tudo assiste sem reclamar.

Anónimo disse...

Se a equipa não absorveu toda a energia emanada dos dirigentes pelo menos absorveu a suficiente.

Rui Valente disse...

Anónimo,

"a equipa absorveu a energia emanada dos dirigentes?" Mas que raio de energia é essa? A de vir a público comentar quando os jogos correm a contento? E defesa do clube, estará a ser feita de acordo com as responsabilidades de dirigentes?

Devo andar muito distraído, porque não consigo ver o que você vê. Mas acredite que gostava de concordar consigo, o que, no caso, não acontece.