30 abril, 2018

O paradoxo do Porto Canal


Marega, o Bugatti azul e branco...

É incrível que o Porto Canal não tenha dado a importância devida ao jogo do FCPorto com o Marítimo, enquanto os canais da concorrência, apesar de nos odiarem, não quiseram perder a oportunidade de aproveitar as audiências que um provável campeão sempre garante.

Há momentos, que ficamos com a ideia que aquela estação anda à rédea solta, que são os funcionários quem manda.

Programas interrompidos, várias vezes repetidos, pessoal de férias prematuramente, mulheres a alternar o descanso da licença pós-parto, umas atrás das outras. Enfim, tudo isto resolvido com umas cassetes, ou seja, repetições sucessivas de programação.

Ora, como o FCPorto é o accionista principal, devia estar atento a estas incompetências, puxar as orelhas ao Sr. Júlio Magalhães, e dizer-lhe que o que aconteceu ontem no Barreiros é um acontecimento de carácter generalista, e não exclusivamento desportivo.   

Estão de parabéns os portistas, os jogadores e Sérgio Conceição. Já falta pouco.

Força Porto!  

7 comentários:

Anónimo disse...

É um Porto Canal à Tijuca nem lá vai nem deixa ir, mas a culpa não é do Julinho é do Pintinho que só lá vai quando o FCP é campeão. Não falta muito ver um a entrevistar o outro.

Abílio Costa.

Vieira disse...

Ontem foi ver todos os canais a acompanhar a chegada da equipa e o canal oficial do clube a passar um debate sobre religião. Já passou a fase de ter piada, só dá pena.
Programas com padres, entrevistas a figuras que dizem zero à região Norte, malta constantemente a cheirar vinhos, música aos berros nas pausas para publicidade, e 50% do tempo de antena ocupado por uma filha de uma figura proeminente do clube. Enfim.
Se a estratégia "abrangente" do director tinha como objectivo alienar por completo a audiência e ostracizar o canal, o homem está de parabéns.
Só é pena não se poder entrevistar a ele próprio no programa com o seu nome. Era o cúmulo da soberba.

Francisco Paulos disse...

O Porto Canal foi uma vergonha. O betinho do julio Magalhães está a mais e se tivesse vergonha ia pregar a outra freguesia.

dragao vila pouca disse...

Inacreditável!
Se estivessem a transmitir um programa em directo já seria mau, não transmitir nada para transmitir uma repetição, ultrapassa todos os limites.

Abraço

Rui Valente disse...

Vila Pouca,

isso só quer dizer exactamente o que escrevi: parece que no Porto Canal quem manda é o pessoal...

Abraço

Rui Valente disse...

Vieira,

não sendo pessoa de fé religiosa - por estranho que pareça -, até gosto do programa religioso "A Falar é que a Gente se Entende". Não se discute apenas a religião, discute-se as religiões, e com muito nível.

Portanto, por mim, o problema não é esse, é o vazio de programação que continua a evidenciar-se nestes últimos dias com mais intensidade, e que reflecte uma certa anarquia, agora patenteada na indiferença com o resultado de um jogo crucial, não só para o FCPorto como para o Porto Canal, porque é também do FCPorto que o canal sobrevive.

Anónimo disse...

A CORJA.
Esta trampa do politicamente correto é uma hipocrisia que já não pega não se pode querer chuva na eira e sol no naval. O Sr Juquinha de uma vez por todas tem que dizer o que é quer para o Porto/Canal. Canais generalistas temos nós até dizer basta na capital do império. A falar do Norte nada, incluindo a RTP estação pseuda/publica, publica só para receber de todos os contribuintes de resto não passa de uma estação vermelha e da capital...