03 abril, 2019

Anónimos, e a "classe política e diplomática"...

Imagem relacionada
Seixas da Costa. o que vale
este tipo?


Confesso que não tenho nenhuma paciência para perder tempo a dar respostas a certo tipo de comentadores, que além de anónimos, são incapazes de reconhecer a degradação social e política a que o país chegou. O fanatismo partidário, e clubista, a par da pobreza cívica e da malcriadez, incapacita-os de pensar, sem procurarem saber como penso Portugal, mesmo através do que aqui está escrito desde 2007, visto não me conhecerem pessoalmente. Mas não. O azedume do ressabiamento supera qualquer sentimento de compreensão. Como tal, prefiro não desperdiçar o meu tempo a dar explicações a gente deste gabarito, visto que preferem defender marginais que andam a destruir o país, a compreenderem as suas presas (os cidadãos honestos). 

Assim sendo, teremos de concluir que se identificam com essa escumalha. E sendo assim, é porque são como eles. Uma espécie de talibans do crime e do futebol. Nada de sentimentalismos piegas portanto, isto são factos, e está a acontecer em Portugal.

Além disso, o sentido democrático que defendo é criterioso, defende a liberdade de opinião, mas não a qualquer preço. Não há liberdade absoluta. Isso é uma utopia nefasta que o falecido Mário Soares quis implementar com os resultados que se estão a ver. Esse, é o conceito de democracia da classe política actual. Conveniente, diga-se, porque serve para ocultar a veia tirana que lhes corre no sangue.

Não é o meu modelo de democracia, que preconiza o compromisso impreterível entre liberdade e respeito (recíproco). Foi justamente por não termos encontrado ninguém ligado à vida política que censurasse energicamente este "vale tudo" de pseudo-democracia, que a esta se aviltou. Estamos cansados de ouvir políticos (e membros do Governo) com uma linguagem insultuosa, digna de bordel, sem terem a mínima noção do papel reles a que se prestam. Vulgarizaram-se completamente.

Lamento não ser suficientemente diplomata para os respeitar, como gostaria. De ser frequentemente grosseiro quando falo a seu respeito, mas eles nunca entenderiam a boa educação, porque não a têm. Sabendo de que matéria são feitos, interpretariam isso como uma submissão, ou mesmo respeito, sentimento que não lhes reservo, e que prefiro dedicar a quem é realmente digno dele.

Dou-vos só um exemplo recente: o embaixador Francisco Seixas da Costa que há poucos dias tratou de confirmar um facto, que é a frivolidade de qualquer estatuto, quando falta ao portador classe, e sobretudo carácter. Há varredores de rua muito mais educados! Para mim, o ex-embaixador é mesmo baixinho, um gajo vulgar como muitos que invadiram o mundo da política. Personagem da qual me afastarei imediatamente, caso tenha o azar de me cruzar com ele na rua.

  

6 comentários:

Anónimo disse...

Rui não está a chamar Javardo a um porco!? Não, Oky, tudo a Bem da Nação.

A. C.

vidente mor disse...

E TUDO COMEÇOU COM O ARVORADO PRIMEIRO MINISTRO A DIZER NA ASSEMBLEIA DA TAL DEMOCRACIA....`` O NOSSO QUERIDO CLUBE...`` A PARTIR DAI TODOS OS DO SEU PARTIDO SE ACHAM NO MESMO DIREITO E COMO OS FAMILIARES DOS FAMILIARES DOS FAMILIARES SE EMPREGAREM UNS AOS OUTROS POIS SE ATE O PRESIDENTE ATUAL DO PARTIDO E O CAMPEAO DO TACHO FAMILIAR......PORQUE NAO TODOS OS OUTROS??

Rui Valente disse...

Nem pensar Atum Costa! De Javardo o senhor embaixador baixinho não tem nada. Isso, é só para nós, que não sabemos trocar rio por riu, à moda do Bairro Alto!

E viva os esporting!

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui Valente,

Remeto para a postagem de KOSTA DE ALHABAITE e para o blog AVENTAR que nos vem contar o seguinte:

"Que o diga o jornalista Simões Ilharco, que em 1975 levou um tiro. Seixas da Costa deixou-o entre a vida e a morte.

Muita sorte teve Sérgio Conceição. Desta vez, o embaixador pistoleiro ficou-se pelas ofensas verbais.

Pouco certeiro no tiro a Ilharco, que ainda assim escapou, Seixas da Costa foi bem mais certeiro nos seus disparos políticos. Com um único tiro junto do ICOMOS, assassinou a Linha do Tua em nome de uma barragem que interessava a muita gente.

Interessava ao Governo PS, que em 2017 o nomeou para o Conselho Geral da RTP. Interessava à construtora Mota-Engil, que o convidou para administrador da empresa. Interessava à EDP, que também o convidou para seu administrador.

É hoje tudo isso e ainda administrador da Jeronimo Martins e opinador em tudo o que é sítio.

Não há almoços grátis e Seixas da Costa sabe-o melhor do que ninguém. Ele e a generalidade do PS, que neste tipo de promiscuidades consegue ser ainda pior do que o PSD.

Os outros? Os outros são uns javardos."

É ofensivo, desmoralizador e humilhante saber que fomos representados por gente desta. Se calhar até sabemos porquê.

GUILHERME OLAIO - JAVARDO SINCE 1975

Cumprimentos

Rui Valente disse...

Nada disso me surpreende, todos os corruptos que até agora estavam caladinhos até ouvir falar do "pirata" (Ah,Ah,Ah,Ah!) estão a mostrar os dentes agora!

Lamento é que no Porto não tenha surgido ninguém a recuperar o pouco que tínhamos de nosso! Este oportunista escreve para o Jornal de Notícias, o que me dá um desgosto enorme, apesar de não dar grande atenção aos seus escritos(quase sempre fúteis). Bem sabia que a passagem da administração do JN para Lisboa (Administração) só podia dar nisto.

Que havemos de fazer se no Porto e no Norte nos falta alma e Gente brava! É só futebol e futebol. E nem mesmo assim somos capazes de ir para a rua berrar contra estes bandidos!
Cumpts.

Anónimo disse...

Uma Seixa é um pequeno quadruplo em África. A política e o futebol está cheio de Seixas e Manolos, doentes esquizofrénicos.
O insulto deste e outros anões intelectuais, são urros, latidos, uivos de desespero.

Atentamente.