22 dezembro, 2010

O que a Pinto da Costa [e à SAD do FCP] falta fazer...


Só os néscios, ou os invejosos, se atrevem a contestar as qualidades de liderança e de gestão de Pinto da Costa no FCPorto. Mesmo se tivera razões para o fazer, custa-me bastante tecer críticas a quem como ele se tornou conhecido pelo muito que fez de bem feito e pelo pouco que fez de mal. E isto, nada tem a ver com fanatismos ou com alienação clubística, porque fora do futebol, tirando casos pontuais, pouco exemplos temos dignos de louvor. De mais a mais, no que diz respeito à região Norte e ao Porto, os casos de sucesso em outras áreas, também são praticamente ignorados pela comunicação social centralista, ou deficientemente publicitados.  O Centralismo, não só é um processo retrógrado de governação, como promove a inveja com tudo de importante que se faz longe das fronteiras da capital, seja no futebol, seja na Universidade [a UP, é a melhor do país].

Pelas razões que citei, o constrangimento que sinto a criticar Pinto da Costa é directamente proporcional à força e à convicção que tenho em criticar a classe política. A classe política, além de ineficaz, desonesta e incompetente, tem causado muitos mais danos colaterais ao Porto do que um campeonato perdido pelo Futebol Clube do Porto. Só isto me basta para não lhe reconhecer qualquer serventia. A política ainda está muito longe de dar lições ao futebol. O panorama actual do país testemunha-o.

Apesar disso, há algo que está a falhar na gestão do Futebol Clube do Porto, e que Pinto da Costa como grande líder que é,  parece não estar a valorizar,  que é a política de comunicação com os adeptos. Nos últimos anos, os comentários da blogosfera portista têm traduzido eloquentemente esse descontentamento. Os sócios e adeptos percebem que o clube não tem uma estratégia de comunicação eficaz, além da voz do Presidente e do Treinador, o que lhes tem causado alguma ansiedade, nomeadamente quando o clube é atacado impiedosamente pelos principais adversários [Apito Dourado, túneis, agressões, etc.].

Vale que, o clube tem sabido atenuar esse problema com uma consistente rotina de victórias em várias modalidades, o que não quer dizer que o resolva. A verdade, é que independentemente do melhor futebol praticado na época passada pelo Benfica, o expediente das agressões usado nos túneis da Luz com a consequente privação de dois jogadores importantes [Hulk e Sapunaru], ajudou e muito o Benfica a vencer o campeonato. Se juntarmos a isso o trabalho de bastidores perpretado pelo antigo Presidente de Disciplina da Liga de Clubes, Ricardo Costa, podemos dizer que foi cozinhado o caldo perfeito para levar o Benfica à conquista do título. E o FCPorto, o que é que fez? Limitou-se a falar para uns microfones "desligados", onde só uma minoria o ouviu, ou para umas câmaras de TV manipuladas pelas respectivas Direcções de Programas... A mentira do Benfica prevaleceu como verdade, e o facto é que venceu.

Ainda assim, há adeptos que continuam optimistas e que acham que esta discriminação pode ser combatida no campo, onde se ganham os jogos, o pior é se, ou quando  começarem a perder com mais frequência... Será que o optimismo dos adeptos se manterá? Ou, subitamente inverterão todo esse capital de confiança contra a Direcção e o Treinador?

É por termos de admitir a hipótese de uma nova série de ciladas, ainda mais perigosas do que as anteriores [e consentidas], esquematizadas pelos protagonistas do costume [conspirações e intrigas de toda a espécie], que o FCPorto podia já ter planeado uma joint-venture com uma nova operadora de TV dotada de excelentes recursos técnicos e humanos para se defender da concorrência desleal. Esse investimento poderia ter um retorno positivo não só em termos promocionais para o clube, como simultaneamente debilitaria a agressividade da concorrência. Mais do que a perda de audiências, o rombo nas TVs centralistas notar-se-ia na perda de credibilidade resultante da necessidade de lidarem com o contraditório em igualdade de circunstâncias e meios. As televisões em Lisboa, pública e privadas, são parceiras do mesmo ofício, não são concorrentes, a concorrência é feita praticamente contra o Porto e o resto do país.

Para além das victórias desportivas do FCPorto, aquilo que como portista e portuense mais gostaria de ver realizado, é que a Direcção do clube, ainda no mandato de Pinto da Costa, fosse capaz de gerar um projecto desta natureza, para bem do clube, e do Porto. 

8 comentários:

r.m.silva da costa disse...

Tem constituído para mim uma certeza estranheza o silêncio do FC Porto sobre o tema da criação de um canal próprio de televisão. Estou certo de que este assunto já terá estado sobre a mesa da direcção da SAD mas, provavelmente, não terá obtido mérito suficiente para levar para a frente qualquer iniciativa nesse sentido.
Quando apareceu o Porto Canal ainda fiquei na expectativa de que, de alguma forma, o clube tivesse nele uma parceria que lhe facultasse aceder à programação do canal, mas tal não se verificou.
Ao que já li, o Sporting, está empenhado em criar o seu canal próprio e não me parece que tenha melhores condições do que o FC Porto para o fazer.
Ressalvadas as questões de natureza económica, penso que uma estação de TV a partir do Porto, servida por gente esclarecida, viria preencher uma lacuna até agora aberta.

dragao vila pouca disse...

Rui, nesta matéria, tenhamos esperança que seja ano novo, vida nova. Mas não acredito muito... e então a ganhar...

Um abraço

Rui Valente disse...

r.m.silva da costa,

o Porto Canal que pertence à Mediapro uma empresa espanhola, podia ser um desses parceiros, mas está sujeita, a qualquer momento, a ser absorvida por um forte grupo económico, com aconteceu com a TVTEL que agora é detida pela ZON.

O FCPorto teria de encontrar parcerias de confiança de forma a blindar a sua estrutura jurídica e organizativa dos assédios dos tubarões para não morrer logo à nascença...

Nem sequer considero fundamental que tivesse o nome do clube ou se dedicasse apenas ao futebol. Acho até que devia ter carácter regional/generalista e dispor de uma ampla cobertura desportiva dedicada ao nosso clube.

Anónimo disse...

O presidente do FCPorto é um cidadão português mas antes de mais, é um homem do Porto e do Norte.

Se o governo canalha, fosse governado como é o FCPorto não estavamos na situação em que nos encontramos.

Porque raios é que capital foi lá para baixo quando Portugal começou aqui !? triste sina a nossa.

Tenho esperança que ainda vamos ter um canal do FCP, Museu e quem sabe mais tarde uma piscina.
Se tivessemos o poder cá, tinhas tudo isso mas como a manjedoura está lá pra baixo.

Viva o FCPorto, Viva a cidade do Porto, viva o Norte, viva o Presidente Pinto da Costa.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

r.m.silva da costa disse...

Perfilho inteiramente a ideia contida no último parágrafo da resposta ao meu comentário.

DEACON BLUE disse...

Caros amigos,

Já escrevi o que penso sobre esta matéria aqui ou no blog do caro vila pouca.

Quero dizer-vos meus caros que não acredito que uma reflexão deste tipo não tenha já chegado aos ouvidos do nosso presidente ! não acredito!
Parece-me portanto que o nosso presidente não lhe está a atribuir a importância devida.
Trata-se de uma area que nesta treta de pais tem diferente/mais importancia pelas razões que se sabem...

Na minha modesta opinião, dresenvolver/criar algo circunscrito a uma região ou canal codificado, está condenado ao fracasso, ficaremos em dialogo entre portas....
Creio que existem neste pais pessoas/empresas com know how para apontarem o caminho certo ao nosso clube nesta area! Mas, por causa de certos sufismas (não vá o diabo tecê-las...) Eu sugiro irem contratar os serviços de alguém lá fora....despidos de qualquer clubite tuga chungosa.....entrar em grande ! Custos? para o FCP? peanuts !

Sr. Jorge Nuno ! Abra os olhos! é tempo de olha com seriedade para isto.

BOM NATAL A TODOS!

FernandoB disse...

Vejo este assunto com muitas duvidas, minhas e da Direcção do FCP (desculpem a comparação).
Queria só contar um exemplo:
Tenho um amigo de há alguns anos, intimo de meu genro e filha, homem culto, inteligente, licenciado em Economia (na Estatal), empresário por ele mesmo, não herdou (!), com quem tinha longas conversas sobre Desporto, sobretudo futebol...
Ele benfas até aos ossos, mas com quem se podia conversar...

Eis que um dia me anunciou ir mudar para a "meo", pois poderia ver o canal dos benfas...

Amigos, acreditem, acabou a conversa educada, utiliza argumentos entre o bacoco e o senil (tem 40 anos !), não tem pensamento próprio, e eu, que adoro cavaqueira sobre dezenas de assuntos, desisiti simplesmente de ter outra conversa com esta personagem, a não ser sobre o tempo, e se as crianças estão bem...
Onde quero chegar ? Com 3 Tv's, dos 3 grandes, a fanatizar o pessoal, não espero nada de bom no futuro... É só uma achega...

Rui Valente disse...

FernandoB,

o que eu proporia está nas antípodas do fanatismo, não seria nada semelhante à BenficaTV [que aliás é um fiasco]. Era só uma televisão assumida e descomplexadamente regional/generalista onde o FCPorto pudesse ter uma parceria com outros grupos económicos regionais de confiança [se é que isso ainda existe] e ao mesmo tempo se pudesse defender do sectarismo lisboeta/centralista. O Porto Canal de certo modo já está a fazê-lo, mas não tem poder económico suficiente para consolidar essa pouca autonomia. Não tarda [vai ver] será absorvido por um tubarão de Lisboa ou pela própria RTP...
A última coisa que eu proporia era imitar a porcaria que se produz em Lisboa! A política editorial que é lá seguida, indigna-me, mas não me causa inveja. Bem pelo contrário, desprezo-a.
Quanto à MEO, já por várias ocasiões fui contactado para aderir e a resposta que dei foi que, enquanto visse "Gatos Fedorentos" a promovê-la nunca me teriam como cliente!