14 abril, 2011

Discriminadores, incompetentes e burros!

Estado arrecada só 23% da receita prevista nas SCUT
[JN]

Mantendo-se o nível de tráfego nas ex-SCUT, valor das portagens em 2011 rondará os 56 milhões de euros


Portagens cobradas nas três vias (A28, A29 e A41/42) garantem menos de um quarto do dinheiro a pagar às concessionárias

Tráfego diário com diminuição de cerca de 61 mil veículos Os encargos da Estradas de Portugal em 2010 com as três ex-SCUT rondou os 237 milhões de euros e as portagens cobradas no último trimestre do ano ficaram-se pelos 14 milhões de euros. Ou seja, as receitas chegam para pagar cerca de 6% dos encargos.

Partindo dos valores do último trimestre de 2010, é possível estimar que as receitas com a cobrança de portagens cheguem aos 56,4 milhões de euros.

Se as rendas se mantiverem nos 237 milhões de euros, os proveitos chegarão para pagar 23,7% dos encargos da Estradas de Portugal.

De acordo com o boletim das parcerias público-privadas da Direcção-geral do Tesouro e Finanças as ex-SCUT, Grande Porto, Norte Litoral e Costa da Prata tiveram como receitas 12,1 milhões de euros, um montante que, refere o documento, poderá ser acrescido de mais cerca de dois milhões de euros, dado desfasamento que houve nos primeiros meses de implementação do sistema entre a passagem dos veículos e a respectiva cobrança de portagens. Sublinhando que ainda “estão a ser cobrados valores de portagens de Outubro de 2010”.

O mesmo documento dá conta que a Estradas de Portugal teve que pagar às concessionárias das três vias uma renda fixa que rondou os 237 milhões de euros.

Contas feitas os proveitos pagaram apenas 5,9% dos encargos fixos.

E as notícias não tendem a melhorar, uma vez que de acordo com o Instituto das Infra-estruturas Rodoviárias , nas três ex-SCUT registou-se em média, desde 15 de Outubro de 2010, data de início da cobrança de portagens, uma redução do tráfego diário superior a 40%.

1 comentário:

Anónimo disse...

Este primeiro ministro só tem mostrado que dá tiros no pé.
É nas escolhas para câmara do Porto, para presidentes da república, Scuts, etc, etc.
Não acerta uma, porque não tem competência para ser 1º ministro.
Está a discriminar o Norte do resto do país, não só nas scuts, mas em tudo.
Vai ficar para a história de Portugal como o Pinóquio da 3ª república.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO