28 fevereiro, 2012

Que Porto Canal pretende o Júlio Magalhães?

Vamos por partes. Se vivessemos no melhor dos mundos - ou, baixando o nível da ambição -, num país coeso e bem governado, onde um tripeiro se sentisse confortável em Lisboa, sem sequer imaginar ser discriminado na sua condição de portuense e portista, acharia um disparate o que a seguir vou escrever. Como a realidade não corresponde, nem de longe nem de perto, a nenhum desses casos e a discriminação de que vos falo tem várias frentes, talvez importe encararmos o assunto como uma coisa séria.

As frentes dessa discriminação começaram na política, percorreram a economia, cresceram no futebol, e terminaram em toda a sociedade. Os nortenhos, em particular aqueles cujas raízes à região são fortes, sabem muito bem que não há ponta de exagero neste diagnóstico, porque a história não o pode desmentir [a não ser que também a adulterem]. Há registos em vídeo, na rádio e na imprensa do mal que nos tem sido feito. A memória dos factos, evoca-nos imensas declarações de desprezo, de ironia sectária e de conspirações ao Porto/FCPorto de algumas figuras públicas de Lisboa [e outras do Porto], simpatizantes do Benfica, em programas de televisão, para já não falar das infindáveis entrevistas mediáticas para tentar explorar e influenciar o resultado do processo Apito Dourado e a eliminação do Presidente do FCPorto, e por tabela, do próprio clube. E então? A memória já não tem valia?

Tudo o que acima descrevi remeteu-me para uma ocorrência da qual já aqui vos falei e que me começa a preocupar, que é a obsessão de Ricardo Couto em convidar para o programa do Porto Canal, "À Conversa com Ricardo", figuras públicas como as que atrás referi. Se a memória não me falha, Ricardo Couto num curtíssimo espaço de tempo já convidou: a astróloga/tia, Maia, o Fernando Alvim, o António Sala, e muitas outras pessoas de Lisboa, relacionadas com o Benfica, e que ainda por cima não acrescentam qualquer mais valia para o canal. Por este andar, qualquer dia Ricardo Couto vai-nos brindar com a presença de Luís Filipe Vieira,  para fazer umas palhaçadas...

A questão que se coloca é a seguinte: o que é que Ricardo Couto, ou alguém por ele, pensa que pessoas com este "perfil"  podem trazer de verdadeiramente inédito à programação do canal? O que é que estas pessoas têm de especial que o justifique? E no Norte, já se esgotaram as figuras programáveis? Será este o caminho para que aponta o Porto Canal no sentido de dar mais norte ao Norte? Será porventura Pinto da Costa quem selecciona os convidados? E ele, terá conhecimento, por acaso, sobre que tipo de pessoas é que estão a recair as preferências da régie para o programa? Quem as escolherá, afinal? E qual é o papel de Júlio Magalhães no meio destas aberrações/provocações programáticas?

Talvez tenha chegado a altura de alguém de direito transmitir o que se está a passar no Porto Canal a Pinto da Costa, caso contrário, um dia destes até ele, se lá quiser entrar, ainda vai bater com o nariz na águia Glória ou nalgum steward do Benfica.


PS: 
Enviarei para o Porto Canal este post.    

3 comentários:

marujo88 disse...

Eu penso que está muito mal o Porto canal ao enveredar por este caminho,se é para ter audiência,então está a fazer como a rtp,sic e tvi,que praticamente só tem benfiquistas e gajos do governo,para isso não vem trazer nada de novo ao norte e aos portistas em particular,eu quando vi lá o antónio sala até achei que era uma provocação e virei logo para outro lado,parece que são escolhidos os gajos do benfica para lá ir,qual é o objectivo é dizer que o canal é pluralista?
Assim não,já agora mudem o nome do programa para:á conversa com os benfiquistas,pelos vistos a montanha pariu um rato!
Um abraço
manuel moutinho

Anónimo disse...

Não sei qual é a ideia do sr Júlio Magalhães para o Porto/Canal, mas sei que já estive mais entusiasmado do que hoje.
Quanto ao programa sr Ricardo Couto; francamente não o acho nada de interessante, pelo contrário, fala muito, risse de mais, enfim, é um programa pobre e dar voz a toda corja vermelha e da capital, não me admirava nada que um dia entrevistasse o embuste Vermelho.
Outra coisa que eu não acho também interessam-te, é porque onde ser sempre os mesmos a fazer comentários sobre o FCP à 2º feira.
Espero que haja melhores ideias, para um novo Canal que quer crescer.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO

duarte disse...

De facto, o Ricardo Couto,e o seu programa, mais o Bolhão Rouge, é do mais pobre a se pode apresentar a uma Região, vamos lá sair da Cidade e procurar coisa interessantes na nossa Região/Norte.