02 outubro, 2014

Porto. Fashion. Lopetegui.



1. O "Porto." é uma imagem notável, numa campanha notável, que encherá de orgulho as pessoas da cidade e reforça um facto muito discutido no círculo dos decisores: o peso e força da palavra "Porto" enquanto marca. O que é o "Norte"? É internacionalmente vago, é um ponto cardeal, não é específico de Portugal. Mas Porto, da cidade do "Port wine", do F.C. Porto, é uma palavra distintiva em todos os mapas e encaixa com o carisma único da cidade.

Ainda este fim de semana, passeando pela Ribeira com um americano que estava cá pela primeira vez, via-o boquiaberto com o caráter da arquitetura, com a história, com a temperatura das pessoas e a amabilidade das ruas neste fim de outono extraordinário. Fred Sweet é o diretor do mais importante festival do Mundo de "fashion films", que todos os anos se realiza em San Diego. Era convidado da 1.ª edição do Porto Fashion Film Festival, que sexta-feira decorreu no Rivoli e que se traduziu numa outra experiência notável: o salto de conceito e posicionamento das marcas de roupa e calçado nacionais para o mundo da Internet (onde todas marcas e estilistas têm de estar).

Também por causa do evento, o mais bem sucedido realizador de "fashion films" na internet, o londrino Justin Anderson, andou por cá a mostrar o seu trabalho "fora da caixa" e a fazer parte do júri que escolheu os melhores "fashion films" da moda portuguesa.

Em cada visitante, esta sensação incrível de um espanto colossal com a forma como a cidade passou a ser tão bem cotada no turismo mundial e se percebe repleta de turistas por todo o lado.

Esta mistura do azul do céu, do mar, do rio, dos azulejos, do clube, trouxe uma unidade extraordinária à cidade, e a Câmara do Porto está de parabéns pela síntese que esta marca-valor representa para o futuro. E para o "Porto." ser mais do que apenas uma expressão gráfica, seria necessário que o Norte aceitasse que "Porto e Norte" são cada vez mais gémeos. A união destas ideias pode trazer mais investimento e força a partir das empresas, universidades, da Comissão de Coordenação - neste momento, decisivo para arrancar o Norte da cauda das regiões mais pobres da Europa.

Seria uma maldade sem nome que o poder central, mil vezes avisado sobre o que faz o ostracismo à periferia (Catalunha, Escócia, Córsega, País Basco), não desse uma oportunidade a esta região que precisa de investimento físico e educacional para, em cinco anos, sair definitivamente do fim-do-fim do pelotão europeu.

2. Como ainda ontem este jornal dava conta, cinco milhões de euros perdidos por dia em engarrafamentos de trânsito justificariam um investimento massivo em transportes públicos nas grandes cidades. Infelizmente, uma das decisões mais arrepiantes deste Governo foi a de alinhar complacentemente na fobia de Bruxelas face ao crescimento da rede de transportes portuguesa - dados os prejuízos das empresas de transportes. Esquecendo porém que se não forem feitas melhorias de serviço em quantidade, no fecho da rede (o caso do Metro do Porto é gritante) e na (pelo menos) não subida de custos, nunca mais lá chegamos.

Perder-se um novo financiamento comunitário até 2020 sem praticamente nada fazer, será criminoso. Porque, estou em crer, poucas coisas fizeram mais pelo Porto e pela região que o Metro (e a sua ligação às cidades vizinhas ou ao aeroporto). O que não seria se pudéssemos continuar?

3. Lopetegui faz lembrar Artur Jorge. Tático. Duro com os jogadores. De opções controversas. Com arranques difíceis (a derrota contra o clube galês da 4.ª divisão, o Wrexham, nas provas europeias, quase foi o fim dele). Ambos fanáticos do controlo de bola (com Artur Jorge, até muitos cantos eram marcados à maneira curta). Lopetegui representa o regresso do treino científico ao Dragão. Há que esperar. Artur Jorge conseguiu ser campeão europeu, mas não ganhou sempre. E não me esquecerei de um Porto-Penafiel nas Antas, com um confortável 3-0 no marcador, o clube em primeiro, e a equipa a ser assobiada. Lopetegui, tal como alguns dos melhores que por ali passaram, pode não agradar já, mas tem uma ideia de futebol. Não é pouco, nos dias que correm.

[do JN]

1 comentário:

Anónimo disse...

O Porto é uma Nação, que deu o nome a Portugal, é uma cidade com grandes marcas mundiais FCP, Vinho do Porto, é uma cidade antiga cheia de historia, é património mundial, na gastronomia, nem falamos, as famosas tripas e as melhores sandes com molho do mundo as francesinhas, é uma cidade de Gente com um Coração muito Grande.

Abílio Costa.