25 fevereiro, 2015

O brilho da ética alfacinha, versus Portugal dos pequeninos

Clicar sobre a imagem para ampliar


É incontornável, e (para mim) impossível de dissociar, a indecência instalada no futebol português, da mediocridade de um grupo de garotos que no Terreiro do Paço queimam o tempo a brincar aos governantes.  A fazer coro com esta mediocridade temos um cavaco a imitar (mal) um presidente da República.

Mas descansem. Quando, ou se, acontecer uma desgraça a valer, com mortos e feridos num qualquer campo de futebol, veremos estes palhaços [agora alheados do que está a passar],  com aquele ar hipócrita que os caracteriza, a carpir mágoas de crocodilo,  exalando um hálito tão tóxico, tão tóxico, que, com um bocadinho de sorte, e um sôpro de justiça divina, talvez os faça morrer do próprio veneno. 

Amen!

3 comentários:

Anónimo disse...

"Arquivos dos últimos 25 anos" aconselha-se a leitura desta cronica no blog REFLEXÃO PORTISTA.

Anónimo disse...

Capela no Benfica-Estoril( que não pode actuar com os habituais centrais!).

Anónimo disse...

Com estes Sendeiros que mandam no nosso futebol, isto vai ficar em águas de bacalhau. Se fosse o FCP, à que del rei, os ministros já tinham mandado a polícia e os pasquins de lá de baixo já tinham feito a sentença. Isto não vai dar rigorosamente nada, porque estas duas mulheres da vida, as autoridades anda a come-las, depois vão ser recauchutadas para lhes dar a virgindade...

Abílio Costa.