31 janeiro, 2016

"Charme" do Porto conquista jornal dos EUA

"Charme" do Porto conquista jornal dos EUA

A estação de S. Bento é o ponto de partida para a rubrica "36 horas em", do jornal norte-americano "New York Times" (NYT), sexta-feira centrada na cidade do Porto.
O jornal elogia os "estonteantes edifícios dos século XVIII e XIX" do centro histórico do Porto, os bares alternativos e as boas vibrações da cidade, "facilitadas pelo excelente vinho", para concluir que "é difícil encontrar algo que não se goste na cidade do Porto".
A nova vaga de restaurantes, alojamentos modernos, o design dos novos estabelecimentos e a comida são elogiados pelo NYT. "Um dia ideal no Porto combina a grandeza da sua história com uma descontração a tempo inteiro", escreve Nell McShane Wulfhart.
Da estação de S. Bento, encantado com os azulejos característicos de Portugal, o autor desceu em direção ao rio, para comprar vinho do Porto ou experimentar a restauração local, da típica à moderna, com elogios a José Avillez, em Mouzinho da Silveira, e Pedro Lemos, na Foz, mas também à "miríade de confeitarias" da cidade e aos muitos locais para petiscar.
Segundo o NYT, "a fantástica amálgama de detalhes de arquitetura" da Sé do Porto resulta num edifício que vale a pena fotografar, por dentro e por fora.

O Centro Português de Fotografia, na antiga cadeia de Relação, e a Torre dos Clérigos fazem, também, parte do percurso.


(Fonte:JN)



Nota de RoP:

     

3 comentários:

Anónimo disse...

Fico feliz por saber que há empresariado privada a investir na Cidade do Porto, porque se estivesse-mos a espera de alguma ajuda do governo, TAP, e outras aberrações lisboetas que por aí andam, estava-mos despidos de modernização e era-mos aquela cidadinha simpática para Inglês ver.
Bem haja, ao investimento que nos tire do marasmo...

Abílio Costa.

Anónimo disse...

caro senhor rui valente.
ainda no outro dia a propósito de uma noticia sobre o assunto da TAP, escrevia um senhor que suponho ser da cidade do Porto o seguinte comentário, passo a citar:
"como agora o Porto está a ultrapassar Lisboa no que respeita ao Turismo, já nos querem prejudicar"

Deixando de lado a polémica da TAP (é de fato uma falta de noção do que é o serviço público)convém salientar que esse complexo de inferioridade existe, tanto de um lado como do outro, é preciso reter bem isso e não ser demagogo.

é que pessoas que fazem comentários deste género são às centenas. como é possível que uma pessoa profira semelhante comentário quando em 2014 Lisboa recebeu 13 milhões de visitas e o Porto recebeu 3 milhões?

Não podemos entrar numa lógica de guerrilha quando ela não faz qualquer tipo de sentido. O Porto tem de explorar ao máximo o seu potencial e Lisboa tem de fazer o mesmo.

Temos de dotar as duas dos mesmos meios para atrair turistas, se necessário fazer barulho como foi com o rally de Portugal e agora com a TAP ou com o redbull air race. Não faz é qualquer sentido este tipo de acusação de inveja e complexo de inferioridade, deixemos isso exclusivamente para o Futebol que a bem ou mal é onde isso existe.

sou do norte, trabalho em Lisboa e vejo melhor que ninguém o que une e distancia as pessoas.

Rui Valente disse...

Caro Sr.,

desculpe mas, não concordo consigo. Não são comparáveis as situações entre o Porto e Lisboa e o senhor fala como se tivessem ambas as mesmas condições, o mesmo tratamento pela parte dos poderes políticos. Dando de barato os privilégios próprios de uma capital, é inaceitável que Lisboa se aproveite de fundos europeus destinados a outras regiões justamente por serem mais pobres (a média salarial em Lisboa é muito superior em Lisboa que no resto do país, Porto incluído), quando a região mais exportadora (produtiva) é no Norte e no Porto. Em Lisboa é que há essa ideia de rivalidade, mas isso é uma forma grosseira de iludir o problema. Não colhe. Todas as cidades têm as suas próprias características e valem pelo que as suas gentes são capazes de realizar. O Porto, Braga, Guimarães, Aveiro - só para falar das mais populosas - estão constantemente na mira do mundo pelas suas comunidades cientificas de excelência, pela inovação, pela ciência, pelas suas universidades, agoar também pelo turismo. Enfim, tanta coisa, que é isso que me espanta. Tão maltratados pelos poderes centrais, pela comunicação social, e ainda assim, somos uma referência. Tudo ao contrário do que faz Lisboa. Não há portocentrismo, meu caro. Essa, é outra patranha inventada para manter o país dividido.
Quanto à ciumeira, não existe da nossa parte. Não queremos ser capital, queremos é ser tratados com respeito.