11 fevereiro, 2016

Rui Moreira ameaça TAP com boicote nortenho

Image de Rui Moreira acusa TAP de suprimir voo noturno estratégico entre Lisboa e o Porto
TAP colaboracionista do centralismo

Há uma escalada na “guerra” da Câmara do Porto à estratégiaanunciada pela TAP para este ano, no que envolve o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, e o presidente da autarquia, Rui Moreira, garante que as duras críticas que tem feito não vão parar. “Não é o momento de inverter a estratégia”, disse esta quarta-feira na reunião do executivo, em que deixou claro que as próximas batalhas podem chegar mesmo a um apelo ao boicote. A polémica já ultrapassou, entretanto, fronteiras, com o alcaide de Vigo, Abel Caballero, a pedir “uma investigação” à União Europeia por causa das declarações de Moreira sobre afutura ligação Lisboa-Vigo da TAP.
Com a garantia de apoio de todas as forças políticas representadas no executivo, Rui Moreira não aceitou a sugestão do vereador Amorim Pereira, do PSD, para que a região pare “de correr atrás do prejuízo” no caso da TAP e se concentre nas companhias que querem, de facto, estar no Porto. “Fazer exigências é uma guerra perdida. Devemos negociar com as companhias aéreas que estão interessadas no Porto: a British Airways, a Lufthansa e as low-cost”, disse o social-democrata. “Ainda não chegou o tempo de nos calarmos e conformarmos. Poderá chegar o tempo de apelarmos à população da Região Norte para não voar na TAP, mas esse tempo ainda não chegou”, contrapôs Rui Moreira.
Referindo-se às recentes alterações ao capital da companhia, que fará aumentar o capital do Estado para 50%, o presidente disse “querer acreditar” que ainda se pode “reclamar alguma coisa”, mesmo defendendo que toda a estratégia da companhia aérea, centrada em Lisboa, tem objectivos bem definidos — construir um novo aeroporto na capital, fazer o TGV e “uma nova Expo do lado sul”. “Isto já não se resolve com a regionalização, isto é um problema de regime”, defendeu o autarca, argumentando: “Temos sido uns carneiros e temo-nos iludido com promessas sucessivas. Lembro o TGV e todas as versões para o Norte. O que se vai construir vai ser Lisboa-Madrid, não tenho dúvidas. O Porto de Leixões está prestes a esgotar a capacidade, mas não é aqui que se vai investir, é no Barreiro. E vão fazer a terceira ponte [sobre o Tejo], não tenho dúvidas. É um objectivo do regime”, disse.
Durante o debate no executivo foi o próprio Rui Moreira a informar os vereadores de que a polémica ultrapassara as fronteiras do país, ao anunciar que o alcaide da cidade galega de Vigo, Abel Caballero, tinha pedido à União Europeia que investigue as declarações do autarca portuense sobre a anunciada ligação Lisboa-Vigo — um anúncio feito na terça-feira pelo governante espanhol e que está reproduzido na edição desta quarta-feira do diário galego Faro de Vigo. “[Caballero] até pode chamar a PIDE”, insurgiu-se Moreira, afirmando que não aceita “lições” do outro lado da fronteira e que mantém as críticas que suscitaram a indignação galega. “A ligação Lisboa-Vigo é um insulto ao Porto e pretende destruir o aeroporto do Porto”, reiterou.
E esta não é a única pedra no sapato do autarca. “Não me conformo com a ponte aérea [Lisboa-Porto]”, defendeu Rui Moreira, declarando aos vereadores que esta ponte aérea – que começa a 27 de Março, com voos de hora a hora, desde as 5h30 e as 22h25 –  “é muito interessante para um accionista que tem aviões parados no Brasil e não sabe o que lhes há-de fazer”, numa referência a David Neeleman, proprietário da Azul e um dos donos da TAP. “Não é o interesse da TAP que está a ser privilegiado, quem está a ser privilegiada é a White”, concluiu o autarca.
Os aviões da White Airways vão operar a maior parte dos voos da ponte aérea e são alugados à Azul Linhas Aéreas Brasileiras, a empresa de David Neeleman, que é um dos novos donos da TAP. Rui Moreira questionou se a companhia portuguesa iria agora funcionar em regime de “outsourcing”.
O Estado português vendeu 61% do capital da TAP, a 12 de Novembro de 2015, ao consórcio Atlantic Gateway, liderado pelos empresários Humberto Pedrosa e David Neeleman. A operação foi concluída ainda pelo anterior Governo PSD-CDS, e contra a vontade do PS, que viria a a formar Governo, duas semanas depois do negócio, com o apoio de uma maioria parlamentar de esquerda. Na altura do negócio – que o novo Governo entretanto alterou, com o compromisso de recomprar parte do capital até ficar com 50% para o Estado –, Neeleman prometeu fazer concorrência à Easyjet e à Ryanair, duas companhias low cost. "Vamos fazer uma Ryanair em cada nave", disse o empresário na altura, acrescentando que haveria "tarifas mais baratas".

Nota de RoP:
Tudo acontece ao Norte. Agora falo do Norte, não apenas do Porto, porque isto que está a acontecer com a TAP é demasiado grave, e interessa a todos os nortenhos. O Rui Moreira tem razão. Esta decisão da TAP tem como objectivo principal justicar a construção de uma nova ponte no Tejo e um novo aeroporto. É uma vergonha! 
Se ao menos Direcção do Porto Canal soubesse o que realmente importa para a região, já tinha, há muito, promovido programação vocacionada para assuntos desta matéria (TAP) . Mas não. Acabou com o único programa que tinha (Pólo Norte), sem dizer água vai, água vem (como é costume), e entretem-se a imitar os canais de Lisboa. Apesar de fazerem constar que são amigos, a verdade é que Rui Moreira não vai ao Porto Canal e continuamos sem saber porquê... Alguém entende isto?
Agora, também temos que lidar com o problema "NOS". O FCPorto nem sequer procurou defender os interesses dos portistas vinculados com a NOS. Lavou as mãos como Pilatos, como se não tivesse nada a ver com o assunto. É claro que tem. Não sendo a operadora, o FCPorto é parte interessada, logo devia acautelar esta situação e incluí-la nas negociações. Interessou-lhe só o dinheiro. Os vermelhos e verdes, podem não ter o mesmo retorno financeiro, mas trabalharam melhor as conveniências dos adeptos.
Os clientes da NOS vão ficar privados do Porto Canal, resignados a aceitar esta ilegalidade, sem sequer saberem se podem apresentar queixa com garantias de desvinculação gratuita, caso o entendam fazer. 
Agora, a direcção do FCPorto, directa, ou indirectamente,  só nos cria problemas, angústia e uma grande revolta. Onde isto chegou.

7 comentários:

Anónimo disse...

qual a alternativa para voltar a ver o porto canal? sou cliente da nos era adepto do futebol club do porto, e agora fazem isto a quem devo reclamar, é vergonhoso é o pais que temos!

Anónimo disse...

Este problema da TAP é só um problema exclusivo do Governo, porque o parceiro privado não conheço de lado nenhum, nem quero saber quem é este senhor, se só tem a 4ª classe e foi subindo a pulso ó com cordas de alpinista. Conheço o brasileiro que lá anda há muitos anos e nunca fez nada senão receber o dele ao fim do mês e muito.

O governo lesa pátria, governado por um coelho que só sabia vender património nacional vendeu 61% ao tal senhor, mas o sr Costa consegui desfazer o primeiro negocio e renegociar ficando Estado com 50%. O sr Costa ó melhor governo, tem tanto direito de resolver esta aldrabice como tal senhor. Isto é um assunto de interesse Nacional e o Norte não serve só para dar votos. O presidente Rui Moreira tem todo o nosso apoio.

Ficamos sem o Porto canal não ficamos sem grande coisa, tirando dois ou três programas e algumas transmissões do FCP. O que mais me preocupa é o dinheiro que o FCP lá empatou para empregar alguns familiares em programas sem pés nem cabeça. Estou convicto que estes grandes tubarões que negoceiam com o nosso dinheiro, (até parece guerra entre padrinhos da máfia) vão chegar a um acordo para bem dos dois! porque pelos pagantes estão-se nas tintas.

Abílio Costa.

Soren disse...

Primeiro era a favor da privatização e a TAP só "fazia sentido privatizada". Agora que os privados como era expectável, olham pelos seus interesses e promovem o centralismo, já quer que o Estado o ajude.

Estes meninos queques de direita são de uma coerência que até mete dó.

Transportes e energia privatizados. Viva o terceiro mundo.

Anónimo disse...

Quem é este Gringo este capataz para dizer que Lisboa é que é prioridade!? Então sr António Costa não dizes nada, o governo é só para ficar com o prejuízo e o sr privado que não conheço de lado nenhum é que leva o lucro.
Estas afirmações do Azeiteiro de há muitos anos o sr pinto armado em galo, têm que ser encaradas como uma ameaça uma guerra para com o Norte.

Abílio Costa

Rui Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Valente disse...

É verdade. António Costa já se devia ter demarcado destas anunciadas intenções. Está a dar razão a quem afirma que o Governo não tem qualquer voto na matéria. A partilha do capital, não é aplicada à partilha das decisões.

Anónimo disse...

Esse Bluff essa falácia do brasileiro sr Pinto, que é um capataz muito bem pago, que tudo faz para agradar ao dono privado, já fazia o mesmo quando a TAP era só pública, e que a levou à falência.
Já há vários Concelhos do Norte que se juntam à voz de revolta de Rui Moreira, espero que o Governo tenha uma palavra de sentido de Estado, que é para ir ao encontro do Sr primeiro Ministro A. Costa que tanto apregoou a descentralização. Vamos aguardar se este Brasileiro, vai ou não ser acompanhado à guitarra e viola pelo Governo.

Costa do Castelo.