09 março, 2016

O paradoxo deste FCPorto

Mal comparando, associo a passividade de alguns portistas com a metamorfose de Pinto da Costa, com o baixo grau de exigência dos portugueses na hora de eleger governantes. É um facto, que o presidente do FCPorto ganha na comparação, devido a um currículo acumulado fabuloso que lhe grangeou um enorme capital de confiança, e sem paralelo no dirigismo desportivo, coisa que nenhum governante ousou imitar em 42 anos de democracia*. São áreas e graus de responsabilidade diferentes? São! Mas em 42 anos de democracia, era obrigatório termos um país melhor, mais simétrico e justo. Nunca tivemos homens para isso. Na sua área, Pinto da Costa foi um vencedor, contra tudo, e contra todos, a sério. Agora, brinca com o centralismo, e dá-lhe palmadinhas nas costas (espero que ninguém me processe)... Não é o mesmo homem.

Seria mais ajustada a comparação, se Pinto da Costa continuasse nessa onda de lutador, de competência e sucessos, ou se, pelo menos, soubesse reconhecer as suas actuais limitações e as consequências daí inerentes para o FCPorto. Assim não o entendeu, e agora arrisca-se a desbaratar esse currículo colocando os portistas divididos entre a expectativa da incerteza, e a certeza da decepção. Pior, arrisca-se a perder o respeito dos adeptos. 

Eu, estou no grupo dos portistas decepcionados. E já não tenho dúvidas que o FCPorto, a continuar nesta torrente de arrogância silenciosa com os adeptos, e de submissão fraterna com os inimigos (e do clube), está a destruir um passado de honrarias difícil de recuperar nos anos que se avizinham. A menos que, haja alguém (não vejo quem) disposto a investir muito dinheiro no clube, e que a gestão comece reduzindo, em vez de aumentar o elenco administrativo, como mesmo agora aconteceu (pasme-se), antes  das eleições. E, já que a austeridade terá de ser a regra, que procurem emprego para os familiares de preferência longe do clube, para poderem ter alguma moral quando quiserem falar dos males do centralismo.

Há outros recursos dispensáveis. Pelo menos, na minha óptica. O Porto Canal. Que utilidade teve até agora, em termos práticos? A transmisão de jogos das modalidades, e do futebol da formação? Okey, era importante! E o resto? E que respeito houve da parte do FCPorto com os milhares de adeptos clientes da NOS na negociação abrupta com a MEO, que agora se viram privados desses conteúdos? Quem lhes paga o prejuízo? A NOS? O FCPorto? Nada!

No âmbito desportivo, para que nos serviu o Porto Canal, se os convidados e colaboradores, se abstinham de denunciar as poucas vergonhas das arbitragens em sintonia com a voz do dono? Ninguém lhes pedia que imitassem o lixo dos canais de Lisboa, mas daí a transformarem debates que se impunham sérios, e pro-activos, em autênticos coros de monges beneditinos, onde o politicamente correcto (hipocrisia) era a palavra de ordem, vai uma grande distância. Júlio Magalhães já não se importou de copiar (para pior) o pior das televisões lisboetas, como as Grandes Manhãs e as entrevistas meladas aos socialites da capital. Até nisso, o FCPorto deste Pinto da Costa falhou! O Daniel Deusdado (actual Director de Programas da RTP3) podia ser uma solução interessante, até porque já tinha dado provas de empreendedor criativo com programas como a Liga do Últimos e outros. O que é aquilo no Porto Canal, senão um centro de empregos para os amigos dos amigos?

Todo este emaranhado de barretes, não podem ser simples concidências, são antes a explicação factual do desnorte que assolou o Dragão. São muitos, mas todos encolhidos na mesma concha de interesses. Neste FCPorto não me revejo.

Viva o FCPorto regenerado! Viva! 
Vivam os adeptos! Vivam!


*Entenda-se, liberdade eleitoral.Só!

5 comentários:

Anónimo disse...

falemos no Pinto da Costa actual o outro já foi, este é o acomodado que perdeu a voz que se está a marimbar com os sócios, que nestes últimos anos só tem feito asneiras e que protege uma trupe de gente que por lá anda bem paga. Acho promiscuo ter lá metido a filha e quanto ao filho não sei se por lá gravita a fazer negócios. Não sei se os Sadistas ainda recebem prémios do terceiro lugar no campeonato, se assim for é uma autentica aberração.

É vergonhoso moverem processos contra portistas só porque não comungam a maneira como trabalham. e como o presidente se distancia do mundo portista, como se nada se passasse. Volto a dizer ele é presidente não é dono.

O Porto/Canal só poderia ser um negócio para alguém, menos para os sócios do Clube, os que têm a NOS foram postos de parte sem que alguém do Clube salvaguarda-se o quer que fosse.
Não é que eu tenha grandes saudades da Estação de Matosinhos mas gostaria de ver pelo menos as transmissões em directo das modalidades.

O que se está a passar agora com a equipa B que joga no Cu de Judas no deserto, ninguém lá está apoiar os miúdos não é por acaso que as bestas do apito roubam à fartazano como foi o caso de hoje. mais uma má decisão desta gente que não respeitou ninguém nem os miúdos nem os sócios, as assistências que lá vão são dos adversários.

Abílio Costa.



Rui Valente disse...

Há quem ainda não tenha percebido que o FCPorto é dos adeptos. Se são sócios, ou não, não importa. Hoje, saiem uns, amanhã chegam outros. É variável, ninguém pode garantir que vai ser sócio toda a vida. Eu já fui, e deixei de ser 2 vezes. Por nenhuma razão especial, apenas circunstancial. Mas adeptos, nunca deixamos de ser. Acho uma criancice o teste do bom adepto.

É por essa razão que acho imperdoável o comportamento da SAD. Além de ser de um acto de burrice surpreendente.

Anónimo disse...

o vilas boas que não venha a arrepiar caminho porque nós não esquecemos a palhaçada que andou à volta da sua saída.

não me venha com declarações de amor ao porto depois de ter feito a merda que fez.

a mudar de mister que venha alguém serio e que esteja cá com a cabecinha e não a pensar nos milhares que podia ganhar noutro lado.

Rui Valente disse...

o caso, é que não é só o Vilas Boas que não resiste ao canto dos "milhares".

No Dragão,há quem lhe siga o exemplo, e (agora) sem nada que o justifique.

Deacon Blue disse...


Bom dia Rui,

Socios? Adeptos?

Pois, eu concordo consigo, mas olhe que ha muito quem pense que nao.

Evidentemente que se exige um carinho e respeito especial por aqueles idosos socios e com lugar anual "desde sempre"!

Mas no final, socio ou adepto, sao os unicos que tem a sua cadeira de sonho no dragao para toda a vida! Esses nao mudam!

Cmpts
DB