05 abril, 2016

As contradições de Pinto da Costa

Clicar na imagem para ampliar

Pela enésima vez, o JN, sem que haja razão que o justique, volta à carga com a mesma notícia onde as figuras de Pinto da Costa e Antero Henrique são as principais visadas. 

Trata-se, como é sobejamente sabido, de uma questão de legalidade com serviços de segurança, dos quais os dois dirigentes portistas beneficiaram indevidamente. Se é verdade, ou não, ver-se-à.

O que aqui importa realçar, é a passividade do presidente portista face a estas não notícias, uma vez que não houve evolução  digna desse nome para justificar a frequência com que é publicada. Há pois aqui um propósito evidente, que é associar o nome do FCPorto às improvidências dos seus dirigentes. Mas a avaliar pelas (não) reacções, tudo isto também parece não ter grande importância. Veremos.

Afinal, qual é a diferença entre este Jornal de Notícias e o Correio da Manhã ? Será que o Sr. Pinto da Costa também se sente refém do jornal só por constar na lista do respectivo Conselho Editorial? Afinal, como é? Agora só move processos aos adeptos do FCPorto, esses malandros incapazes de se calarem? E aqueles que como eu, andaram anos a defendê-lo de tudo, e de todos (até de outros portistas), também têm de ficar calados com a renúncia à sua própria liderança? Disse renúncia à liderança, não disse ao cargo. Entendámo-nos... Será só ao cargo que se vai recandidatar? Pela parte que me toca. a gratidão, para ser eterna, tem de ter dois sentidos, caso contrário, termina. Os sucessos do passado só se justificam se não menosprezarem o presente.  

Já tenho criticado Manuel Serrão por alguns dos seus comentários, mas desta feita sou obrigado a reconhecer a pertinência das suas declarações dirigidas à SAD do FCPorto ontem no programa Prologamento da TVI. Sei que o local em que as fez não é o mais avisado, mas qual é a alternativa? O Porto Canal, onde impera a política da rolha imposta pelo presidente?

Vamos lá ver se ganham juízo, porque já têm idade e experiência para tal. Os adeptos não são cordeiros, são tão pessoas, ou talvez mais, que aqueles que enriqueceram à custa do clube e dos sócios.

Haja coerência, pelo menos, já que a competência, e sobretudo a coragem, há muito deixaram o Dragão.
  

7 comentários:

Anónimo disse...

Que momento o Clube está a passar:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/2016/04/o-meu-adeus.html

Anónimo disse...

Baía:
Reagindo a quente após a derrota do FC Porto contra o Tondela, Vítor Baía comentou na CM TV a falta de ambição denunciada por Danilo. "Normalmente, o FC Porto tem estratégias bem delineadas, com tudo estruturado, e isto é a desorientação total. A todos os níveis", vincou, resguardando apenas o guarda-redes do descalabro. "Casillas não teve culpa. Não foi por aí que perdemos", referiu.
As queixas de Peseiro quanto ao plantel, fez notar, já se haviam feito sentir no recente colóquio de treinadores, em Setúbal. "São jogadores que estão cá há pouco tempo e não conhecem a história do clube, criando um problema ao treinador, sendo ele que tem de lhes explicar o que é o FC Porto", apontou Baía, lamentando o facto de os dragões terem abandonado um plano que qualificava a formação e permitiria recuperar a identidade portista: "Havia um projeto muito interessante que passava pela potenciação de jovens com qualidade, designados por PJE, ou Potencial Jogador de Elite. Nos vários escalões, os treinadores faziam um prognóstico em relação a esses talentos que passavam a ser trabalhados de forma diferente, visando chegar à 1ª equipa. Esse projeto acabou. Porquê? Não havia dinheiro. A desculpa foi que era um projeto caro e que o FC Porto não tinha dinheiro para isso. Tudo isto é uma questão de negócio e existiram outras prioridades. Quando falha o dinheiro para aquilo que é mais importante, como fomentar a formação e a cultura do clube, está tudo dito."
----------
Pois, que fizeram ao PJE??? Era projecto importante.

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui Valente
,
Subscrevo tudo o que diz. A situação já não dá para comentar.
Hoje? E porquê hoje? Porque é o dia seguinte à vergonhosa derrota de ontem. Ao contrário do que possa parecer esta estratégia jornalística não visa em primeiro grau JNPC. Ela visa sobretudo o Clube. O que ele representa e o que pode mobilizar se liderado como foi até à meia dúzia de anos. Fico à espera que o JN nos traga novidades dos PANAMÁ PAPERS. Talvez antes da Taça! Quem sabe !
Comparando a qualidade das lideranças (Clube e Jornal), não há mais para dizer.

Cumprimentos

Rui Valente disse...

Boa tarde, caro Guilherme Olaio!

no programa Prolongamento o adepto sportinguista disse que no FCPorto não havia massa crítica. Aí, o Manuel Serrão não respondeu como devia. Calou-se, quando a resposta adequada seria dizer-lhe que se não há massa crítica no FCPorto é porque os media estão praticamente todos aqui em Lisboa! Mas, agora imagine se o outro lhe dizia: e vocês têm o Porto Canal mas têm medo de falar!

Outra coisa que não gostei, foi Serrão ter branquedo a vergonhosa exibição do árbitro. Aqui também, vivemos na incoerência, porque foi o próprio Júlio Magalhães quem considerou junto de Pinto da Costa que o FCPorto não tinha razões de queixa esta época para se queixar das arbitragens...

Assim é impossível. Que raio de gente é esta? Estamos todos a dar tiros nos próprios pés.

Tudo isto é surreal.

Um abraço

Anónimo disse...

Neste momento por várias razões, Pinto Da Costa já não é solução mas sim o problema. Como é possível que um dirigente que antigamente alguém dizia "casou-se com o FCP" dando tantas glorias ao Clube, depois se deixa arrastar por certas banalidades que beliscaram ele e o Clube, desde de rabos de saias, até às ratoeiras como foi o caso do apito dourado.

Pinto da Costa está com idade e cansado, por vários motivos do conhecimento público e falta de resultados desportivos, chegou a hora de se retirar e deixar que apareça alguém mais nova com um programa de servir o Clube e fazer frente a todos estes Abutres do Futebol e comunicação social e voltar a por o FCP na grandeza nacional e internacional.

É pena que tenha que ser empurrado do Clube e saia pela porta pequena depois de tudo que deu ao Clube. Tem que saber retirar-se pelo seu pé e deixar aquela gente que o gravita e também que se serve dele, longe.
Era assim que eu e muitos portistas desejava.

Abílio Costa.

Rui Valente disse...

Abílio,

Sempre tive Pinto da Costa como um homem inteligente, para além dos pontos fracos que tem, como qualquer mortal.

Por essa razão, nunca me passou pela cabeça que terminasse tão mal a sua brilhante carreira de dirigente desportivo. O que ele está a fazer, não é de alguém inteligente, é uma burrice retinta, é cuspir no seu próprio currículo.

Anónimo disse...

Também posso perguntar... quem abandonava de livre vontade um emprego a ganhar 540.000 € fora as benesses?
Cumprimentos
A. Martins